Xi apela para reforçar a imagem do PCC na mídia global

- THE EPOCH TIMES - 2 JUN, 2021 - DOROTHY LI - Tradução César Tonheiro -

Jornalistas se sentam próximos às telas que mostram o líder chinês Xi Jinping discursando por vídeo em 4 de novembro de 2020. (STR / AFP via Getty Images)

Enquanto a pressão internacional aumenta sobre a China, o líder chinês Xi Jinping está pressionando por uma campanha na mídia para impulsionar a imagem do Partido Comunista Chinês ( PCC ) na comunidade global.

Durante uma reunião de alto nível com o Comitê Central do PCCh na segunda-feira, Xi pediu aos oficiais do PCCh e à mídia controlada pelo estado que “contassem bem a história da China” para que o “espírito e ideologia” por trás das histórias na China pudessem ser exibidos como “a narrativa e interpretação do Partido Comunista Chinês”, de acordo com a mídia estatal Xinhua.

Xi enfatizou que a mídia chinesa deve “fazer grandes esforços” para melhorar sua capacidade de causar impacto em outros países e sua voz deve refletir a “força e o status internacional da China”, relatou a Xinhua.

Pequim encontrou recentemente contratempos diplomáticos. Na reunião, Xi encorajou os outros líderes do Partido a obter mais aliados para a China por meio de vários canais, como especialistas internacionais e mídia estrangeira. A Xinhua citou Xi dizendo: “Devemos utilizar plenamente os especialistas de alto nível, falando em grandes conferências e fóruns internacionais, na mídia estrangeira, etc.”

No fim de semana, a Nova Zelândia e a Austrália apareceram como uma frente unida na luta contra o regime chinês, emitindo uma extensa declaração conjunta após sua Cúpula Anual de Líderes em Queenstown, Nova Zelândia.

Na declaração conjunta, o primeiro-ministro australiano Scott Morrison e a primeira-ministra da Nova Zelândia Jacinda Ardern expressaram “profunda preocupação com os acontecimentos que limitam os direitos e liberdades do povo de Hong Kong” e “graves preocupações sobre a situação dos direitos humanos” em Xinjiang.

Pequim relatou suas críticas. Enquanto isso, os últimos relatórios da mídia em relação à pandemia COVID-19 sugerem que a origem do vírus PCC pode estar ligada ao laboratório de segurança P4 da China, o Wuhan Institute of Virology (WIV). O laboratório fica a apenas alguns quilômetros de distância do mercado de carnes [exóticas] frescas de Huanan, na cidade de Wuhan, província de Hubei, onde o primeiro grupo de infecções surgiu em dezembro de 2019.

O presidente dos EUA, Joe Biden, disse em um comunicado de 26 de maio que deseja que a Comunidade de Inteligência dos EUA produza um relatório sobre as origens do vírus em 90 dias.

A Austrália também pressionou por uma investigação sobre as origens do vírus. Hu Ping, um especialista em China baseado nos EUA e comentarista político, compartilhou suas opiniões sobre a campanha de mídia de Pequim em uma entrevista para a edição em chinês do Epoch Times na terça-feira. Em resposta à recente resistência dos países democráticos, a esperança de Xi de criar uma imagem “confiável, amável e respeitável” do PCCh é “em vão”, disse Hu, porque “o problema são suas ações”. As instruções de Xi para reforçar a imagem do PCCh sugerem que Pequim está tentando diminuir o tom de sua agressão, disse Hu.

Ele especulou que o regime usará sua mídia para transmitir ao mundo que a China não é um inimigo. No entanto, Hu alerta que essa pode ser apenas uma tática para enganar a comunidade internacional. Ele acrescentou que as pessoas só podem ver o real significado por trás da narrativa estratégica de Xi se entenderem como o PCC realmente opera como um regime autoritário. Luo Ya contribuiu para este relatório.

PUBLICAÇÃO ORIGINAL: https://www.theepochtimes.com/xi-calls-for-bolstering-the-ccps-image-on-global-media_3841419.html


Para acessar o Conteúdo acima, acesse a Home Page aqui. https://www.heitordepaola.online/


14 views0 comments