Maioria dos americanos apoia tarifas dos EUA sobre produtos chineses, revela pesquisa

- THE EPOCH TIMES - Frank Fang - TRADUÇÃO CÉSAR TONHEIRO - 25 ABR, 2022 -


A maioria dos eleitores registrados nos EUA em todo o espectro político apoia políticas comerciais duras contra a China, de acordo com uma nova pesquisa da empresa global de dados Morning Consult.



“Os eleitores acreditam que impor tarifas à China é uma maneira eficaz de proteger as indústrias e os trabalhadores americanos”, diz a pesquisa ( pdf ), que entrevistou 2.005 eleitores registrados de 29 a 31 de março.


A pesquisa foi realizada pela Coalition for a Prosperous America, um grupo comercial e organização de defesa. Os resultados da enquete foram anunciados em 22 de abril.


Dos entrevistados 73% apoiam o governo dos EUA usando remédios comerciais contra a China. Essa crença foi mantida em todas as linhas partidárias: 76% dos republicanos, 71% dos democratas e 70% dos independentes. Apenas 10% se opuseram.


Quando perguntados se apoiam o governo dos EUA que continua a impor tarifas da Seção 301 à China, 71% dos entrevistados foram a favor, com os republicanos mostrando maior apoio (78%) do que democratas ou independentes (68% cada). Apenas 8% se opuseram.


As tarifas da Seção 301 são baseadas na investigação do governo Trump de 2018 que descobriu que a China estava envolvida em práticas comerciais ilegais, incluindo subsídios governamentais excessivos e roubo de propriedade intelectual, que levaram à guerra comercial sino-americana. As tarifas da era Trump permaneceram em vigor, incluindo tarifas de 25% sobre cerca de US$ 250 bilhões em produtos chineses.


A pesquisa também descobriu que 61% dos eleitores são mais propensos a apoiar um candidato político a um cargo federal que apóia Washington impondo tarifas à China quando há uma ameaça a uma indústria dos EUA ou a trabalhadores americanos. Pelo contrário, 12% disseram que são menos propensos a apoiar tal candidato, e 26% não opinaram.


A pesquisa mostrou que os americanos “querem acabar com a dependência do país das fábricas na China”, escreveu Michael Stumo, CEO da Coalition for a Prosperous America, em um artigo de opinião publicado pelo Casper Star-Tribune em 22 de abril.


“Os americanos são a favor de tarifas sobre a China”, escreveu ele. “E assim, o Congresso deve rejeitar os esforços para enfraquecer as leis comerciais dos EUA ou permitir falsas exclusões tarifárias”.


Ele acrescentou: “É hora de trazer de volta a fabricação americana por meio de uma lei robusta anti-China que defenda os trabalhadores e fabricantes da América”.


A pesquisa também fez várias perguntas diferentes aos entrevistados, incluindo se eles acham que a China deve continuar recebendo o status comercial de “nação mais favorecida” (sigla em inglês MFN).


Em resposta, 60% disseram que se opõem à China desfrutando de tal status comercial, incluindo 67% republicanos, 60% independentes e 52% democratas.


O ex-presidente Bill Clinton sancionou a Lei de Relações EUA-China de 2000, dando à China sua designação MFN enquanto preparava o caminho para a adesão de Pequim à Organização Mundial do Comércio. A designação abriu o mercado dos EUA para produtos chineses com vantagens comerciais, como tarifas reduzidas. O status comercial agora é conhecido como relações comerciais normais permanentes (sigla em inglês PNTR).


Em março, o deputado Chris Smith (RN.J.) apresentou legislação ( HR7193 ) para acabar com o status de PNTR da China como punição por suas atrocidades de direitos humanos. Se promulgado, o projeto de lei exigiria uma confirmação anual do presidente dos EUA de que o regime chinês está fazendo progressos significativos na melhoria de seu histórico de direitos humanos para alcançar o status comercial normal.


Dos entrevistados 61% apoiam a proibição do governo dos EUA de empresas chinesas dos mercados de capitais dos EUA que foram sancionadas por Washington ou que não cumpriram as leis dos EUA. 19% se opõem à proibição.


Um candidato a um cargo federal com tal posição no acesso aos mercados de capitais dos EUA é bem recebido pela maioria dos entrevistados. 65% disseram que são mais propensos a apoiar tal candidato, com os republicanos (72%) mais propensos do que os democratas (64%) ou independentes (60%).


Frank Fang é um jornalista baseado em Taiwan. Ele cobre notícias na China e em Taiwan. Ele possui mestrado em ciência dos materiais pela Universidade de Tsinghua, em Taiwan.


PUBLICAÇÃO ORIGINAL >


7 views0 comments