Os preços das casas são a melhor pílula anticoncepcional

22/01/2020


- THE EPOCH TIMES -

Tradução César Tonheiro



Uma mulher passa por um cartaz encorajando os casais a terem apenas um filho, ao longo de uma estrada que leva a uma vila nos subúrbios de Pequim. (Goh Chai Hin / AFP / Getty Images)

Menor taxa de natalidade da China em 70 anos, declínio na taxa de casamento


21 de janeiro de 2020 por Olivia Li


A taxa de natalidade da China caiu para o nível mais baixo desde que os comunistas tomaram a China em 1949, e a tendência pode continuar, já que a taxa de casamentos no país também caiu para uma baixa de 12 anos.


Houve 14,65 milhões de nascimentos na China no ano passado, uma queda de 580.000 em relação a 2018, de acordo com um relatório do Bureau Nacional de Estatísticas da China publicado em 17 de janeiro.


A taxa de nascimentos em 2019 de 10,48 nascidos vivos para 1.000 pessoas foi a mais baixa em sete décadas, com exceção de 1961, o último ano de uma grave fome de três anos.


Além disso, o número de registros de casamento foi de 9,471 milhões no ano passado, uma queda de cerca de 668.000 em relação a 2018 e a menor desde 2000, com base em dados divulgados pelo Ministério de Assuntos Civis da China em 19 de janeiro.


Política do filho único


Em 1979, preocupado com a superpopulação, o regime chinês lançou uma medida nacional de controle de natalidade, conhecida como “política do filho único”. Cada casal podia ter apenas um filho, com apenas algumas exceções, como as famílias rurais cujos primeiros nascidos eram meninas, ou famílias cujo primogênitos eram deficientes.


A política foi rigorosamente aplicada, com um “Escritório de Planejamento Familiar” em todos os cantos do país. Aqueles que violaram a regra enfrentaram multas, humilhação, perda de empregos e, muitas vezes, abortos forçados. Se o segundo ou terceiro filho nascesse sem a permissão do governo, teria grande dificuldade em obter uma identificação de residente, o que por sua vez causaria grandes problemas quando a criança quisesse frequentar a escola.


As autoridades reverteram a política do filho único em 2015, quando perceberam que a China estava enfrentando outro problema demográfico - um envelhecimento da população e uma força de trabalho em queda.


Até o final de 2019, o número de chineses com 65 anos ou mais era de 176,03 milhões, ou 12,6% da população total, enquanto o número de pessoas de 16 a 59 anos era de 896,4 milhões, ou 64%.


A mídia estatal chinesa admitiu que as baixas taxas de nascimento e casamento no ano passado se refletem em problemas demográficos e sociais.


Após 36 anos de restrição de nascimento imposta pelo Estado, a faixa etária de filhos diminuiu drasticamente. O desequilíbrio de gênero também se tornou um problema sério devido a abortos seletivos de gênero.


Menos casamentos e mais tarde


Além disso, os jovens se casam mais tarde que os pais e a taxa de divórcio também é muito maior do que os pais. Alguns jovens optam por não se casar, e alguns casais optam por não ter filhos.


Tome como exemplo a cidade de Ningbo, a segunda maior cidade da província de Zhejiang, que é uma das províncias mais desenvolvidas do país. Havia 32.604 casamentos em Ningbo no ano passado, o número mais baixo em quase 30 anos, de acordo com o Ningbo Evening News. Os divórcios atingiram 17.766, um recorde desde 1991.


A idade média do casamento em Ningbo é de 32,6 para homens e 30,6 para mulheres.


"Devido à pressão dos empregos e dos preços [altos] das casas, mais e mais jovens escolhem se casar com idade mais avançada", informou o Ningbo Evening News.


Problemas sociais e alto custo de vida


O comentarista chinês no exterior Wen Xiaogang concorda que as pressões da vida moderna e o alto custo de vida são realmente as principais razões para as baixas taxas de casamento e nascimento.


Falando ao Epoch Times em língua chinesa, Wen apontou que, sob o domínio comunista, a maioria dos cidadãos chineses sente que suas necessidades básicas não são garantidas, porque os benefícios de desemprego e o seguro de saúde são inadequados quando necessários.


Além disso, testemunhando os problemas sociais generalizados, como corrupção, alimentos tóxicos e até roupas tóxicas na China, muitos jovens instruídos sentem que não são capazes de fornecer um bom futuro para uma criança, disse Wen.


Por fim, Wen disse que, influenciados pela doutrinação comunista, alguns jovens não têm senso de responsabilidade. "Eles não querem assumir a responsabilidade de ter uma família e optam por não se casar."


Usuários de mídias sociais expressam pessimismo


Logo após a divulgação dos dados sobre a taxa de natalidade, os internautas chineses postaram muitos comentários, dizendo que nem podem criar um filho, muito menos mais de um.


"Os preços das casas são a melhor pílula anticoncepcional".

"Não podemos comprar uma casa, nem ter um filho."


Estou empobrecido. Receio que, se me casar, meu cônjuge sofrerá a mesma vida empobrecida comigo. Meus pais vão insistir para que eu tenha um filho se eu me casar, mas o filho continuará o ciclo de pobreza. Então, prefiro permanecer solteiro.”


"Acredito que a taxa de natalidade em 2020 será ainda pior."



https://www.theepochtimes.com/chinas-birth-rate-lowest-in-70-years-marriage-rate-also-declining_3210314.html

18 views

© Todos os Direitos Reservados - heitordepaola.online