"Força para o Bem Global': Líderes do Quad se reúnem na Casa Branca contra a ameaça da China

- THE EPOCH TIMES - Andrew Thornebrooke - Tradução César Tonheiro - 24 SET, 2021 -

O presidente dos EUA, Joe Biden (C), promove uma cúpula com líderes do Quad junto com o primeiro-ministro indiano Narendra Modi, o primeiro-ministro australiano Scott Morrison e o primeiro-ministro japonês Suga Yoshihide no Salão Leste da Casa Branca em 24 de setembro de 2021 em Washington, DC. Os quatro líderes devem discutir uma série de tópicos, incluindo mudança climática, vacinas Covid-19 e uma região livre e aberta do oceano Indo-Pacífico. (Imagens Pool / Getty)

O presidente Joe Biden sediou a primeira cúpula presencial dos líderes do Diálogo de Segurança Quadrilateral, coloquialmente conhecido como "Quad", em 24 de setembro, durante o qual o grupo saudou seus esforços para melhorar o estado de direito no Indo-Pacífico em meio à crescente assertividade do regime chinês na região.

Altos funcionários da administração Biden anunciaram na quinta-feira que o grupo criaria novos grupos de trabalho para lidar com questões relacionadas ao espaço e à segurança das cadeias de suprimentos globais, bem como coordenar projetos vitais de segurança cibernética.

“Esta reunião de parceiros democráticos que compartilham uma visão de mundo e uma visão comum para o futuro está se unindo para enfrentar os principais desafios de nossa época”, disse Biden durante uma entrevista coletiva na Casa Branca antes da cúpula. “Somos quatro grandes democracias com uma longa história de cooperação. Sabemos como fazer as coisas e estamos à altura do desafio.”

A cúpula aconteceu cerca de uma semana depois que Estados Unidos, Austrália e Grã-Bretanha anunciaram uma nova aliança de segurança com foco na região do Indo-Pacífico, que é amplamente vista como um esforço para conter Pequim.

O primeiro-ministro Narendra Modi da Índia disse que o Quad "desempenhará o papel de uma força para o bem global".

As palavras do primeiro-ministro vieram quando o fortalecimento dos laços e a crescente influência do Quad causou tensões com Pequim, onde a crescente animosidade do Partido Comunista Chinês (PCC) levou a uma série de campanhas de desinformação destinadas a diminuir a confiança internacional no fórum.

Combatendo as ameaças do PCC

Altos funcionários da administração Biden disseram em 23 de setembro que o Quad estabeleceria um grupo de trabalho sobre questões espaciais e um "grupo de alto nível" para tratar de recursos e tecnologias específicas projetadas para reforçar a resiliência cibernética contra ataques, possivelmente em conjunto com o Departamento de Estado dos EUA.

Esses esforços se tornaram cada vez mais importantes para a segurança internacional, dizem os analistas, à medida que o PCCh tenta alcançar a paridade nuclear com os Estados Unidos, continua seu desenvolvimento de armas anti satélite e se envolve em atos de espionagem cibernética.

“Temos um grande esforço de segurança cibernética em andamento com o Departamento de Estado que será aprimorado no nível de liderança”, disse um alto funcionário do governo Biden em uma chamada à imprensa sobre o Quad.

“Vamos tentar tomar medidas para reforçar a resiliência da infraestrutura crítica contra ameaças cibernéticas — algo que atormenta todos os nossos quatro países.”

John Mills, ex-diretor de política, estratégia e assuntos internacionais de segurança cibernética do Departamento de Defesa, disse que o maior enfoque na proteção da infraestrutura crítica seria um acréscimo bem-vindo aos esforços do Quad tanto nacional quanto internacionalmente.

“Essa é uma boa notícia”, disse Mills ao Epoch Times. “A infraestrutura crítica é onde temos que melhorar.”

Mills observou que os esforços de compartilhamento de informações, treinamento e exercícios conjuntos e segurança da infraestrutura crítica foram essenciais para a segurança da comunidade internacional, após vários ataques cibernéticos recentes contra a infraestrutura crítica dos Estados Unidos, incluindo gás natural e agricultura.

Especificamente, Mills espera que as iniciativas anunciadas resultem na adesão da Índia e da Austrália ao exercício anual de segurança cibernética Locked Shields, organizado pelo Centro de Excelência de Defesa Cibernética Cooperativa da OTAN na Estônia.

“O Japão já tem um status elevado em Blindados Bloqueados”, disse Mills. “Devemos garantir que a Índia e a Austrália também participem.”

Por enquanto, não está claro qual será a forma do trabalho de alto nível sobre cibersegurança, mas poderia incluir altos funcionários cibernéticos do governo, como o diretor cibernético nacional Chris Inglis, o diretor de cibersegurança da Agência de Segurança Nacional, Rob Joyce, e o consultor adjunto de segurança nacional para cibersegurança emergente de tecnologia Anne Neuberger.

Ao todo, Mills espera que os esforços marquem um fortalecimento da diplomacia eficaz por parte dos Estados Unidos.

“O que os parceiros internacionais amam e esperam é a liderança dos EUA, não dar palestras”, disse Mills. “Eles querem manifestações tangíveis e acionáveis de nossos acordos. Eles não querem uma conversa abstrata.”

Livre e aberto Indo-Pacífico

Embora a China não tenha sido especificamente mencionada pelos líderes, ela teve grande destaque em sua declaração de abertura, particularmente na ênfase do Quad em garantir um Indo-Pacífico livre e aberto — uma região onde Pequim tem exercido seu poderio militar e econômico.

“Este evento demonstra a forte solidariedade entre nossas quatro nações e nosso compromisso inabalável com a visão de um Pacífico livre e aberto”, disse o primeiro-ministro Yoshihide Suga, do Japão.

O primeiro-ministro australiano, Scott Morrison, enfatizou que os quatro países são “democracias liberais que acreditam em uma ordem mundial que favorece a liberdade”.

As palavras dos líderes ressaltaram observações anteriores de que a natureza multilateral do trabalho do Quad era necessária para o sucesso das nações democráticas em todos os lugares, e que o caráter internacional do diálogo era em si uma visão alternativa à diplomacia orientada para a soberania do PCCh.

Casey Fleming, CEO da empresa de risco estratégico e inteligência BlackOps Partners, disse ao Epoch Times que a cúpula foi um primeiro passo crucial para fortalecer todas as nações democráticas contra as ameaças cibernéticas do PCCh e outros.

“O Quad Leaders Summit é um excelente começo”, disse Fleming. “Mas também deve trabalhar para incluir imediatamente todos os países democráticos para responder efetivamente à estratégia de guerra híbrida irrestrita usada por nossos adversários.”

“É imperativo que todas as democracias se alinhem contra a aliança estratégica existente entre China, Rússia, Irã e Coréia do Norte contra as nações democráticas do mundo”, disse Fleming. “Os grupos de trabalho de alto nível do Quad devem se expandir para coordenar todas as facetas de segurança cibernética, estratégia, risco, inovação e proteção à propriedade intelectual.”

Uma aliança global de nações democráticas contra a ditadura pode estar longe, mas Biden e seus colegas no Quad sinalizaram que essa coalizão de amplo alcance ainda pode estar em jogo.

Durante uma declaração conjunta que antecedeu a cúpula, Biden e Morrison sublinharam que seu trabalho era uma mensagem universal de solidariedade para o mundo.

“Nossa parceria está em linha com todas as outras democracias do mundo”, disse Biden.

“E temos muito trabalho a fazer.”

Andrew Thornebrooke é um repórter freelance que cobre questões relacionadas à China com foco em defesa e segurança. Ele tem mestrado em história militar pela Norwich University e é o autor do boletim informativo Quixote Hyperdrive.

PUBLICAÇÃO ORIGINAL:

https://www.theepochtimes.com/a-force-for-global-good-quad-leaders-meet-at-white-house-against-backdrop-of-china-threat_4015674.html


Para acessar o Conteúdo acima: https://www.heitordepaola.online/


8 views0 comments