OS CHINESES ESTÃO DESOVANDO ESTOQUE A PREÇO DE BANANA

27/11/2019


- CNBC -

Tradução César Tonheiro




A economia da China cresceu 6% no terceiro trimestre de 2019 em comparação com o ano anterior, seu ritmo mais lento em cerca de 30 anos, dando outro golpe no crescimento global e sublinhando muitos dos desafios que o presidente Xi Jinping enfrenta.





Todavia o professor de finanças da Universidade de Pequim, Michael Pettis, diz que a taxa de crescimento econômico real na China já está abaixo de 3% e isso não tem impacto nos números publicados do PIB, porque são números políticos e não medem o desempenho real do sistema. "A economia chinesa é extremamente vulnerável ... há um sério problema de dívida na China, uma bomba relógio”, alerta ele (aqui).


OS CHINESES ESTÃO DESOVANDO ESTOQUE A PREÇO DE BANANA — INCLUINDO DUMPING — DE MODO QUE SEGUEM COMPLICANDO A CONCORRÊNCIA DE SIMILARES NACIONAIS.


Lucros industriais da China registram queda mais acentuada em 8 meses


O setor industrial da China está sob pressão nos últimos meses, com a desaceleração da demanda doméstica e as consequências da disputa comercial sino-americana minando os ganhos.


Os lucros das empresas industriais da China diminuíram em seu ritmo mais rápido em oito meses em outubro, acompanhando quedas sustentáveis nos preços e exportações do produtor e ressaltando o momento de desaceleração na segunda maior economia do mundo.

Os lucros industriais caíram 9,9% em outubro, para 427,56 bilhões de yuans (US $ 60,74 bilhões), segundo dados divulgados pelo Bureau Nacional de Estatística na quarta-feira, marcando a maior queda desde janeiro-fevereiro e comparando com um declínio de 5,3% no período.


“A grande queda nos lucros de outubro sugere que a economia real ainda enfrenta muitas dificuldades”, disse Nie Wen, economista do Hwabao Trust de Xangai, acrescentando que as empresas industriais do país enfrentam agora um duplo golpe de queda de preços e custos de financiamento mais altos.


“Espera-se que o crescimento dos lucros permaneça negativo por um período de tempo no futuro, provavelmente levando as autoridades a desvendar mais medidas de estímulo ao crescimento de maneira gradual e contida”.


A queda nos lucros do setor manufatureiro aumentou em outubro, com as margens contraindo-se 4,9% no período janeiro-outubro, em comparação com uma queda de 3,9% nos primeiros nove meses do ano. Enquanto isso, o crescimento do lucro do setor de mineração também foi moderado.


Entre janeiro e outubro, os lucros das empresas industriais caíram 2,9% em relação ao ano anterior, para 5,02 trilhões de yuans, em comparação com uma queda de 2,1% em janeiro de setembro.


O índice de preços ao produtor da China, visto como principal indicador de rentabilidade corporativa, registrou sua queda mais acentuada em mais de três anos em outubro, com os preços das matérias-primas enfraquecendo. O PMI de manufatura oficial do país também mostrou uma contração da atividade pelo sexto mês consecutivo em setembro, com novos pedidos de exportação caindo pelo 17º mês consecutivo.


As exportações da China caíram em termos anuais pela terceira consecutiva em outubro, embora a uma taxa mais lenta que o esperado.


Apesar dos recentes sinais de progresso nas negociações comerciais, há uma crescente incerteza sobre se Pequim e Washington podem chegar a um acordo que adiaria outro aumento nas tarifas dos EUA sobre produtos chineses programados para entrar em vigor em 15 de dezembro.


“Esperamos que o crescimento do lucro industrial permaneça lento, dada a perspectiva de deterioração do crescimento e a incerteza elevada em meio ao conflito comercial EUA-China”, disseram analistas da Nomura em nota aos clientes após o lançamento dos dados.

Com o crescimento em mínimos próximos de 30 anos, o banco central da China recentemente baixou algumas de suas principais taxas de empréstimo, enquanto seu governo se comprometeu a intensificar o apoio ao crédito e reduzir os custos de financiamento para ajudar as partes da economia que têm lutado com financiamentos.


O banco central da China alertou na segunda-feira que os riscos de queda da economia aumenta à medida que o crescimento continua a vacilar, apesar dos vários estímulos fiscais e monetários introduzidos este ano.


Uma pesquisa da Reuters com analistas reduziu o crescimento da China para uma baixa de quase 30 anos em 6,2% este ano e diminuiu para 5,9% em 2020, sublinhando os desafios enfrentados por Pequim.


O passivo das empresas industriais aumentou 4,9% em relação ao ano anterior, para 66,74 trilhões de yuans (US $ 9,5 tri) no final de outubro, comparado com um aumento de 5,4% no final de setembro.


Os lucros do setor privado aumentaram 5,3% em janeiro-outubro, desacelerando de 5,4% em janeiro-setembro.


Os dados cobrem empresas com mais de 20 milhões de yuans em receita anual de suas principais operações.



https://www.cnbc.com/2019/11/27/chinas-industrial-profits-october-2019.html

59 views

© Todos os Direitos Reservados - heitordepaola.online