Presidente filipino diz a China: 'não há outro caminho a não ser a guerra'

- BREITBART - Apr 22, 2021 - GABRIELLE REYES - Tradução César Tonheiro -


As Filipinas não podem retomar partes do Mar das Filipinas Ocidental ocupadas ilegalmente pela China sem ir à “guerra”, disse o presidente das Filipinas, Rodrigo Duterte, esta semana.

O Mar Ocidental das Filipinas é o nome dado por Manila para a seção do disputado Mar da China Meridional diretamente a oeste das Filipinas. A China se recusou a retirar uma frota pesqueira de 220 homens do Mar das Filipinas Ocidental, originalmente ancorada no recife Julian Felipe nas Filipinas, mas que agora se acredita ter se espalhado por todo o território marítimo soberano das Filipinas, desde o início de março.

“Para mim, não há outro caminho a não ser a guerra. Se promovermos uma guerra contra a China e a América, ela pode ser acelerada. Mas a que custo para nós? Esse é o problema. Mas podemos retomá-lo apenas pela força. Não há como recuperar o que eles chamam de Mar das Filipinas, sem derramamento de sangue. Isso é verdade”, disse Duterte durante um discurso transmitido pela televisão nacional na segunda-feira.

“Você conhece o custo da guerra. E se formos lá realmente para descobrir e fazer valer a jurisdição, eu disse, seria sangrento. Isso resultará em uma violência que talvez não possamos vencer”, acrescentou o presidente.


O discurso de segunda-feira marca a primeira declaração oficial de Duterte sobre a ocupação chinesa do recife Julian Felipe, mais de um mês depois que a Guarda Costeira filipina avistou pela primeira vez a enorme frota pesqueira da China ancorada "em linha de formação" ao longo da costa do recife em 7 de março. Duterte já enfrentou críticas por sua relutância em criticar a presença ilegal da China na Zona Econômica Exclusiva das Filipinas (ZEE), que inclui o Mar das Filipinas Ocidental e concede a Manila o direito exclusivo de pescar e explorar os recursos naturais em suas águas imediatamente circundantes.


https://www.youtube.com/watch?v=8WHnquQa9Eo&t=6s


“Não estamos de posse do mar”, afirmou Duterte sobre o Mar Ocidental das Filipinas na segunda-feira.


“Eu perguntei ao secretário [de Defesa das Filipinas] [Delfin] Lorenzana: Podemos ir para lá? Podemos enviar nossos navios para as Ilhas Spratly? ”


A cadeia de ilhas Spratly, nas Filipinas, está localizada perto do recife Julian Felipe e também é reivindicada ilegalmente por Pequim.


“É para mostrar aos filipinos que, por mais que voltemos, nada acontece porque não estamos em posse do mar. Eles (os chineses) têm”, disse Duterte.


O secretário de Defesa Lorenzana, que esteve presente durante o discurso de Duterte via Zoom, falou para corrigir o presidente, insistindo que as Filipinas continuam em plena posse do Mar Ocidental das Filipinas.


"Sr. Presidente, não há nenhum obstáculo para irmos lá. Até mesmo nossos navios da Marinha continuam indo para a Ilha de Pag-asa e seus navios lá…. Nossos navios podem ir para lá. Na verdade, nossos navios em Palawan regularmente realizam missões de reabastecimento para as ilhas do Grupo de Ilhas Kalayaan”, disse Lorenzana.


Palawan é uma província das Filipinas localizada perto do recife Julian Felipe. A presença da frota pesqueira da China nas águas do recife desde 7 de março viola diretamente a soberania marítima das Filipinas. Manila entrou com vários protestos diplomáticos contra Pequim, ordenando-lhe a retirada dos navios no mês passado, mas sem sucesso. Os militares filipinos disseram anteriormente que acreditam que a frota pesqueira é operada por membros da milícia chinesa. A China se recusa a mover os barcos e, em vez disso, dobrou sua presença contínua no recife Juan Felipe, reivindicando ilegalmente a soberania sobre a estrutura do mar. Embora a frota tenha se dispersado amplamente do recife nas últimas semanas, as Filipinas acreditam que os navios permanecem dentro dos limites da ZEE do país.


Manila ordenou o aumento das “patrulhas de soberania marítima” perto do recife Julian Felipe e em todo o Mar das Filipinas Ocidental em resposta à incursão, incluindo sobrevoos diários do recife Juan Felipe por caças filipinos. A Marinha e a Força Aérea das Filipinas designaram cerca de uma dúzia de navios e cinco aeronaves adicionais para o Mar das Filipinas Ocidental nesta semana para reforçar as patrulhas de soberania.


Um tribunal arbitral independente estabelecido pela Convenção das Nações Unidas sobre o Direito do Mar (UNCLOS) decidiu em 2016 que as reivindicações de Pequim sobre quase 90% do Mar do Sul da China eram ilegais. A China recusou-se a aceitar a decisão do marco divisório requerido pelas Filipinas, e desde então com suas reivindicações ilegais invadiu quase toda a valiosa hidrovia.


PUBLICAÇÃO ORIGINAL:

https://www.breitbart.com/asia/2021/04/22/philippines-duterte-tells-china-there-other-way-war/

8 views0 comments