Vírus chinês e a Globolixo

24/03/2020


- IPOJUCA PONTES -



Como se sabe, os chineses são velhos exportadores de pragas. Alguns exemplos: o vício do ópio, a praga SARS, a gripe aviária, a peste suína africana, a revolução comunista do genocida Mao e, no momento, o coronavírus, que o lúcido Donald Trump - ao lado do destemido Eduardo Bolsonaro – chamou, com propriedade, de Vírus Chinês. Os porta-vozes e burocratas da brutal ditadura comunista vigente na China, cínicos, reagiram e exigiram retratação de Washington. Mas o presidente americano, com farta documentação em mãos, sabendo do que estava falando, foi enérgico sem perder a serenidade:


- O que mais poderia ser? É vírus chinês, sim!


A Globolixo, por sua vez, viciada em assacar contra os Bolsonaro, pai e filhos, passou a criticar Eduardo Bolsonaro, presidente da Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional da Câmara Federal, porque o parlamentar associou o intencional desastre nuclear de Chernobil (ocorrido em 1986 na União Soviética) ao pesadelo do coronavírus propagado a partir da cidade de Wuhan, na China Vermelha, epicentro da praga que tornou o nosso planeta irrespirável, contaminando de pavor e medo milhões de pessoas, levando à morte milhares e milhares de vítimas e cobaias nos cinco continentes.


Só para lembrar o óbvio: circula na Internet um vídeo espantoso que a Globolixo jamais vai exibir. Suas imagens mostram, no interior de repugnante mercado público de Wuhan, centenas de chineses famintos, comprando, preparando ou consumindo sopa de morcego, carne de rato, cobras peçonhentas, gatos cavernosos etcétera – todos considerados do ponto de vista científico, “animais-reservatório” e fonte em potencial do que Donald Trump chamou de Vírus Chinês.


Muito bem. Segundo relatórios de revistas especializadas, já em novembro de 2019, médicos e infectologistas descobriram e identificaram em amostras comprobatórias o vírus corona, o mesmo que a ditadura chinesa de Xixi Jinping se apressou em esconder e destruir (conforme The Lancet, revista científica norte-americana, em 05/02/2020).

No relato, tão logo o médico Vi Leniang, radicado nos arredores de Wuhan, enviou mensagem aos seus pares após comprovar a letalidade do vírus e a rapidez de sua propagação entre humanos, foi imediatamente orientado pelas autoridades chinesas a parar de fazer “comentários falsos”, sendo posteriormente investigado pela polícia de Wuhan sob a acusação de “espalhar boatos”.


O fato concreto é que, pouco tempo depois de feito o comunicado, o médico infectologista Li Wenliang assinou um desmentido e apareceu agonizante, entubado em leito hospitalar, para morrer em seguida diagnosticado oficialmente como tendo contraído o coronavírus enquanto atendia outros infectados – informação que causou intensa onda de protestos e indignação entre habitantes da cidade.


The Lancet, aliás, vai mais além e assinala, sem meias palavras, que o coronavírus foi desenvolvido em laboratório, tal como a SARS, a gripe aviária e a peste suína africana, produzidas sob “orientação do Partido Comunista Chinês”.


Decorrente da potencial ingestão de gatos cavernosos, ratos, cobras e de sopas de morcego (iguarias que nenhum membro da diplomacia chinesa espalhada pelo mundo na certa vai degustar) ou produzido em laboratório, o fato concreto é que o “Vírus Chinês”, tal como a peste negra na Idade Média, transformou o mundo moderno num espaço infernal contaminado pela apreensão, pelo pânico, pela paranóia da suspeita e pelo pavor pétreo, pois, como é natural, ninguém quer morrer na véspera vítima do contágio de uma gripe que se expande em proporções alarmantes.


Pior: ninguém sabe até quando o Vírus Chinês continuará aterrorizando a humanidade. Uns falam em quatro, cinco ou seis meses, mas tudo não passa de conjectura. (A devastadora Peste Negra, por exemplo, durou cinco anos – entre 1347 e 1352 – e matou mais de 25 milhões de pessoas, um terço da população européia).


No momento, a partir da rápida difusão do vírus mortal, somos todos impedidos de efetuar os gestos mais comezinhos, tais como apertar a mão de um amigo, nos aproximarmos de um familiar, de andarmos pelas ruas, irmos à igreja ou sentarmo-nos no banco de praça. Nas bolsas, o valor das ações despenca, as fábricas diminuem ou paralisam suas atividades, o comércio fecha as portas, na pior crise já enfrentada pelos países ocidentais. Como conseqüência, as pessoas perdem seus empregos ou vêem seus salários reduzidos. Há uma quebradeira geral e a própria Organização Mundial do Comércio, OMC, prevê uma retração na economia global por enquanto incalculável, mas impactante.


Enquanto isso, a China Comunista do maoísta Xixi Jinping, Secretário-Geral do Comitê Central do Partido Comunista Chinês e a mais alta patente militar da China, a comandar um exército belicista de dois milhões e trezentos mil soldados, anuncia que por lá tudo voltou à normalidade, ao tempo em que se informa investimentos na construção de novas linhas de metrô e até reiniciando a fabricação de bilionário trem-bala em Xangai. De quebra, ainda anuncia um petardo para combater o coronavírus que, de fato, não passa de uma vacina criada há seis anos no Japão para deter a praga chinesa do ebola no território africano.

E por aqui, no contaminado solo pátrio, ao associar a praga do coronavírus à catástrofe de Chernobil, coisa que qualquer interessado deve saber, o deputado Eduardo Bolsonaro foi agredido bestialmente, no bafo, pelo embaixador chinês no Brasil, antes de mais nada um quadro da burocracia totalitário do PCC. Diante da estúpida agressão, a Globolixo, dominada pelas esquerdas, subestima o jornalismo e passa a exaltar a arrogância do agressor. Não dá. A desinformação tem seus limites. Melhor faria se informasse ao público, conforme noticia o jornalista Carlos Newton na Internet Tribuna, a postura do Juiz da 2ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro, Gustavo Mazzocchi, que determinou a abertura de inquérito na Policia Federal, tendo como indiciados os empresários Roberto Irineu, João Roberto e José Roberto Marinho, proprietários da Organização Globo, que estão sendo investigados por falsidade ideológica e crimes contra a ordem tributária e contra as telecomunicações.


PS 1 –Já falei com minha advogada e estou seriamente empenhado em processar o governo comunista de Pequim por crime contra a humanidade e negligência comprovada ao omitir o necessário alerta quando do desencadear da peste. Como tenho mais de 70 anos e não quero morrer na véspera, entendo que valerá a pena.


PS 2 – Soube que Regina Duarte está arregimentando companheiros para acossar Paulo Guedes, ministro da Economia: quer pedir grana fácil e rápida para o beautiful peoble das artes e manhas. A Viúva Porcina tem a obrigação de bater na porta da Embaixada da China, em Brasília, e exigir dinheiro gordo do embaixador comunista. Afinal, é de lá que vem o sufoco.

0 views

Notícias Conservadoras

© Todos os Direitos Reservados - heitordepaola.online