FRAUDES APARECENDO: C0VID-I9: Mulher Morcego comete fraude em suas publicações de 2013 a 2020

- THE EPOCH TIMES - 28 JUN, 2021 - Jeff Carlson e Hans Mahncke - Tradução César Tonheiro -

Cientistas ofuscaram fonte de vírus semelhante ao COVID-19 armazenado no Laboratório de Wuhan


O vírus chamado RaTG13 foi descoberto em uma mina abandonada em Mojiang, Yunnan, há quase 10 anos


Shi Zheng-li, diretora do Instituto de Virologia de Wuhan, é o fio condutor através do qual muitos projetos-chave de pesquisa e experimentos de ganho de função em coronavírus estão conectados.

O virologista chinês Shi Zhengli é visto dentro do laboratório P4 em Wuhan, capital da província chinesa de Hubei, em 23 de fevereiro de 2017. (Johannes Eisele / AFP via Getty Images)

Seu trabalho mostra um padrão curioso de fraude rastreado em suas publicações de 2013 a 2020, nas quais foi ocultada uma fonte importante para o coronavírus intimamente relacionada ao COVID-19.


Em 2002, um surto de um novo coronavírus chamado SARS resultou na morte de 774 pessoas em todo o mundo. As investigações rapidamente estabeleceram que o vírus se espalhou de morcegos para civetas e depois para as pessoas.


O surto de SARS viria a traçar a carreira de Shi, passando da pesquisa de campo para o trabalho em laboratórios de biossegurança de nível 2 antes de culminar em experimentos de ganho de função no primeiro e único laboratório de nível 4 em Wuhan — China.


Sua busca pela origem do surto de SARS começou em 2004, quando ela se juntou a uma equipe internacional de pesquisadores para coletar amostras de morcegos no sul da China.

As primeiras pesquisas e trabalhos de Shi foram capturados em um artigo de 2005 no qual ela relatou que “essa espécie de morcego é um hospedeiro natural de coronavírus intimamente relacionado aos responsáveis pelo surto da SARS”.


Shi e sua equipe continuariam a busca pela fonte do surto desde 2002 e as amostras coletadas por sua equipe foram enviadas de volta à Wuhan para análise e posterior experimentação.


Em 12 de dezembro de 2007, Shi e sua equipe publicaram um artigo no Journal of Virology que mostrou como os vírus podem ser manipulados para infectar e atacar células humanas usando um pseudovírus baseado em HIV. Este experimento, financiado pela Academia Chinesa de Ciências, foi a primeira indicação de que o laboratório Wuhan de Shi estava adquirindo as tecnologias e habilidades necessárias para manipular vírus coletados na natureza.


Em junho de 2010, Shi foi co-autora de um artigo mostrando que sua equipe havia se baseado nos experimentos de 2007, manipulando amostras adicionais de vírus de morcego e testando suas interações com as proteínas S SARS-CoV humanas. Eles descobriram que "a alteração de vários resíduos-chave diminuiu ou aumentou a eficiência do receptor ACE2 do morcego". O estudo foi novamente financiado pela Academia Chinesa de Ciências.


Em 2011 e 2012, Shi e sua equipe realizaram uma “pesquisa longitudinal de 12 meses” de uma colônia de morcegos-ferradura “em um único local na cidade de Kunming, província de Yunnan, China”. Este único local era a Caverna Shitou.


Enquanto Shi e sua equipe ministravam a pesquisa na caverna Shitou, um grupo não relacionado de seis trabalhadores começou a limpar excrementos de morcego de uma escavação de mina de cobre em Mojiang, Yunnan — a aproximadamente 320 quilômetros de distância do grupo de Shi — de acordo com The Sunday Times.


Em abril de 2012, de acordo com o Wall Street Journal, esses seis trabalhadores ficaram gravemente enfermos de uma doença semelhante à pneumonia que resultou na morte de três dos homens. Notavelmente, todos os relatórios públicos afirmam que a atividade na mina foi abandonada, mas nenhum desses mesmos relatórios explica por que os seis mineiros estavam lá para limpar a escavação.


Não houve menção à mídia sobre esse surto estranho e isolado e, como observa o Sunday Times, “parece ter havido um blecaute na mídia” em torno de todo o incidente.


Shi e sua equipe, fortuitamente já na região durante este novo surto, mudaram abruptamente seu foco e localização e passaram os próximos dois anos coletando amostras de morcegos localizados na mina em Mojiang.