Filme promocional de defesa russo mostra avião militar explodindo navio de guerra chinês

THE EPOCH TIMES - Jessica Mao e Olivia Li - TRADUÇÃO CÉSAR TONHEIRO - COMENTÁRIOS HEITOR DE PAOLA E CÉSAR TONHEIRO - 18 NOV, 2022


O verdadeiro inimigo da Rússia é o PCCh, diz especialista

Um caça furtivo chinês J-20 do Exército Popular de Libertação (PLA) se apresenta no Airshow China 2022 em Zhuhai, na província de Guangdong, no sul da China, em 8 de novembro de 2022. (CNS/AFP via Getty Images)

Bem, o que fica claro é o que eu sempre acreditei: não existe, e nunca existirá, parceria estratégica real entre Rússia e China, a tal "Eurasia" dos sonhos de inverno do delirante Dugin. A Rússia está manobrando muito bem entre China e Índia, inimigas mortais. Putin sabe muito bem pular entre uma e outra ao sabor dos reais interesses Russos. A Índia, por sua vez, também sabe pular entre Rússia e o Ocidente (UE, USA, UK). Narendra Modi é tão vivo quanto Putin, e Xi, exatamente pelos poderes totalitários que conseguiu, já não vive mais neste mundo real e se acha o Imperador do Mundo (assim eram os Imperadores Chineses, pois muito pouco conheciam do mundo real, viviam isolados na Cidade Proibida e nem da China real sabiam muita coisa). Basta ver o esporro que Xi deu naquela coisinha estranha que governa o Canada e que se mixou completamente, dando mais gás aos delírios do Xi.


A China tem realmente muitos conhecimentos ancestrais, mas a Índia também, talvez até mais, inclusive são os campeões universais em metalurgia que praticam há mais de 5.000 anos. Talvez os Indianos tenham o pensamento mais profundo de todos os povos não Cristãos.

HEITOR DE PAOLA -


Muitíssimo obrigado Heitor, sua explanação acrescentou muito em entendimento sobre aquelas potências regionais. Pelo andamento das coisas, o Xi atravessou o samba e logo se encontrará em palpos de aranha. Breve estará sentindo os efeitos dos esteróides anabolizantes que vem tomando em excesso desde que foi guindado a imperador.

CÉSAR TONHEIRO -


 



A Rússia costumava ser o jogador dominante no show aéreo bienal da China. No entanto, na recente 14ª Exposição Internacional de Aviação e Aeroespacial da China, a Rússia manteve um perfil discreto e suas duas equipes de show aéreo estiveram ausentes este ano. Além disso, uma empresa de defesa russa exibiu um filme publicitário no qual um avião militar russo explodiu um navio de guerra chinês.


A exibição de seis dias, que começou em 8 de novembro em Zhuhai, província de Guangdong, atraiu a atenção do público em meio à guerra russo-ucraniana em andamento.


A mídia estatal Global Times informou em 10 de novembro que o estande da Rosoboronexport - a única organização estatal na Rússia que exporta toda a gama de produtos, serviços e tecnologias militares de uso duplo - era muito menor do que antes, que tinha “ uma exibição de vídeo para mostrar o caça furtivo Su-57E desenvolvido pela Rússia, o caça super manobrável Su-35, o caça-bombardeiro Su-34E, etc.”


A equipe de demonstração acrobática Russian Knights and Swifts da força aérea russa, que costumava ser a que mais chamava a atenção no show aéreo de Zhuhai, não participou este ano. A força aérea do Exército Popular de Libertação da China foi a única demonstração de voo no show.


No 11º show aéreo de Zhuhai em 2016, a Rússia teve uma presença maior. A mídia estatal chinesa fez um grande alarde antes mesmo do início do show aéreo em 1º de novembro daquele ano.


De acordo com a Agência de Notícias Xinhua da China, 49 empresas russas da indústria de defesa e de uso duplo participaram da feira, com mais de 220 equipamentos militares em exibição.

Caças russos Su-27 e MiG-29 sobrevoam a Praça Vermelha em Moscou, Rússia, em 9 de maio de 2016. (Kirill Kudryavtsev/AFP via Getty Images)

A equipe de demonstração acrobática Russian Knights, formada em abril de 1991, fez sua primeira viagem à China no segundo show aéreo do país em 1998 e desde então participou em 2000, 2006, 2012, 2014 e 2016. A equipe de demonstração acrobática Swifts, formada em Maio de 1991, juntou-se ao Knights in China's airshow desde 2004.


As duas equipes tiveram um show de formação mista no show aéreo de Zhuhai 2016, o primeiro fora da Rússia.


Analista: Força Aérea Russa danificada na Guerra da Ucrânia


O comentarista chinês de assuntos atuais, Chen Baokong, analisou as razões por trás da participação discreta da Rússia em seu programa no YouTube em 13 de novembro.


Ele disse que a comunidade internacional ridicularizou os aviões de combate e a força aérea da Rússia por causa de seu fraco desempenho na guerra da Ucrânia. Portanto, a Rússia não tinha a confiança que tinha antes para exibir sua força militar no show aéreo da China.


“Aviões de combate russos foram exterminados em grande número pelas forças da Ucrânia, então a Rússia se sente humilhada”, disse Chen. “Além disso, a força aérea da Rússia tem lutado no campo de batalha da Ucrânia; certamente não tem capacidade para participar do show aéreo de Zhuhai. Em outras palavras, a verdadeira razão por trás da participação discreta da Rússia no show aéreo é que ela foi duramente atingida na Guerra Russo-Ucraniana.”


A força aérea da China exibiu seus caças furtivos J-16 e J-20. Alguns analistas comentaram que isso indica que a China está superando a Rússia em força militar.

No entanto, Chen apontou que, no passado, o regime chinês estava relutante em exibir sua aeronave militar porque seu caça J-16 é uma imitação do caça Su-30 da Rússia. A China temia entrar em disputas de propriedade intelectual com engenheiros russos, disse ele.


Em um vídeo exibido pelo expositor russo no show aéreo de Zhuhai, um caça russo MiG-29 lançou um ataque de míssil antinavio contra um navio de guerra chinês, que instantaneamente explodiu em chamas.


Um meio de comunicação militar online chinês comentou sobre o vídeo: “À primeira vista, era apenas um vídeo publicitário comum gerado por computador, mas quando você olha mais de perto o 'navio inimigo' bombardeado, por que parece tão familiar? Descobriu-se que o navio de guerra que estava sendo bombardeado era o contratorpedeiro 052D da China.”


“Esta cena é realmente muito estranha. Afinal, China e Rússia [são] parceiros estratégicos”, dizia o artigo.


O autor afirmou que a Índia estava envolvida no filme. “Alguns dizem … o exibidor russo terceirizou a produção do filme publicitário para uma empresa indiana. Em outras palavras, o lado indiano deliberadamente substituiu o navio-alvo do ataque do caça russo por um navio de guerra fabricado na China”.


No entanto, o jornal indiano Eurasia Times negou a afirmação em uma reportagem de 11 de novembro, dizendo que a cena do vídeo foi um erro cometido pelo exibidor russo e não tinha nada a ver com a Índia.


A esse respeito, Chen comentou que era impossível que a empresa russa não revisasse o vídeo promocional antes da exibição.


“Mas aqui está o que a Rússia significa”, disse ele. “A Rússia deixou claro no filme que o verdadeiro inimigo que deseja destruir é o Partido Comunista Chinês. O Partido Comunista Chinês afirma que seu 052D é um navio de guerra de primeira classe, mas Moscou insinua que não é páreo para o esforço de guerra russo”.


De acordo com Chen, a Rússia exibiu deliberadamente o vídeo no show aéreo para enviar uma mensagem ao regime chinês: primeiro, a Rússia não está feliz com a China copiando sua tecnologia; em segundo lugar, a Rússia está deixando a comunidade internacional saber que seu verdadeiro inimigo não são os Estados Unidos ou a Ucrânia, mas o Partido Comunista Chinês.


Jéssica Mao é uma escritora do Epoch Times com foco em tópicos relacionados à China. Ela começou a escrever para a edição em chinês em 2009.


ORIGINAL >

https://www.theepochtimes.com/russian-defense-promotional-film-shows-military-plane-blowing-up-chinese-warship_4871367.html

24 views0 comments