Exim Bank

- THE EPOCH TIMES - Set 10, 2020 -

Emel Akan - Tradução César Tonheiro -



Os EUA precisam aumentar o financiamento às exportações para enfrentar a China, afirma Ross, Secretário do Comércio 10 de setembro de 2020 por Emel Akan 

WASHINGTON - Os Estados Unidos precisam fortalecer sua agência de crédito à exportação para enfrentar as "ambições da China de deslocar empresas americanas em setores estratégicos", disse o secretário de Comércio Wilbur Ross em 10 de setembro. Falando na conferência anual virtual do Banco de Exportação e Importação dos EUA (Exim), Ross enfatizou a importância do provedor de crédito à exportação na luta  dos desafios econômicos e de segurança nacional contra China.

Em todo o mundo, existem atualmente 115 agências oficiais de crédito à exportação [inclusive o BNDES-Exim], contra 85 há quatro anos. Todos os provedores de crédito em todo o mundo, de acordo com Ross, foram reformados nos últimos 30 anos para serem muito mais competitivos.

No entanto, o Exim está atrasado e “deve evoluir de maneira semelhante”, disse ele. Em dezembro, o presidente Donald Trump sancionou uma lei  reautorizando sete anos de Exim, a maior extensão ao longo dos 86 anos da agência. A lei estabeleceu um novo “Programa sobre a China e Estratégia para Exportações” que visa os subsídios à exportação chinesas em todo o mundo.

O programa estabelece a meta de reservar  20%  da autorização de financiamento Exim, quase US $ 27 bilhões, para apoiar as empresas americanas que competem diretamente com as exportações da China. O programa visa aumentar as exportações de bens e serviços feitos nos Estados Unidos em certas tecnologias avançadas, incluindo inteligência artificial, biotecnologia, energia renovável, semicondutores e 5G.

Ross disse que a China Export Credit and Insurance Corp. (Sinosure) forneceu US $ 481 bilhões em crédito à exportação de curto prazo em 2019, em comparação com US $ 2 bilhões fornecidos pelo US Exim Bank. O banco americano perdeu quorum em seu conselho de administração em 2015 e não conseguiu aprovar grandes transações por quase quatro anos.

A reautorização do banco resolveu a questão do quorum, estabelecendo um conselho temporário  na ausência do número necessário de membros do conselho confirmados pelo Senado.

“Vamos apoiar o novo programa do Exim para combater o mercantilismo chinês e frustrar as ambições daquela nação de deslocar empresas americanas em setores estratégicos”, disse Ross.

“Devemos rever todas as políticas que nos tornam menos competitivos com nossos pares em todo o mundo. Devemos encontrar maneiras de fornecer financiamento de exportação para nossas indústrias de tecnologia mais importantes, como IA, biotecnologia, computação avançada, semicondutores e tecnologias financeiras. ”

Os exportadores dos EUA sofreram um impacto significativo com a desaceleração do comércio global causada pelo vírus PCC, comumente conhecido como o novo coronavírus. Em resposta, o Exim intensificou seus programas para ajudar as empresas que enfrentam problemas de envio, dificuldades de pagamento, problemas de liquidez ou outras interrupções de negócios causadas pela pandemia.

Como parte dos esforços de socorro, a agência de exportação estabeleceu um programa temporário de financiamento-ponte para ajudar os compradores estrangeiros a obter financiamento de curto prazo para suas compras de bens e serviços dos EUA. O programa se destina a abordar as opções de crédito escassas por causa da pandemia.

O banco também expandiu seus programas existentes de capital de giro e financiamento da cadeia de suprimentos para ajudar os exportadores a navegar em tempos turbulentos. Os esforços de alívio da agência de crédito à exportação ocorrem em um momento em que seguradoras do setor privado ou bancos descontinuaram ou reduziram o financiamento comercial devido a questões de incerteza e liquidez.


Falando na conferência, o Dep. Andy Barr (R-Ky.) Disse que propôs uma legislação para aumentar a porcentagem de financiamento de 20% para 33% para apoiar as empresas americanas que competem diretamente com as exportações da China. Ele também propôs aumentar o teto da taxa de inadimplência de 2% para 5%. “Queremos que o Exim seja agressivo na busca de negócios e em suas transações e em sua postura para obstar a Belt and Road Initiative da China”, disse ele. O Banco de Exportações e Importações da China, sozinho, forneceu mais de  US $ 149 bilhões  em empréstimos para mais de 1.800 projetos de Iniciativa de Estradas e Correias nos últimos anos.


ARTIGO ORIGINAL: https://www.theepochtimes.com/wilbur-ross-us-needs-to-boost-export-financing-to-take-on-china_3495641.html

© Todos os Direitos Reservados - heitordepaola.online

  • Facebook
  • Twitter
  • YouTube