Trump vai apreender roupas feitas em prisões na China

THE EPOCH TIMES - Aug 13, 2020 -



Administração Trump vai apreender roupas feitas em prisões na China

13 de agosto de 2020 por Zachary Stieber


O governo do presidente Donald Trump anunciou esta semana que os funcionários da alfândega irão reter mercadorias essenciais se forem feitas por empresas ligadas ao trabalho prisional na China .


Com efeito imediato, todas as roupas produzidas pela Hero Vast Group, que inclui uma série de empresas, serão detidas, anunciou a Customs and Border Protection (CBP).


O pedido é baseado em informações que indicam que as empresas estão usando mão de obra prisional para produzir itens.


“O uso de trabalho forçado pela China para fazer bens é ilegal e errado. Seus graves abusos aos direitos humanos não resistem. O DHS continua comprometido em usar todas as ferramentas disponíveis para identificar e evitar que produtos feitos com trabalho forçado entrem nos Estados Unidos”, disse o secretário interino do Departamento de Segurança Interna (DHS) Chad Wolf em um comunicado.


CBP é um escritório dentro do DHS.


“O uso de trabalho forçado não é apenas uma questão séria de direitos humanos, mas também gera concorrência desleal em nossas cadeias de fornecimento globais. O objetivo do CBP é garantir que os produtos feitos por trabalho forçado nunca cheguem aos consumidores dos EUA”, acrescentou Brenda Smith, comissária executiva assistente do CBP.


As mercadorias do Hero Vast Group serão apreendidas em todos os portos de entrada dos EUA, de acordo com uma lei federal que proíbe a importação de mercadorias produzidas por trabalho forçado, incluindo trabalho de condenado, trabalho infantil forçado e trabalho escravo.


A ordem de apreensão é formalmente conhecida como Ordem de Retenção de Liberação. É a 11ª emitida pela CBP desde setembro de 2019, incluindo quatro contra a China. Trinta e cinco desses pedidos foram feitos contra empresas sediadas na China desde 1991.


A nova ordem surge no momento em que a administração Trump intensifica as ações punitivas contra o Partido Comunista Chinês (PCC) em uma série de questões relacionadas aos direitos humanos.


O Departamento de Comércio colocou no mês passado na lista negra empresas chinesas envolvidas em trabalho forçado e vigilância genética, enquanto as autoridades americanas forçaram o fechamento do consulado chinês em Houston.


Somente em agosto, o governo Trump  sancionou a  líder de Hong Kong Carrie Lam e 10 outras autoridades por minar a autonomia e as liberdades da cidade; proibiu os aplicativos de mídia social chineses TikTok e WeChat; assinou uma ordem executiva com o objetivo de reduzir a dependência dos EUA de medicamentos fabricados na China; agiu para remover empresas chinesas das bolsas de valores dos EUA; e  designou um centro de apoio para investigar ações amparadas por Pequim em faculdades como uma missão estrangeira.


Talvez por causa da enxurrada de ações, o PCCh não quer que Trump ganhe um segundo mandato em novembro, de acordo com uma avaliação de inteligência.


Eles gostariam de ver a derrota do presidente“, disse conselheiro de segurança nacional Robert O'Brien.


Trump disse à Fox Sports Radio na terça-feira que ele e o líder chinês Xi Jinping tinham um "relacionamento muito bom" antes do  surto do vírus do  PCC (Partido Comunista Chinês), transformado em pandemia.


“Tive uma relação muito boa com ele. Fizemos um acordo comercial. Foi muito para nós”, disse ele.


“Eu tinha um ótimo relacionamento com o presidente Xi. Gosto dele, mas não me sinto da mesma forma agora”, continuou ele mais tarde, acrescentando: “Uma vez que a praga veio da China — eu chamo de praga — mas depois que a praga veio da China, a relação mudou.”


https://www.theepochtimes.com/trump-administration-to-detain-clothing-made-in-prisons-in-china_3460467.html

© Todos os Direitos Reservados - heitordepaola.online

  • Facebook
  • Twitter
  • YouTube