Reino Unido diz aos aliados do G7 para serem duros com a China

- REUTERS - Mar 31, 2021 -

William James - TRADUÇÃO CÉSAR TONHEIRO -


É hora de ser duro com a China no comércio global, Reino Unido diz aos aliados do G7


LONDRES (Reuters) - A Grã-Bretanha pressionará na quarta-feira os aliados do G7 para que sejam duros com a China por causa de “práticas perniciosas” que minam o sistema de comércio internacional, pedindo uma revisão das regras desatualizadas e ineficazes da Organização Mundial do Comércio.



A ministra do Comércio, Liz Truss, receberá seus homólogos do G7 e o novo chefe da OMC, usando a plataforma da Grã-Bretanha como atual presidente do grupo de países ricos para promover a Grã-Bretanha pós-Brexit como um dos principais defensores do livre comércio.


“Este é o momento de ser duro com a China e seu comportamento no sistema de comércio global, mas também de modernizar a OMC. Em muitos aspectos, está preso na década de 1990”, disse ela ao Financial Times em uma entrevista.


Desde que deixou a União Europeia e atribuiu seu futuro econômico ao comércio global, a Grã-Bretanha intensificou as críticas às práticas comerciais da China.


“As pessoas não podem acreditar no livre comércio se não for justo”, disse Truss em um comunicado antes da reunião.


“A confiança pública foi corroída por práticas perniciosas, desde o uso de trabalho forçado até a degradação ambiental e o roubo de propriedade intelectual.”


A China, membro da OMC desde 2001, nega que roube propriedade intelectual, prejudique injustamente o meio ambiente ou comercialize indevidamente produtos feitos com trabalho forçado.


As relações mais amplas entre Londres e Pequim azedaram nos últimos meses, com sanções na mesma moeda sobre o histórico de direitos humanos da China e uma discussão amarga sobre reformas na governança da ex-colônia britânica de Hong Kong.


A Grã-Bretanha e outros membros da OMC argumentam que a China se beneficia de exceções às regras que foram feitas décadas atrás e não refletem mais sua condição de nação mais favorecida (NMF).


“A OMC foi estabelecida quando a China tinha 10% do tamanho da economia dos Estados Unidos”, disse Truss ao FT. “É ridículo que ainda se autodesigne como um país em desenvolvimento - e essas regras precisam mudar.”


Outros aliados do G7, incluindo o presidente dos EUA, Joe Biden, concordam com a necessidade de reformar a OMC e abordar a crescente influência global da China. O problema é encontrar uma solução com a qual todos os lados concordem.


Ecoando o temor de muitas nações ocidentais de que perderão o controle da ordem internacional pós-Segunda Guerra Mundial para a China, Truss disse que, a menos que a OMC possa ser reformada, os países encontrarão outras estruturas para negociar dentro dela.


Uma revisão estratégica da política externa britânica neste mês enfocou a necessidade de ganhar mais influência no Indo-Pacífico para se equilibrar contra a China, descrevendo sua liderança autoritária e poder econômico como a maior ameaça de base estatal à segurança econômica da Grã-Bretanha.


Os ministros se juntarão à convocação do recém-eleito chefe da OMC, Ngozi Okonjo-Iweala, que herdou uma organização que tem lutado para fazer cumprir e modernizar seu livro de regras.


A China expressou confiança em sua liderança e também disse que deseja reformas e um sistema comercial mais eficaz.


Reportagem de William James; Edição de Elizabeth Piper, Peter Graff, William Maclean


ORIGINAL:

https://www.reuters.com/article/us-britain-trade/time-to-get-tough-with-china-on-global-trade-uk-tells-g7-allies-idUSKBN2BN1EN

17 views0 comments

© Todos os Direitos Reservados - heitordepaola.online