UE reajusta sua estratégia e reduz sua dependência da China

- THE EPOCH TIMES - Set 8, 2020 -

- Alexander Zhang - Tradução César Tonheiro



O presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, e a presidente da Comissão Europeia, Ursula Von Der Leyen, dão uma cotovelada no final de uma coletiva de imprensa após uma cúpula europeia de 4 dias no Conselho Europeu em Bruxelas em 21 de julho de 2020. (Stephanie Lecocq / Pool via Reuters)

UE busca 'autonomia estratégica' após a pandemia do vírus PCC

8 de setembro de 2020 por Alexander Zhang


A União Europeia está planejando construir “autonomia estratégica” em produtos essenciais após a pandemia do vírus PCC, disse o presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, na terça-feira.


Falando no Fórum Econômico de Bruxelas, Michel disse que a "independência estratégica" era o "projeto comum da UE para este século".


O plano de orçamento e recuperação da UE, que foi finalizado em julho após intensas negociações entre seus 27 Estados membros, foi "um grande passo" em direção a este "objetivo vital", disse Michel, que lidera o Conselho Europeu, composto pelos chefes de estado dos países membros da UE.


plano de recuperação é um enorme pacote de estímulo para as economias europeias, que foram duramente atingidas pela pandemia causada pelo vírus do PCC (Partido Comunista Chinês), comumente conhecido como o novo coronavírus.


“Esta corajosa resposta europeia foi fundamental para proteger os nossos cidadãos e salvaguardar os nossos negócios”, disse Michel, que anteriormente foi primeiro-ministro da Bélgica entre 2014 e 2019.


“Nossa estratégia industrial promoverá uma maior independência e garantirá que tenhamos acesso a todos os recursos necessários para garantir a prosperidade de nossos cidadãos. Isso inclui, por exemplo, maior autonomia na produção de processadores, medicamentos vitais e outros produtos essenciais. ”


Os países da UE ficaram preocupados com as cadeias de abastecimento da economia europeia depois que a pandemia do vírus PCC expôs a dependência excessiva da Europa da China para equipamentos médicos, matérias-primas para medicamentos e componentes para a indústria automobilística.


Michael Roth, ministro de Estado da Alemanha para a Europa, alertou os países europeus no mês passado sobre a tendência de Pequim de usar as dependências econômicas como alavanca na política de poder.


“A crise do coronavírus foi um sinal de alerta”, escreveu Roth em um comentário de jornal, já que foi um “doloroso lembrete para nós de como a Europa se tornou dependente em certas áreas”.


Nos estágios iniciais da crise, o regime chinês enviou suprimentos médicos a vários países em um esforço para reparar sua imagem e se lançar como líder na luta contra a pandemia, ao invés de responsável por sua disseminação.


Em março, Josep Borrell, chefe de política externa da UE, alertou os europeus para tomarem cuidado com a “luta da China por influência e 'política de generosidade'”.


A Alemanha, principal motor de crescimento da UE, começou a reajustar sua estratégia em relação à China.


Em 2 de setembro, o gabinete alemão adotou suas novas “diretrizes de política para a região do Indo-Pacífico”, que defendem a diversificação das relações da Alemanha na região,  reduzindo sua dependência de Pequim .



Reinhard Werner, Cathy He e Reuters contribuíram para este relatório.

ARTIGO ORIGINAL:

https://www.theepochtimes.com/eu-aims-for-strategic-autonomy-after-ccp-virus-pandemic_3491966.html

© Todos os Direitos Reservados - heitordepaola.online

  • Facebook
  • Twitter
  • YouTube