O fim dos bons tempos está próximo e máquina chinesa dá ares que irá colapsar

The Epoch Times - Tradução César Tonheiro

11/06/2020




Lutas políticas em exibição enquanto líder e premier chinês dão comentários conflitantes sobre o estado da economia


11 de junho de 2020 por Nicole Hao

Durante uma recente inspeção de vilarejos na região de Ningxia, o líder chinês Xi Jinping enfatizou seu objetivo de a China se tornar "uma sociedade moderadamente próspera". Esse slogan foi cunhado logo depois que ele assumiu o poder em 2012 e é sua principal política econômica.


Xi também escreveu um artigo de 31 de maio na Qiushi, a revista oficial do Partido Comunista Chinês (PCC), de que a China está avançando para alcançar esse objetivo, com “400 milhões de pessoas na classe média”.


Seu padrão para a classe média era: uma renda familiar anual de 100.000 a 500.000 yuanes (14.160 a 70.810 dólares). Mas na China, famílias com várias gerações que vivem sob o mesmo teto não são incomuns.


Enquanto isso, o premier chinês Li Keqiang destacou recentemente a crise de desemprego e pobreza no país, que foi exacerbada pela pandemia do vírus do PCC.


Li disse durante uma reunião da legislatura da China em 28 de maio que 600 milhões de chineses ganham apenas 1.000 yuanes (US $ 140) por mês, o que não é suficiente para pagar o aluguel mensal de um apartamento de um quarto em uma cidade chinesa de tamanho médio. 


Li então promoveu a idéia de estabelecer uma "economia de vendedores ambulantes" para aliviar o aumento do desemprego como resultado da pandemia.


Em 1º de junho, Li disse novamente em um seminário econômico na cidade de Qingdao: "Os desafios que a China está enfrentando são sem precedentes difíceis." Li enfatizou que centenas de milhões de chineses precisam de apoio financeiro.


Após os discursos de Li, a mídia estatal promoveu a economia dos vendedores ambulantes, mas começou a publicar artigos criticando a idéia em 5 de junho.


Desde então, cada governo da província e da cidade forneceu informações conflitantes sobre se os vendedores ambulantes poderiam ou não vender seus produtos.


Os observadores interpretaram as mensagens abertamente contraditórias ultimamente como uma indicação da luta pelo poder entre a facção política de Xi e a de Li.


"Xi e Li brigando entre si em público certamente dificultaram o posicionamento de autoridades de nível inferior", disse Tang Jingyuan, comentarista de assuntos da China com sede nos EUA.

Lutas internas tornam-se públicas


Frank Tian Xie, professor de administração da Universidade da Carolina do Sul Aiken, também leu os comentários de Li como uma repreensão direta a Xi. "Isso mostra que os altos funcionários do Partido Comunista Chinês têm opiniões diferentes e lutam entre si", disse Xie em entrevista.


O comentarista norte-americano Jiang Feng disse em seu programa no YouTube que o comentário de Li sobre 600 milhões de pessoas que vivem com uma renda mensal inferior a 1.000 yuan foi “um tapa na cara de Xi Jinping. Xi disse que a China realizará uma sociedade moderadamente próspera em 2020.”


Tang analisou que, como Li é o principal membro do partido em política econômica, ele seria o culpado pelos problemas econômicos do país.


Enquanto a economia da China continua em declínio, Tang disse que Li não tinha escolha a não ser admitir aos cidadãos chineses que a situação era grave.


“Obviamente, Li não quer assumir a responsabilidade de mentir para o público. Esta é a principal razão pela qual Li anunciou a existência de um número tão grande de pessoas pobres na China”, disse Tang.


Economia chinesa


He Junjiao, um economista chinês baseado na província de Hunan, disse ao Epoch Times em língua chinesa que a economia chinesa está em uma situação crítica, e mesmo a economia dos vendedores ambulantes não pode salvá-la.


"Se um país depende da 'economia de vendedores ambulantes' para sustentar a subsistência das pessoas, o país está à beira da falência ... Por trás da economia de vendedores ambulantes de Li há um desemprego em massa", afirmou.


O regime chinês, em desespero, está convidando as pessoas a se tornarem pequenos empreendedores. "Caso contrário, eles morrerão de fome ou até se revoltarão se não tiverem nada para comer", disse ele.


A Universidade Normal de Pequim conduziu uma pesquisa recente que esclareceu mais sobre a renda média do povo chinês.


A revista chinesa Caixin, com sede em Xangai, informou em 3 de junho que a universidade fez estimativas depois de pesquisar 70.000 pessoas.


“A renda mensal de 547 milhões de chineses, que representa 39,1% da população, é inferior a 1.000 yuan. 52,5 milhões de renda mensal do povo chinês está entre 1.000 e 1.090 yuan (154 dólares). Isso significa que 42,85% da população chinesa ganha menos de 1.090 yuans por mês”, segundo o relatório.


Entre essas pessoas, 5,46 milhões de chineses não têm renda; 216 milhões de chineses ganham menos de 500 yuans (US $ 70) por mês; e outros 200 milhões de renda mensal chinesa são inferiores a 800 yuanes (113 dólares).


O presidente da China Fuyao Glass, uma multinacional fabricante de vidros automotivos, disse uma vez à mídia chinesa que a China tem menos de 300 milhões de pessoas que têm o luxo de comprar produtos não essenciais.


De acordo com os dados mais recentes divulgados pelo Departamento Nacional de Estatísticas da China, a renda média disponível foi de 26.523 yuan (3.753 dólares) para o ano de 2019. A mídia chinesa observou que essa quantia em dinheiro poderia suportar apenas os custos básicos de vida na China.



https://www.theepochtimes.com/political-infighting-on-display-as-chinese-leader-and-premier-give-conflicting-comments-on-state-of-economy_3384853.html

100 views

© Todos os Direitos Reservados - heitordepaola.online

  • Facebook
  • Twitter
  • YouTube