Sabe aquele teste Covid made in China? Cuidado, você pode estar sendo catalogado!

- THE EPOCH TIMES - 17 AGO, 2021 - Jennifer Bateman - Tradução César Tonheiro -

Um tecnólogo de laboratório trabalhando em amostras a serem testadas para o novo coronavírus no laboratório "Fire Eye" em Wuhan, província de Hubei. O BGI Group, uma empresa de sequenciamento de genoma com sede no sul da China, disse que abriu um laboratório em Wuhan em 5 de fevereiro que é capaz de testar até 10.000 pessoas por dia para o vírus. (STR / AFP via imagens Getty)

Objetivo do BGI: Personalizar Humanos e Sintetizar Armas Bioquímicas (Parte 1)


Este é o primeiro de três artigos que apresentam aos leitores a pesquisa e a missão do BGI Group, a empresa de sequenciamento de genoma líder na China com clientes em todo o mundo. Sua pesquisa envolve coletar, estudar e alterar genes humanos e animais para facilitar coisas como o desenvolvimento de armas bioquímicas e até mesmo personalizar humanos.


Recentemente, um vídeo e fotos de dois discursos proferidos por Wang Jian, co-fundador e presidente do BGI Group, foram refeitos pela mídia.


Durante a Convenção de Empresários de Shenzhen de 2017, Wang Jian anunciou que sua empresa havia alcançado um nível industrial de sucesso no progresso por meio da reforma genética e edição de genes , para a síntese de genes e produção em massa de vários vírus, bactérias e grandes leveduras. Ele afirmou que, em 2020, o BGI precisaria de apenas dois dias para sintetizar uma bactéria. “Pode ser uma boa bactéria, mas também pode ser uma bactéria assustadora.” Ele disse que a BGI teria a tecnologia para “sintetizar quimicamente qualquer vida” nos próximos 5 a 10 anos.


“Os humanos evoluíram de armas frias para armas quentes, para bombas atômicas e, definitivamente, progredirão para [armas] vivas”, disse Wang.


Um mês antes do discurso de Wang, o jornal Liberation Army Daily do Partido Comunista Chinês (PCC) publicou um artigo intitulado “Como as armas genéticas afetarão a guerra futura”. O artigo discutiu como a tecnologia de edição de genes está sendo usada para modificar o código genético de microrganismos causadores de doenças e está facilitando o desenvolvimento da próxima geração de armas bioquímicas da China para uso como um impedimento estratégico.


Em 8 de dezembro de 2020, outro discurso de Wang Jian sobre o tema da personalização de humanos foi revelado em um post na plataforma de mídia social chinesa Sina Weibo. No post, a BGI foi acusada por um de seus parceiros de negócios, Wang Deming, presidente da Nanjing Changjian Yujia Health Management Co., de se envolver na edição de genes humanos para produzir "humanos personalizados" e "vida artificial". Deming afirmou que as ações do BGI foram piores do que as de He Jiankui, o cientista chinês que editou os genes de um bebê humano em 2018 e que mais tarde foi preso.


Para reforçar suas acusações, Wang Deming compartilhou fotos de um artigo de pesquisa publicado na revista Nature sobre edição genética de embriões humanos, do qual a BGI participou em 2017. Ele também forneceu fotos de Wang Jian fazendo uma apresentação em 20 de maio de 2018, em Nanjing , Província de Jiangsu. As fotos, mostrando slides na tela grande, cobriam uma série de tópicos incriminadores, incluindo “genes sintéticos, vida artificial” e “edição de genes, embriões modificados, destino modificado”. Vários dos slides continham fotos de mulheres grávidas e muitos bebês, juntamente com o artigo de pesquisa do BGI na edição de genes de embriões humanos.


Em resposta às acusações prejudiciais de Deming, o BGI prontamente defendeu sua pesquisa e disse que a regra de ética biomédica de “14 dias para embriões humanos” foi observada e nenhum bebê nasceu entre os “58 bebês editados por genes”.


Após esta resposta, qualquer informação desfavorável sobre a pesquisa e operação do BGI foi removida de todos os sites chineses, exceto para a disputa comercial entre Wang Deming e o BGI.


O repórter do Epoch Times contatou o BGI sobre o discurso de Wang Jian em 2018 sobre “humanos personalizados” e “vida artificial”, etc. Nenhuma resposta à imprensa foi recebida até o momento, exceto a confirmação do recebimento da solicitação.


Em junho deste ano, o CEO do BGI, Yin Ye, disse à mídia chinesa que o mercado para a síntese de genes é muito maior do que o sequenciamento do genoma humano e a edição de genes. O site oficial da empresa afirma que o BGI pode "fornecer uma variedade de serviços completos de síntese de genes", "incluindo sequências de DNA projetadas artificialmente e quaisquer genes em que você esteja interessado".


Na China, o crescimento e o desempenho do BGI foram comparados à gigante das comunicações do PCC, Huawei. O relatório anual do BGI para 2020 declara: “Como fundador e líder da indústria genética da China,” o BGI construiu uma rede de serviços de marketing que cobre mais de 100 países e todas as províncias, cidades e regiões autônomas da China, tornando-a uma das poucas empresas tecnológicas que cobrem toda a cadeia da indústria e campos de aplicação de sua atividade fim.


Além de “vida sintética” e “armas bioquímicas”, a BGI também conduziu pesquisas em grande escala e obteve dados biomédicos sobre os residentes da China e enviou esses dados ao banco de genes nacional do PCC.


(Continua nas partes dois e três)


PUBLICAÇÃO ORIGINAL:

https://www.theepochtimes.com/bgis-goal-1-customize-humans-and-synthesize-biochemical-weapons_3949250.html

15 views0 comments