London Metals Exchange (LME) caindo em descrédito

- FINANCIAL TIMES - Neil Hume , Hudson Lockett , Eleanor Olcott e Gloria Li - TRADUÇÃO E INTRODUÇÃO CÉSAR TONHEIRO - MAR 11, 2022 -

A London Metals Exchange (LME) atua no mercado futuro de commodities desde o século 16 e comercializa principalmente metais básicos como alumínio, aço e níquel. Desde 2012, a LME é propriedade da Hong Kong Exchanges and Clearing (HKEX), e controla quase integralmente o conselho, porém Hong Kong agora é administrada pelo PCCh e tem por compromisso proteger as empresas chinesas. Quando o preço do níquel quase dobrou em uma hora no dia 8 de março, imaginava-se que seria alguma falha técnica e não o resultado dos fundamentos do mercado. No entanto, rapidamente começaram a surgir notícias de que uma grande mineradora chinesa, a Tsingshan Holding, havia feito uma enorme aposta de que os preços cairiam.


“Agora, aproximando-se de duas semanas de negociação mínima devido a paralisações regulares do mercado, a LME e a HKEX estão perdendo credibilidade rapidamente, pois parece que estão interrompendo as negociações para proteger uma empresa chinesa efetivamente falida. Os traders de todo o mundo podem tolerar muito risco e volatilidade, mas não negociam onde não sentem que são tratados de forma justa.” (detalhes aqui).

Nota: Engana-se quem imagina que existe empresa privada chinesa, tudo no comunismo chinês pertence ao Estado. Fulano, beltrano e sicrano, deve ser visto como pseudo-magnata, pois é apenas um membro do PCCh.


Segue o féretro...


Para entender por que Xiang Guangda é considerado o Steve Jobs dos metais, veja uma foto aérea do Parque Industrial Morowali, na ilha indonésia de Sulawesi. É aqui que o empresário chinês construiu um vasto complexo fabril que é uma prova de seu domínio da indústria global de aço inoxidável.


“Xiang é um visionário”, diz Kenny Ives, ex-chefe de negociação de níquel da Glencore. “O sucesso de Tsingshan na China e na Indonésia nos últimos 10 a 15 anos é extraordinário.”

No entanto, hoje o bilionário está no centro das atenções por outro motivo – uma enorme aposta errada que interrompeu o comércio global de níquel e mergulhou a Bolsa de Metais de Londres em turbulência. Na terça-feira, pouco depois das 8h, a bolsa de 145 anos foi forçada a parar de negociar seu contrato de referência de níquel depois que o preço mais que dobrou para mais de US$ 100.000 a tonelada.


No centro do drama estava Xiang e sua empresa Tsingshan Holding Group, a maior produtora mundial de níquel e aço inoxidável. Ao longo de vários meses, o magnata acumulou uma enorme aposta de que o preço do níquel cairia, mas quando o mercado mudou bruscamente para o outro lado após a invasão da Ucrânia, ele ficou exposto a perdas de potencialmente bilhões de dólares.


A Rússia é um dos maiores fornecedores mundiais de níquel, que é usado na fabricação de aço inoxidável e também nas baterias que alimentam os veículos elétricos (EVs). Os comerciantes temem que as sanções possam interromper o fornecimento.


Atingido pela demanda por dinheiro extra de seus corretores, Xiang foi forçado a fechar parte de sua posição comprando contratos da LME. Mas sua compra só serviu para aumentar ainda mais os preços até que a bolsa foi finalmente forçada a agir. O comércio de níquel continua suspenso e não está claro quando será retomado.


“Nossas posições e operações não têm problemas”, disse Xiang ao provedor de notícias financeiras Yicai Global esta semana. “Tsingshan é uma excelente empresa chinesa.” A empresa se recusou a comentar esta história.


No entanto, mesmo enquanto Xiang está sentado em enormes perdas de papel, ele não está disposto a desistir de sua aposta, de acordo com pessoas com conhecimento da situação. Ele garantiu promessas de crédito de bancos chineses e ocidentais para atender a novas demandas de dinheiro de seus corretores e pode receber apoio de Pequim para fechar sua posição vendida.


O magnata que ficou conhecido como "Big Shot" (“o cara”, vulgo mandachuva), nasceu em uma família da classe trabalhadora em Wenzhou, uma cidade movimentada na província costeira de Zhejiang, conhecida por transformar alguns dos empresários mais famosos da China.


De acordo com relatos da mídia chinesa, ele conseguiu seu primeiro emprego consertando máquinas em uma pescaria estatal, onde foi garantido o trabalho sob o sistema de emprego "tigela de arroz de ferro" da China antes das reformas econômicas de Deng Xiaoping. No final da década de 1980, ele se juntou a milhões que deixaram seus empregos estatais para iniciar negócios – no caso dele, foi uma fábrica de janelas e portas para montadoras estatais que lhe rendeu seu “primeiro balde de ouro”.


Em entrevista a uma emissora local em 2015, Xiang relembrou uma revelação que teve durante uma viagem de negócios à Alemanha em 1992: A BMW e Mercedes-Benz não terceirizavam suas portas e janelas – elas as fabricavam. Voltando-se para a produção doméstica e correndo contra o relógio, focou na produção de aço inoxidável, onde viu uma oportunidade para os produtores domésticos afastarem a China de sua dependência do metal importado.


Em um discurso de 2020, ele expôs as razões do sucesso de sua empresa: “Tsingshan não mudou”, disse ele. “Somos os mesmos que éramos há 30 anos. Usamos as mesmas roupas, saímos com o mesmo carro e vamos para a linha de frente.” O próprio Xiang prefere tênis e camisas de botão listradas em tons de branco e vermelho.


A família de Xiang emergiu como uma das dinastias industriais mais poderosas de Zhejiang, com um vasto império comercial que inclui participações em empresas de comércio, educação e siderurgia. O Hurun Report, que acompanha a riqueza dos indivíduos mais ricos da China, estima seu patrimônio líquido em cerca de US$ 4,1 bilhões com base em sua participação na Tsingshan, que emprega 75 mil pessoas e tem uma receita anual de US$ 40 bilhões, segundo a Fortune.


“Em meados dos anos 2000, eles eram um pequeno produtor de aço inoxidável em Wenzhou. No ano passado, eles foram responsáveis por quase 1/4 da produção global”, diz um analista de metais. “Eles passaram do nada para, de longe, o maior jogador.”


Conhecidos descrevem Xiang como “despretensioso”, mas “extremamente conhecedor” de sua indústria. A decisão de investir na Indonésia pouco antes de o país anunciar planos para proibir as exportações de minério de níquel em 2014 se mostrou astuta. Os traders foram inicialmente desdenhosos, dizendo que Xiang havia subestimado os riscos. Mas não pela primeira vez ele provou que eles estavam errados. Um bom relacionamento com Luhut Binsar Pandjaitan, o general do exército considerado o braço direito do presidente da Indonésia, Joko Widodo, teria facilitado o caminho.


Apesar de todo o seu sucesso, Xiang tem uma fraqueza, dizem profissionais do segmento: “O cara tem um calcanhar de Aquiles, que você costuma ver entre as pessoas de sucesso na China: ele adora apostar”, disse um especialista em níquel. “Acho que ele sentiu que era a parte mais informada do mercado. . . e queria negociar com isso.”


Apesar disso, poucas pessoas estão preparadas para descartá-lo. “As pessoas mais trabalhadoras da China são wenzhouneses”, disse Xiang em um relatório de 2015. “Enquanto uma pessoa for exposta à cultura agitada de Wenzhou, ela terá um impulso para fazer alguma coisa”.


PUBLICAÇÃO ORIGINAL >


Acesse a minha HOME PAGE, para assistir meus vídeos e ler meus livros: https://www.heitordepaola.online/




7 views0 comments