Novo surto de peste suína africana atinge Xinjiang, na China

O ministério da agricultura da China relatou em 5 de abril um surto de peste suína africana na região de Xinjiang marcando a terceira vez que a região detectou casos desde fevereiro.


Porcos são vistos em um curral em uma vila no condado de Linquan, na província de Anhui, China, em 31 de agosto de 2018. (Chinatopix Via AP)

- THE EPOCH TIMES - 6Abr, 2021 -

EVA FU - TRADUÇÃO CÉSAR TONHEIRO -


O ministério da agricultura da China relatou em 5 de abril um surto de peste suína africana na região de Xinjiang marcando a terceira vez que a região detectou casos desde fevereiro.

O surto ocorreu em uma fazenda com 599 porcossob a Xinjiang Production and Construction Corps, uma entidade estatal econômica e paramilitar sob sanções dos EUA por abusos dos direitos humanos na região.


Trinta e três porcos foram infectados e seis morreram, disse o Ministério da Agricultura e Assuntos Rurais em um comunicado. As autoridades locais abateram os suínos vivos restantes na zona afetada e interromperam o transporte de suínos ou produtos relacionados para dentro e para fora da área.


A peste suína africana assola a China desde que surgiu no país em agosto de 2018. A doença mortal forçou a China a sacrificar milhões de porcos e exterminou cerca de 40% do estoque de suínos do país, levando a uma escassez generalizada de carne suína e fazendo os preços dispararem.


O vírus fez várias aparições no continente chinês este ano, incluindo no sul da província de Guangdong, nas províncias de Yunnan e Sichuan no sudoeste e na província central de Hubei.


As recentes rodadas de surtos de peste suína na China reduziram a população de suínos no norte da China em pelo menos 20%, constataramvárias estimativas da indústria .


New Hope Liuhe, o quarto maior produtor da China, também encontrou duas novas cepas de vírus em janeiro que infectaram mais de 1.000 porcos em suas fazendas. Como o vírus pode permanecer contagioso por meses e até anos em alguns produtos, a descoberta levantou a preocupação de novas cepas se espalharem para outras partes do mundo através da carne contaminada.


GM Biotech, uma empresa privada de biotecnologia com sede em Hunan que desenvolve kits de teste para a doença, disse que as novas cepas são "muito difíceis de detectar no estágio inicial da infecção e têm um período de incubação mais longo após a infecção", informou a Reuters no Tempo.



Taiwan, que até agora permaneceu intacta da doença, relatou recentemente um porco morto infectado com a peste suína africana na costa, o que levou a uma rodada de testes de rebanho na área. O porco foi levado para a praia no fim de semana e tinha a mesma cepa de vírus compatível com a que circulava na China.


No final de março, a mídia chinesa também relatou que dezenas de carcaças de suínos foram encontradas perto da Mongólia Interior. A causa das mortes permanece desconhecida.


Em fevereiro, Hong Kong abateu 3.000 rebanhos em uma fazenda depois que oito suínos testaram positivo para o vírus da peste suína africana. A maioria dos porcos infectados veio da China continental, de acordo com autoridades de Hong Kong.


PUBLICAÇÃO ORIGINAL:

https://www.theepochtimes.com/fresh-african-swine-fever-outbreak-hits-chinas-xinjiang_3765100.html

14 views0 comments