Geração Z diz não ao trabalho, sim à dívida

- THE EPOCH TIMES - John Mac Ghlionn - TRADUÇÃO CÉSAR TONHEIRO - 17 MAI, 2022 -

O site da Amazon é visto em Dandenong, Austrália, em 5 de dezembro de 2017. (Quinn Rooney/Getty Images)

A geração Z está deixando o local de trabalho em grande número. Ao mesmo tempo, ela está se endividando cada vez mais.


Você certamente conhece o “compre agora, pague depois” (sigla em inglês BNPL), um tipo de financiamento de curto prazo que permite ao consumidor comprar algo imediatamente e pagar depois. O modelo BNPL aumentou em popularidade nos últimos anos e 39% dos americanos experimentaram o BNPL pelo menos uma vez.


Em 2020, de acordo com o Departamento de Proteção Financeira da Califórnia (sigla em inglês DFPI), 91% dos empréstimos ao consumidor emitidos pelo estado foram empréstimos BNPL.


A flexibilidade financeira oferecida é realmente atraente – talvez um pouco atraente demais. Nos Estados Unidos, os membros da Geração Z, também conhecida como geração TikTok, são os maiores usuários dos serviços BNPL. Isso não deve surpreender. O BNPL atingiu a maioridade quando as compras online estavam ganhando força; nenhuma geração é tão ativa online quanto a Geração Z. Esses nativos digitais passam uma média de 2 horas e 43 minutos online todos os dias; que funciona em mais de três dias inteiros por mês. Isso é um monte de navegação e swiping (uso do cartão de crédito).


De todas as plataformas de mídia social, o TikTok é o mais popular entre a geração Z (daí o apelido de geração TikTok). Para a Geração Z, o Instagram está perdendo seu apelo. O TikTok, por outro lado, está crescendo em popularidade. Só nos Estados Unidos, possui 80 milhões de usuários mensais, 60% dos quais são mulheres.


Preocupante, porém, muitos influenciadores no TikTok estão empurrando a narrativa do BNPL. Por causa disso, milhões de Gen Zers estão comprando coisas de que não precisam; pior ainda, estão acumulando enormes dívidas no processo.


Em um artigo recente para o SFGATE, o escritor Joshua Bote discutiu as inúmeras maneiras pelas quais “a Geração Z, em particular, se apaixonou por empréstimos de curto prazo”. Isso é problemático em muitos níveis, argumentou ele, especialmente quando se combina “empréstimos quase instantâneos com uma cultura de mídia social influenciada por influenciadores que prioriza gastos exorbitantes e normaliza dívidas”.


De fato. No momento, você está a apenas alguns cliques de comprar um item ou serviço que provavelmente não precisa.


Afirmo, um dos líderes do mercado BNPL assinou recentemente um lucrativo contrato com a Amazon. A razão pela qual a Amazon assinou o acordo é relativamente simples: o BNPL incentiva as pessoas a gastar mais. Nos Estados Unidos, 60% dos Gen Zers têm uma conta Amazon Prime. Em 2019, a Amazon ultrapassou a Apple como a marca favorita da Geração Z. Talvez isso ajude a explicar por que essa geração em particular está gastando mais do que outras gerações – muito mais.


De acordo com o mencionado Bote, a geração Z está atualmente “gastando 925% a mais” hoje do que no mesmo período de 2020.


Numerosos artigos foram escritos sobre os bons hábitos de dinheiro da Geração Z; eles economizam escrupulosamente, nos dizem. Na verdade, porém, a média da geração Z está se afogando em dívidas. Deveras eles têm a maior dívida média total por geração.


Enquanto os membros da Geração Z continuam com os “gastos de vingança” (um fenômeno que faz os consumidores correrem para compensar todas as compras que não puderam fazer durante o bloqueio do COVID-19), eles fariam bem em se perguntar quem exatamente está recebendo tal vingança? Alerta de spoiler: a resposta é ninguém além de você mesmo.


O aumento do BNPL e os “gastos de vingança” ocorrem simultaneamente, pois a Geração Z está ocupada interrompendo o local de trabalho. 56% da geração Z prefeririam estar desempregados do que deixar um emprego interferir em suas vidas pessoais. Esta geração tem sonhos, grandes sonhos, mas não sonha em trabalhar. Esta é a geração que inspirou a onda de abandono do ano passado.


Como se espera que realmente pague por bens e serviços sem uma fonte de renda? Isso pode soar como uma pergunta óbvia a ser feita. No entanto, às vezes o óbvio precisa ser perguntado.


Embora a geração do milênio, minha própria geração, não seja exatamente um exemplo brilhante, a geração Z parece ser ainda menos resiliente. Um pensamento assustador, eu sei. Afinal, o que é mais frágil do que um floco de neve? A falta de resiliência está intimamente associada a uma saúde mental mais precária; uma pessoa menos resiliente é mais propensa a lutar contra a depressão e a ansiedade. Não surpreendentemente, os membros da Geração Z estão lutando com ambos.


Isso nos traz de volta ao fenômeno BNPL que varre o país. Em 2025, o mercado BNPL poderá valer até US$ 760 bilhões. À medida que um número crescente de Gen Zers continua a utilizar os serviços BNPL, é mais provável que vejamos um aumento ou diminuição nos problemas de saúde mental?


Um aumento, então reflita. Pessoas com dívidas sérias são mais propensas a sofrer de estresse e aumentar os pensamentos suicidas. O suicídio é agora a segunda principal causa de morte para a Geração Z.


Para concluir, estar endividado é coisa de pesadelo; leva a noites sem dormir e ansiedade sem fim. Portanto, antes de fazer um “empréstimo instantâneo”, faça a si mesmo estas três perguntas: Vale a pena? Eu preciso disso? Tenho meios para pagar o que é devido? Se a resposta a qualquer uma dessas perguntas for não, então, sob nenhuma circunstância, aproveite o empréstimo.


As opiniões expressas neste artigo são as opiniões do autor e não refletem necessariamente as opiniões do Epoch Times.


John Mac Ghlionn é pesquisador e ensaísta. Seu trabalho foi publicado pelo New York Post, The Sydney Morning Herald, Newsweek, National Review e The Spectator US, entre outros. Ele cobre psicologia e relações sociais, e tem um grande interesse em disfunção social e manipulação de mídia.


PUBLICAÇÃO ORIGINAL >

https://www.theepochtimes.com/gen-z-says-no-to-work-yes-to-debt_4457565.html

47 views0 comments