US First One Medical Manufacturer

The Epoch Times - 22/05/2020

Tradução César tonheiro



O presidente Donald Trump chega para falar durante uma visita à fábrica de componentes Ford Rawsonville, que fabrica ventiladores e suprimentos médicos, durante a pandemia do vírus PCC em Ypsilanti, Michigan, em 21 de maio de 2020. (Leah Millis / Reuters)

Trump quer que os EUA seja a indústria médica número um do mundo

22 de maio de 2020 por Mimi Nguyen Ly


O presidente Donald Trump disse na quinta-feira que queria que os Estados Unidos fossem a indústria médica número um do mundo, pois incentivou a reabertura da América e elogiou a montadora Ford durante uma visita a uma de suas fábricas em Michigan.


Trump visitou Ypsilanti, nos arredores de Detroit, para visitar uma fábrica da Ford que se converteu parcialmente em indústria de ventiladores e equipamentos de proteção individual (EPI) em meio à pandemia causada pelo vírus do  PCCh (Partido Comunista Chinês), um novo coronavírus de Wuhan, na China. No início do dia, Trump realizou uma mesa redonda com líderes afro-americanos para falar sobre populações vulneráveis atingidas pelo vírus do PCCh.


"Hoje, estou declarando uma meta nacional simples, mas vital: os Estados Unidos serão o principal fabricante de medicamentos, drogas e produtos médicos do mundo", disse o presidente em discurso na fábrica. "Estamos trazendo nossos medicamentos de volta e muitas outras coisas também."


"Precisamos produzir equipamentos, suprimentos, produtos farmacêuticos, tecnologias essenciais para nós mesmos", acrescentou Trump. "Não podemos confiar em nações estrangeiras para cuidar de nós, especialmente em tempos de dificuldade."


Trump disse que a pandemia global do vírus do PCC "provou de uma vez por todas que é uma nação forte, a América deve ser uma nação manufatureira".


"A verdadeira independência nacional requer independência econômica", disse Trump. "Desde o primeiro dia, tenho lutado para recuperar nossos empregos da China e de muitos outros países."


Na fábrica da Ford, o presidente elogiou a empresa por seu trabalho duro, patriotismo e talento na fabricação de ventiladores e EPIs para o pessoal médico e os socorristas.


"Por causa do vírus, a Ford foi forçada a parar a produção de automóveis pela primeira vez desde a Segunda Guerra Mundial", disse Trump. "Isso é algo [relevante]. Mas você [diretor da companhia] não se desesperou. A liderança de sua empresa ligou para a Casa Branca e fez a maior parte das perguntas americanas: 'Como podemos ajudar?' ”


Os Estados Unidos estão agora — em parte graças ao esforço da Ford — em condições de ajudar outros países com ventiladores e outros equipamentos, disse Trump.


"Graças a você, armazenaremos mais de 100.000 novos ventiladores nos próximos meses", disse ele. “E ofereci mais de 14.000 [ventiladores] a amigos e aliados em todo o mundo, e eles precisam desesperadamente deles. Apenas nesta semana, falei com cinco países. Eles me ligam — é possível levar ventiladores para eles. E eu vou enviá-los.


“Os Estados Unidos têm muito orgulho da Ford. Aqui na fábrica de componentes de Rawsonville, você está construindo um grande arsenal médico para derrotar o vírus e consolidar o lugar da América como principal fabricante e exportadora de ventiladores em qualquer lugar do mundo”, disse Trump.


No final de março, a Ford informou que planeja iniciar a produção de cerca de 50.000 ventiladores em 20 de abril e deve introduzir 500 funcionários da United Auto Workers (UAW).


Trump elogiou várias montadoras, incluindo Ford, General Motors, General Electric e Fiat Chrysler, por "abrir caminho para reiniciar com segurança os motores econômicos da América", e continuou pedindo a reabertura da América.


"Você está demonstrando que podemos abrir nosso país enquanto tomamos precauções como distanciamento social, exames médicos diários, e higiene rigorosa", disse ele.


Gary Brabant, um técnico da fábrica, disse que estava inicialmente ansioso quando chamado para trabalhar na fábrica, mas foi imediatamente tranquilizado.


“Não queria ficar doente ou levar enfermidade para minha família. No entanto, ao chegar aqui no primeiro dia, me senti seguro devido às novas políticas e procedimentos apresentados por nossa equipe de saúde e segurança da UAW”, disse Brabant. "É uma ótima sensação saber tudo o que estamos fazendo aqui e cada assembléia que fazemos é salvar a vida de alguém."


A Ford começou a retomar as operações nos Estados Unidos em 18 de maio, o que inclui reiniciar a produção de veículos nas principais fábricas e trazer de volta cerca de  12.000 funcionários que não podem fazer seus trabalhos fora do local.


Trump disse que os Estados Unidos "não deveriam ser fechados", e antes disse a repórteres que acreditava que os estados deveriam começar a se abrir.


“Um bloqueio sem fim convidaria uma calamidade à saúde pública. Para proteger a saúde de nosso povo, precisamos ter uma economia em funcionamento”, disse Trump a repórteres.


“Os americanos que precisam e querem voltar ao trabalho não devem ser difamados; eles devem ser apoiados”, acrescentou mais tarde. “Ao contrário de muitos políticos e jornalistas, para quem ganha a vida com as próprias mãos trabalhar remotamente não é uma opção. Você não tem a opção de fazer isso. Nosso plano enfatiza a segurança e a proteção dos funcionários que retornam. ”



https://www.theepochtimes.com/trump-us-will-be-worlds-number-one-medical-manufacturer_3360634.html#

© Todos os Direitos Reservados - heitordepaola.online