IT´S MY WAY OR THE HUAWEI

03/12/2019


- REUTERS -

Tradução César Tonheiro



Casa Branca considera expulsar Huawei do sistema bancário dos EUA


03.12.2019 por Alexandra Alper


WASHINGTON (Reuters) - O governo Trump considerou banir a Huawei da China do sistema financeiro dos EUA no início deste ano como parte de uma série de opções de políticas para frustrar a gigante dos equipamentos de telecomunicações na lista negra, segundo três pessoas familiarizadas com o assunto.


O plano, que acabou sendo arquivado, pedia a colocação da Huawei Technologies [HWT.UL], o segundo maior produtor mundial de smartphones, na lista do Treasury Department’s Specially Designated Nationals (SDN).


Uma das pessoas familiarizadas com o assunto, que é a favor da mudança, disse que ela poderá ser retomada nos próximos meses, dependendo de como vão as coisas com a Huawei.


O plano foi considerado pelo Conselho de Segurança Nacional da Casa Branca e visto pelas autoridades como uma opção nuclear no topo de uma escada de ferramentas políticas para sancionar a empresa, disseram duas pessoas. Essa designação pode tornar praticamente impossível para uma empresa concluir transações em dólares americanos.


Oficiais do governo redigiram um memorando e realizaram reuniões interagências sobre o assunto, de acordo com uma das pessoas, mostrando até que ponto os oficiais do governo ponderaram a implementação da ferramenta de sanção mais agressiva dos Estados Unidos contra a empresa chinesa.


Seu uso foi apresentado em favor de outras medidas, como colocar a Huawei em uma lista negra comercial, o que força alguns fornecedores a obter uma licença especial para vender a ela.


A Huawei não respondeu a um pedido de comentário. Um porta-voz do Tesouro disse que a agência "não comenta investigações ou ações em potencial, inclusive para confirmar se existe alguma".


A Huawei estaria entre as maiores empresas já incluídas na lista, que inclui a russa Rusal, a segunda maior empresa de alumínio do mundo, oligarcas russos, políticos iranianos e traficantes de drogas venezuelanos.


Annie Fixler, perita em cibernética da equipe de especialistas da Fundação para a Defesa das Democracias, disse que designar a empresa "teria implicações amplas e difundidas para a Huawei em todo o mundo", observando que seus negócios seriam "severamente impactados" na Europa e na Ásia fora da China.


O governo dos EUA apresentou acusações criminais contra a Huawei, alegando roubo de segredos comerciais, fraude bancária, violações das sanções dos EUA contra o Irã, e tentou convencer os aliados a proibi-la de redes 5G por medo de espionagem.


Mas colocar a empresa na "lista SDN" significaria uma série de dificuldades logísticas, diplomáticas e econômicas para o governo dos EUA.


A designação proíbe empresas ou cidadãos americanos de negociar ou realizar transações financeiras com aqueles listados e congela ativos mantidos nos Estados Unidos.


A adição da Huawei, portanto, martelaria aliados dos EUA que já confiam na empresa para suas redes 4G, uma vez que quase todos os pagamentos em dólar são liberados pelas instituições financeiras dos EUA.


O Tesouro poderia conceder licenças para isentar bancos americanos envolvidos nessas transações. Mas, em geral, evitou fazê-lo, preocupado com o fato de muitas exceções embotar a força da ferramenta, disseram especialistas.


O tamanho da Huawei, com dezenas de subsidiárias, complicaria significativamente os esforços de imposição e execução, disseram especialistas.


"Quanto maior a entidade, mais difícil é a administração dos EUA prever e se preparar para os principais efeitos, estrangeiros e domésticos, que colocá-la na lista SDN pode causar", disse Matthew Tuchband, ex-funcionário do Tesouro que acrescentou ser necessário considerar esse cuidado antes de designar uma empresa do tamanho da Huawei.


O secretário do Tesouro, Steve Mnuchin, que é visto por muitos falcões da China como simpatizante de Pequim, raramente supervisiona o uso da ferramenta contra a China, e prefere mirar num punhado de chineses que atuam no tráfico de fentanil e violações das sanções contra a Coréia do Norte e Irã.


No entanto, alguns legisladores ainda consideram que a Huawei deve ser considerada.

"Dado o esforço incansável da Huawei para dominar o cenário 5G, é uma das ameaças de segurança nacional mais urgentes que o mundo livre enfrenta", disse o congressista republicano Michael Gallagher.


"Todas as opções devem estar em cima da mesa para impor pressão máxima", acrescentou.



https://www.reuters.com/article/us-huawei-tech-usa-treasury-exclusive/exclusive-white-house-considered-kicking-huawei-out-of-u-s-banking-system-sources-idUSKBN1Y717U

© Todos os Direitos Reservados - heitordepaola.online