ROUBO DE MARCAS E PATENTES SE INTENSIFICA NA CHINA

28/01/2020


- THE EPOCH TIMES -

Tradução César Tonheiro



Fábricas chinesas cometem mais roubo de marca registrada à medida que o comércio desacopla

28 de janeiro de 2020 por Chriss Street


As fábricas chinesas estão roubando propriedade intelectual muito mais rapidamente após a assinatura do acordo comercial da Fase Um com os Estados Unidos, à medida que a dissociação com as cadeias de suprimentos dos EUA está se acelerando.


O China Law Blog relata que as fábricas chinesas no passado “esperavam até que o relacionamento com seus clientes diminuíssem antes de vender os produtos de seus clientes e registravam a marca de seus clientes na China como próprias”, mas agora estão “saindo e registrando essas marcas literalmente dias depois de tomarem conhecimento deles pela primeira vez.”


Depois que a marca comercial de uma empresa americana é registrada por uma empresa local, a lei chinesa concede direitos de propriedade local para impedir a produção de produtos para exportação internacional na fronteira e impedir que eles deixem a China. 


Várias empresas americanas foram forçadas a pagar dólares significativos para recuperar as marcas registradas e fazer com que as mercadorias saíssem da China novamente.


Os advogados americanos que trabalham em novos acordos internacionais na China estão avisando que as empresas americanas tendem a enviar e-mails a uma empresa chinesa perguntando sobre a possibilidade de essa empresa fabricar seus produtos; e depois de um ou dois dias, a empresa chinesa registrará a marca da empresa americana na China. 


Várias empresas chinesas venderam produtos estrangeiros patenteados e de marca registrada em todo o mundo antes mesmo de vender um dos produtos para seus clientes corporativos estrangeiros.


No auge da guerra comercial sino-americana em novembro, o déficit de mercadorias com a China caiu 7,9%, segundo dados divulgados pelo US Census Bureau. Com a queda de 20,84% nas exportações chinesas para os Estados Unidos em comparação com um ano atrás, as compras americanas de produtos chineses são as mais baixas desde março de 2013.


As cadeias de suprimentos corporativas americanas se “separaram” substancialmente da China. Pouco antes do início da guerra comercial em julho de 2018, as importações do Vietnã para os Estados Unidos aumentaram 51,6%; Taiwan subiu 30%; A Tailândia subiu 19,7%, a Indonésia subiu 14,6%, o México 12,7% e a Malásia 11,3%. Quase todos esses ganhos ocorreram às custas das fábricas chinesas. [confira: dá ares de transshipment ou transbordo para contornar tarifas]


Advogados internacionais que fazem negócios na China podem ver que as vendas nas fábricas locais ainda estão em queda, apesar da trégua comercial. O China Law Blog afirma : "Para todas as empresas estrangeiras que deixaram a China em 2019, havia mais de duas a três seriamente pensando em bater em retirada e se espera que mais empresas deixem a China em 2020 do que em 2019.


As fábricas chinesas esperam que muitos de seus atuais clientes americanos deixem a China em 2020; e quaisquer novos clientes nos Estados Unidos os usarão apenas como uma espécie de "fábrica de mockup" para desenvolver produtos e depois mover a produção para outro local offshore quando o produto estiver totalmente desenvolvido e vendendo em volume.


Como resultado da expectativa de serem usadas e descartadas, as fábricas chinesas “também se tornaram muito mais desleixadas em termos de qualidade do produto”. O China Law Blog argumenta que agora é absolutamente necessário ter "acordos de fabricação” detalhados e assinados que forçam as fábricas chinesas pagar multas se os padrões de qualidade não forem atendidos.


Os advogados de marcas registradas da China comentam que, com os fabricantes locais querendo desesperadamente melhorar suas margens de lucro, "qual a melhor maneira de fazer isso do que vender um produto com uma marca americana de prestígio ou conhecida?"


Depois que uma marca comercial dos EUA é registrada por um indivíduo ou empresa local [na China], a única maneira garantida de recuperar o controle da propriedade intelectual é tentar comprar o nome da marca e o logotipo do Partido Comunista Chinês (PCCh) que detém o controle.



https://www.theepochtimes.com/chinese-factories-committing-more-trademark-theft-as-us-trade-decouples_3218771.html

© Todos os Direitos Reservados - heitordepaola.online