MILHARES DE CIENTISTAS NORTE-AMERICANOS VENDEM PESQUISAS PARA A CHINA, DIZ RELATÓRIO

18/11/2019


- THE EPOCH TIMES -

Tradução César Tonheiro




A China pagou mais de 7.000 cientistas e outros especialistas americanos na última década através do seu Thousand Talents Plan (TTP) [Plano de Mil Talentos]  para entregar suas pesquisas, de acordo com um relatório da subcomissão do Senado tornado público em 18 de novembro.


O TTP é apenas um dos cerca de 200 programas chineses de “recrutamento de talentos”. Embora pagos pela China, esses cientistas também receberam financiamento do governo dos EUA. Os contribuintes dos EUA gastaram centenas de bilhões para financiar pesquisas e desenvolvimento que acabaram na China, segundo o relatório.


Assessores do Congresso que informaram os repórteres sobre o relatório deram exemplos do que os cientistas ligados ao TTP fizeram. Em um exemplo, um pesquisador do Departamento de Energia dos EUA baixou mais de 30.000 arquivos sem autorização e os levou para a China.


Em outro exemplo, nos Institutos Nacionais de Saúde, um cientista redirecionou a pesquisa de um laboratório nos Estados Unidos para fazê-lo em uma instituição chinesa.


Às vezes, os cientistas transferiram a propriedade intelectual para a China, enquanto em outros casos criaram laboratórios-sombra na China para replicar simultaneamente seu trabalho nos EUA.


Pequim obteve ainda mais sucesso com seu “recrutamento de talentos” do que esperava, segundo os assessores. Embora seu objetivo original fosse recrutar 2.000 pesquisadores dos EUA através do TTP, ele atraiu mais de 7.000 até 2017.


O TTP é gerenciado de perto pelo Departamento de Organização do Comitê Central do Partido Comunista Chinês , que controla as designações de mais de 90 milhões de funcionários do Partido em todos os níveis de governo.


O relatório é um passo importante para entender como a pesquisa financiada pelos EUA contribuiu para a ascensão global da China, disseram os assessores do Congresso. O relatório foi criado pelo Subcomitê Permanente de Investigações da Comissão de Segurança Interna e Assuntos Governamentais, presidido pelo senador Rob Portman (R-Ohio).


Ele se concentrou em como o TTP da China comprometeu os pesquisadores de várias agências americanas e descobriu que essas agências faziam pouco para evitar o problema.


Muito se sabia sobre o TTP porque as autoridades chinesas publicaram detalhes selecionados sobre o programa em sites oficiais. Mas quando as autoridades americanas começaram a prestar muita atenção ao programa em 2018, os sites do governo chinês excluíram as referências online do TTP, incluindo uma lista de nomes dos cientistas participantes.


FBI demorou a agir, afirma relatório


O relatório foi especialmente crítico ao FBI, que recebeu informações sobre membros do TTP e outros planos de recrutamento de talentos em 2016. O FBI levou quase dois anos para coordenar a disseminação dessas informações para agências federais de concessão de subsídios, disseram os assessores.


Como resultado, o relatório declarou que Pequim teve "a oportunidade de recrutar pesquisadores e cientistas norte-americanos ... incluindo 70 ganhadores e acadêmicos do Prêmio Nobel".


Detalhes adicionais sobre a lenta resposta do FBI foram redigidos a partir do relatório, mas o documento acrescentou que a agência "continua sem um programa nacional coordenado de alcance para combater a ameaça representada pelos planos de recrutamento de talentos [da China]".


O documento do subcomitê também criticou os departamentos de Energia, Comércio e Estado. Ele disse que os funcionários da Energy identificaram centenas de membros da TTP trabalhando em posições dentro do departamento.


As autoridades do Departamento de Estado não "acompanham os programas de recrutamento de talentos da China e raramente negam (menos de 5%) os pedidos de visto de cidadãos chineses com possíveis vínculos com roubo de propriedade intelectual", afirmou o relatório.

Funcionários

do Departamento de Comércio aprovaram um número significativo de cidadãos chineses para trabalhar em tecnologias americanas sensíveis. O subcomitê analisou 2.000 indivíduos e descobriu que 20 eram membros de programas de recrutamento de talentos, mais de 150 tinham vínculos com universidades chinesas com militares da China e mais de 60 estavam associados à Academia Chinesa de Ciências.


O FBI e outras autoridades federais serão interrogadas em 19 de novembro durante uma audiência aberta do subcomitê.



https://www.theepochtimes.com/thousands-of-us-based-scientists-sell-research-to-china-report-says_3150130.html

© Todos os Direitos Reservados - heitordepaola.online