O plano de controle de armas de Biden 'criminalizaria' até 105 milhões de pessoas

- THE EPOCH TIMES - 23 Fev, 2021 -

JACK PHILLIPS - TRADUÇÃO CÉSAR TONHEIRO -


Uma organização de defesa dos direitos sobre as armas disse que a proposta do presidente Joe Biden para o controle de armas poderia transformar cerca de 105 milhões de proprietários de armas cumpridores da lei em criminosos.



“Embora possamos concordar que há várias mudanças de 'bom senso' e há muito esperadas necessárias às leis de armas de nossa nação, acreditamos firmemente que o caminho a seguir deve ser focado em apoiar e proteger americanos responsáveis e cumpridores da lei - não os criminalizar e punir”, disse a US Concealed Carry Association em uma carta a Biden esta semana.

O grupo - que, de acordo com o site do grupo , tem cerca de 556.000 membros - disse que a pressão do presidente pelo controle de armas no aniversário do tiroteio em massa em Parkland, Flórida, era desnecessária.


“A US Concealed Carry Association existe para ajudar americanos responsáveis a evitar o perigo, salvar vidas e manter suas famílias seguras, e acreditamos que nossos líderes eleitos em Washington têm uma obrigação incrível de buscar esses mesmos objetivos”, acrescentou o grupo.


O grupo observou que, em 2020, um número significativo de pessoas comprou armas de fogo em meio a distúrbios históricos e a pandemia de COVID-19.

O FBI declarou no mês passado que processou um recorde de 39,7 milhões de verificações de antecedentes de armas de fogo em 2020, que superou a alta anterior de 10 milhões. Os relatórios dizem que cerca de 8,5 milhões compraram sua primeira arma de fogo em 2020, de acordo com a Fundação Nacional de Esportes de Tiro. Enquanto isso, vários fabricantes de armas e munições relataram escassez em meio ao aumento da demanda.


Biden disse no início deste mês que pressionaria o Congresso a aprovar mais medidas de controle de armas, incluindo permitir que fabricantes de armas enfrentassem processos, proibindo “armas de assalto” e proibindo revistas de alta capacidade. Sua escolha para procurador-geral, Merrick Garland, disse aos legisladores na segunda-feira que ele apoiaria a posição da Casa Branca sobre o controle de armas.


“Este governo não vai esperar pelo próximo tiroteio em massa para atender a esse chamado. Tomaremos medidas para acabar com nossa epidemia de violência armada e tornar nossas escolas e comunidades mais seguras. Hoje, estou pedindo ao Congresso que promova reformas de bom senso na lei de armas, incluindo a exigência de verificação de antecedentes em todas as vendas de armas, proibição de armas de assalto e carregadores de alta capacidade e eliminação da imunidade para fabricantes de armas que conscientemente colocaram armas de guerra em nossas ruas”, Biden disse no início deste mês.


Grupos pró Segunda Emenda notaram que o termo “arma de assalto” tem um significado nebuloso, com alguns dizendo que é um termo que foi inventado pelo lobby anti-armas na década de 1980. “Fuzil de assalto” é um termo às vezes usado pelos militares para definir um fuzil com capacidade de seleção de tiro ou a capacidade de alternar entre semiautomático ou totalmente automático. Por exemplo, o tão ridicularizado AR-15 não tem capacidade de seleção de tiro e só opera como um rifle semiautomático.


A US Concealed Carry Association acrescentou ainda que "um número recorde de americanos têm comprado armas de fogo para manter a si mesmos e seus entes queridos seguros", acrescentando que "mulheres e minorias estão agora liderando o caminho como os grupos de crescimento mais rápido de portadores de licença de transporte oculto no país."

Funcionários da Casa Branca, além disso, disseram que Biden enfrentaria o maior grupo de defesa dos direitos de armas, a National Rifle Association (NRA).


“Mas direi que o presidente é alguém, ao longo de sua carreira, que defendeu armas inteligentes, medidas de segurança de armas inteligentes”, disse a secretária de imprensa Jen Psaki no início deste mês. “Ele não tem medo de enfrentar a NRA - ele o fez várias vezes.”


A carta foi obtida pela primeira vez pelo Washington Examiner. O Epoch Times entrou em contato com a Casa Branca para comentar.


ARTIGO ORIGINAL:

https://www.theepochtimes.com/biden-gun-control-plan-would-criminalize-up-to-105-million-people-gun-rights-group_3707740.html?utm_source=morningbrief&utm_medium=email&utm_campaign=mb-2021-02-25

9 views0 comments