Incêndios em instalações de processamento de alimentos levantam preocupações

- THE EPOCH TIMES - Nicholas Dolinger - TRADUÇÃO CÉSAR TONHEIRO - 27 ABR, 2022 -

Trabalhadores deixam a fábrica de processamento de carne suína da Tyson Foods em Logansport, Indiana, em 7 de maio de 2020. (Michael Conroy/AP Photo)

Na quinta-feira, 21 de abril, um pequeno avião caiu em um complexo de processamento de alimentos da General Mills em Covington, Geórgia. O avião colidiu com quatro trailers em uma área isolada a várias centenas de metros da fábrica principal logo após decolar do aeroporto de Covington, matando o piloto e o passageiro, mas deixando os funcionários da General Mills ilesos.



Tomado isoladamente, o incidente é normal, exceto pela tragédia pessoal das duas mortes envolvidas. No entanto, o incidente é estranhamente semelhante a um acidente de avião que aconteceu apenas alguns dias antes, em 13 de abril, quando um avião colidiu com uma planta de processamento de batatas e alimentos de Idaho.


Alguns observadores foram mais longe e conectaram esses eventos com relatos recentes de incêndios e outros acidentes em várias instalações de processamento de alimentos, levantando preocupações de que tais acidentes possam causar grandes problemas para uma cadeia de suprimentos da indústria de alimentos já sob pressão significativa.


Anedotas de tais acidentes industriais nos últimos anos são fáceis de encontrar. Em agosto passado, ocorreu um incêndio em uma instalação de processamento de carne na Geórgia, deixando a fábrica incapacitada. Dois incidentes no Oregon também despertaram alarme: uma explosão de caldeira na fábrica da Shearer's Foods em 22 de fevereiro e um incêndio que destruiu a sede da distribuidora de alimentos orgânicos Azure Standard em 19 de abril.


A prevalência desses acidentes é fácil de exagerar: das mais de 36.000 instalações de processamento de alimentos e bebidas nos Estados Unidos, esses acidentes ocorreram apenas em algumas dezenas no ano passado. Incêndios e avarias de máquinas são comuns na indústria, e estes acidentes esporádicos na maioria das vezes apenas incapacitam temporariamente as instalações onde ocorrem.


Mesmo assim, alguns expressaram preocupação de que esses acidentes imponham um ônus especial à cadeia de suprimentos de alimentos em um momento em que a indústria é especialmente vulnerável. Mahesh Veerina, CEO da empresa de tecnologia da cadeia de suprimentos ParkourSC, diz que a indústria enfrentou desafios únicos no passado recente.


“A cadeia de suprimentos de alimentos e bebidas passou por alguns choques sem precedentes nos últimos anos que forçaram a indústria a enfrentar algumas realidades duras”, disse Veerina ao Epoch Times. “Com 1,6 bilhão de toneladas de alimentos sendo desperdiçados a cada ano, a resiliência da cadeia de suprimentos e a capacidade de antecipar fatores adversos, corrigir o curso em tempo real e recuperar rapidamente agora são extremamente importantes para continuar atendendo às crescentes demandas dos clientes por entrega mais rápida e satisfação do cliente.”


À medida que a cadeia de suprimentos de alimentos sofre com os efeitos persistentes dos bloqueios do vírus do PCC (Partido Comunista Chinês), esses acidentes, por mais anedóticos, não estão fazendo nenhum favor a um sistema já sob pressão. Desastres como incêndios, explosões e acidentes aéreos são altamente dispendiosos e prejudiciais à eficiência do sistema, levantando alarmes de que qualquer prevalência crescente desses acidentes poderia ameaçar o abastecimento doméstico de alimentos e causar escassez evitável.


Nicholas Dolinger é repórter de negócios do Epoch Times e criador do podcast "The Beautiful Toilet".


PUBLICAÇÃO ORIGINAL >

https://www.theepochtimes.com/fires-at-food-processing-facilities-raise-concerns_4429285.html

14 views0 comments