O grande ditador

31/01/2020


- THE SPECTATOR -

Tradução César Tonheiro



Eis que a história está na iminência de repeteco

https://www.youtube.com/watch?v=sGBCsZJRcAI

A ditadura de Xi não é uma farsa, é uma tragédia 

28 de janeiro de 2020 por Bradley A. Thayer e Lianchao Han - Originalmente publicado no Spectator


Um ditador de sucesso deve ter crueldade, controle, influência e competência. Então, como o líder da China, Xi Jinping, se classifica como ditador? Xi está no poder desde 2012 e, portanto, tem um histórico suficiente para julgamento.


Por crueldade, ele ocupa uma posição de destaque. Os campos de concentração que ele criou para a minoria muçulmana chinesa em Xinjiang e a supressão do movimento em Hong Kong — violando o acordo de 1984 com o Reino Unido — são os exemplos mais tangíveis. O vazamento de novembro de 2019 dos 'Xinjiang Papers', mais de 400 páginas de documentos internos chineses, para o  The New York Times forneceu uma documentação sem precedentes das origens e implementação da repressão contra os muçulmanos de Xinjiang. Xi afirmou que as autoridades não devem 'mostrar absolutamente nenhuma piedade' e pediu uma 'guerra do povo' desencadeando as ferramentas da 'ditadura' para erradicar o Islã radical em Xinjiang. Há evidências documentadas de pelo menos um milhão e talvez até dois milhões de uigures, cazaques e outros muçulmanos em campos de concentração, também chamados de 'campos de reeducação'. Estima-se também que meio milhão de crianças muçulmanas foram separadas de suas famílias. Em resposta, a comunidade internacional condenou o genocídio cultural da China contra os uigures, que também pode ser chamado de crime contra a humanidade.


A crueldade de Xi também foi exibida em Hong Kong, que é formalmente 'uma região autônoma de alto grau da China', quando ordenou a repressão brutal aos manifestantes de Hong Kong que exigiam seus direitos políticos. Isso causou milhares de mortes, feridos, prisões e desaparecimentos — e ainda não acabou. Na China continental, sua opressão afeta todos os aspectos da vida chinesa. Alvos específicos são advogados de direitos humanos — com muitos sofrendo a provação de detenções e prisões arbitrárias — e igrejas. Para demonstrar seu ecumenismo na opressão, Xi demoliu e fechou milhares de igrejas cristãs, prendendo pastores e congregantes.


No controle, ele está claramente acima do topo. Hoje, Xi tem controle absoluto sobre poder, ideologia e recursos. Ele conduziu um expurgo furtivo do partido e instalou seus próprios homens. Como líder do Partido Comunista Chinês (PCC) de quinta geração, Xi não goza da autoridade de Deng, para não mencionar Mao. Xi não possui conquistas militares, mérito burocrático ou conquista notável. Para fortalecer sua posição, Xi está aproveitando as lições de Mao. Os paralelos com Mao que Xi procura traçar são transparentes. Xi está empregando todas as táticas do  Movimento de Retificação Yan'an de 1942-1944, quando Mao estabeleceu seu domínio no partido. Agora ele possui mais de uma dúzia de títulos importantes e, como um bom ditador, recusou-se a compartilhar seu poder. Como Mao, ele lançou uma guerra ofensiva para defender e expandir a ideologia do PCCh. Como conseqüência, em vilarejos e fábricas em todo o país, assim como no PCC e no governo, o partido realizou numerosas sessões de estudo estultificantes e tristes sobre o 'Pensamento Xi Jinping' para reforçar seu controle sobre o partido. Quaisquer opiniões divergentes são consideradas como falando mal do Comitê Central do PCCh e há punição. Também notavelmente, Xi lançou uma grande campanha para erradicar as idéias ocidentais na China, proibindo qualquer discussão sobre valores universais, imprensa livre, sociedade civil, direitos humanos e independência judicial.


Por influência, seus esforços são Stakhanovitas. Xi precisa estabelecer sua autoridade na política internacional como líder de uma superpotência, e ele conseguiu isso. Xi monopoliza a vasta riqueza criada pelo povo chinês e a usou para consolidar e expandir seu poder na China e no exterior. O sucesso econômico da China permitiu que Xi usasse o poder financeiro da China para exportar sua ideologia para o mundo e adquirir influência na política internacional. Para expandir sua influência globalmente, a mensagem de Xi é que o modelo chinês de governança global é superior ao  status quo estabelecido pelo Ocidente, particularmente os anglo-americanos no final da Segunda Guerra Mundial e em seus desdobramentos. Isso sugere que a China é o único país que pode inaugurar uma nova ordem mundial. Xi criou as bases para a aquisição da ordem econômica global pela China. Sua abordagem combina novas idéias ('Sonho da China' e 'O Destino Comum da Humanidade'), políticas, instituições (como o Banco Asiático de Investimento em Infra-estrutura) e projetos maciços (como a Iniciativa do Faixa e Rota [Belt & Road — BRI ou OBOR]) com o objetivo central de reconstituir a ordem mundial liberal, com novas idéias, conceitos e instituições de governança global que mascaram o poder e as ambições hegemônicas da China.


Por competência, nenhuma prata ou bronze para ele: ele recebe o ouro. Muitos zombam do falso doutorado de Xi e afirmam que seu atual nível de escolaridade parou no ensino fundamental, mas, como Mao e Deng, ele demonstrou sua astúcia extraordinária: navegou na intriga do PCCh e derrubou o precedente. Xi claramente pretende permanecer no poder além dos dois mandatos tradicionais desde a aposentadoria de Deng, e provavelmente permanecerá no poder por muitos anos, como Mao e Deng. Xi mudou o pêndulo do domínio oligárquico das últimas duas décadas para o domínio cada vez mais totalitário de um grande líder, conforme a experiência de Mao. Além disso, ele é extraordinariamente aberto, para um líder do PCC, em sua explicação para o público doméstico e internacional por que a China deve dominar.


Como Xi segue os passos de Mao, ele conseguiu o que Mao fez. Segundo todos os relatos, ele é um ditador e, até agora, bem-sucedido. Como Marx observou, a história se repete, a primeira vez é uma tragédia e a segunda uma farsa. Nós alteraríamos isso. Se o ditador é Mao ou Xi, para a China e para o mundo, os dois tempos são uma tragédia.



https://presentdangerchina.org/2020/01/xis-dictatorship-is-a-tragedy-not-a-farce/

57 views

© Todos os Direitos Reservados - heitordepaola.online

  • Facebook
  • Twitter
  • YouTube