Europa se Prepara para um Tsunami de Migrantes Afegãos

- GATESTONE INSTITUTE - 30 AGO, 2021 - Soeren Kern - Tradução: Joseph Skilnik -

A tomada do Afeganistão pelo Talibã está prestes a desencadear uma onda jamais vista de migrantes afegãos rumo à Europa. Foto: candidatos a asilo afegãos desembarcam de um avião destinado à evacuação do Afeganistão, na base aérea Torrejon de Ardoz na Espanha, em 24 de agosto de 2021. (Foto: Pierre-Philippe Marcou/AFP via Getty Images)
  • O ministro do Interior alemão, Horst Seehofer, estima que um contingente humano de até cinco milhões de pessoas tentarão deixar o Afeganistão rumo à Europa.

  • "Sou categoricamente contra o acolhimento de outro contingente de migrantes. Isso não acontecerá enquanto eu for chanceler. Receber pessoas que depois não conseguem se integrar é um monumental problema para nós como país." — Chanceler da Áustria Sebastian Kurz.

  • "Na qualidade de ministro do Interior, sou o responsável nº1 pelas pessoas que vivem na Áustria. Acima de tudo, isso significa proteger a paz social e o estado de bem-estar no longo prazo." — Ministro do Interior da Áustria Karl Nehammer.

  • "Temos plena convicção que 2015 não deveria se repetir. Não temos condições de resolver o problema do Afeganistão com a migração para a Alemanha." — Paul Ziemiak, secretário geral do partido União Democrata Cristã (CDU) da Chanceler Alemã Angela Merkel.

  • Criminosos afegãos, entre eles estupradores e traficantes de drogas, que haviam sido deportados para o Afeganistão agora voltaram para a Alemanha em voos destinados à evacuação. Logo após o desembarque em solo alemão, de pronto solicitaram asilo.

  • "Nosso país não será o portão de entrada para a Europa de migrantes afegãos ilegais." — Ministro da Migração e Asilo da Grécia, Notis Mitarachi.

  • "Faz-se necessário lembrar aos nossos amigos europeus o seguinte fato: a Europa, que virou o centro de atração de milhões de pessoas, não pode ficar fora do problema dos refugiados afegãos fechando cruelmente suas fronteiras para proteger a segurança e o bem-estar de seus cidadãos. A Turquia não tem nenhuma obrigação, responsabilidade ou dever de ser o armazém de refugiados da Europa." — Presidente da Turquia Recep Tayyip Erdoğan.

A tomada do Afeganistão pelo Talibã está prestes a desencadear uma onda jamais vista de migrantes afegãos rumo à Europa, que se ajeita para a chegada de centenas de milhares em potencial, quem sabe até milhões, de refugiados e migrantes do país devastado pela guerra.


O ministro do Interior alemão, Horst Seehofer, manifestou mau agouro, ao estimar que um contingente humano de até cinco milhões de pessoas tentarão deixar o Afeganistão rumo à Europa. Tal legião de migrantes, caso se confirme, fará a crise migratória de 2015, quando mais de um milhão de pessoas da África, Ásia e Oriente Médio se encaminharam para a Europa, parecer ser fichinha se comparada a esta.


Desde 2015, cerca de 570 mil afegãos, quase exclusivamente rapazes, solicitaram asilo na União Europeia, de acordo com estimativas da própria UE. Em 2020, o Afeganistão foi o segundo maior núcleo de candidatos a asilo na UE, ficando atrás apenas da Síria.


Os afegãos, muitos dos quais que tiveram extrema dificuldade em se assimilar ou se integrar na sociedade europeia, foram responsáveis por centenas, senão milhares, de ataques sexuais contra mulheres e meninas europeias nos últimos anos. A chegada à Europa de outros milhões de afegãos pressagia considerável convulsão social batendo na porta.


LEIA MAIS:

https://pt.gatestoneinstitute.org/17705/europa-migrantes-afegaos


Para acessar o Conteúdo acima, acesse a Home Page aqui. https://www.heitordepaola.online/


6 views0 comments