EUA vs China não está descartado

04/04/2020


- NATIONAL INTEREST -

Tradução César Tonheiro


As conseqüências da pandemia para a China e o mundo


A China é incapaz de retornar ao status quo antes do surto. Para resolver isso, na era pós-pandêmica na China, a camarilha de Xi Jinping, que governa o país, passará a se concentrar na segurança de seu regime abalada pela pandemia, a fim de evitar um colapso sistêmico a todo custo.


4 de abril de 2020 por Bradley A. Thayer e Lianchao Han


As conseqüências da pandemia de coronavírus são profundas e está a impor pesado sofrimento para  o resto do mundo. Existem cinco implicações significativas da crise para a China e o mundo.


Primeiro, o comportamento imprudente da China resultou em uma imagem muito negativa do PCCh. Está desacreditado e visto com desconfiança por seu próprio povo, assim também pelo resto do mundo. A China não tem como retornar ao status quo antes do surto. Para resolver isso, na era pós-pandêmica na China, a camarilha de Xi Jinping, que governa o país, passará a se concentrar na segurança de seu regime abalada pela pandemia, a fim de evitar um colapso sistêmico a todo custo.


Como resultado, é provável que o PCCh volte a um reinado maoísta de repressão. Eles implementarão tolerância zero a qualquer dissidência. Um elemento da estratégia de Xi em resposta ao surto parece ser a militarização acelerada do estado, implementando um sistema de controle militar internamente e provocando conflitos militares externamente. Sinais recentes indicam que Xi Jinping iniciou um programa nacional de mobilização militar em meio à pandemia, que inclui a inscrição obrigatória por todos os alunos do ensino médio para o serviço militar e coloca os generais que ele promoveu na liderança provincial, isso sinaliza que ele tenta se apoderar do poder para evitar sua culpabilidade e responsabilidade pelo desastre, pois é atormentado por problemas em casa e no exterior. Assim como a Alemanha antes da Primeira Guerra Mundial, ele promoverá o social-imperialismo, criando um inimigo como os Estados Unidos para incitar o nacionalismo. Além disso, como o PCCh fez no passado, esperamos que ele siga o ditado de que "a melhor defesa é um bom ataque". Ou seja, provocar conflitos militares para criar tensões externas e desse modo enfrentar o desafio das contradições domésticas e internacionais do regime e desviar a atenção das pessoas da pandemia, acabando por realizar seu "sonho chinês de rejuvenescimento nacional". 


Segundo, a camarilha de Xi intensificará sua guerra ideológica contra o povo chinês e o resto do mundo. O aparato de propaganda da China continuará sua campanha para recriar a imagem e a narrativa de que Xi é um líder decisivo, herói nacional, salvador do mundo e, portanto, líder natural, e que a China não fez nada de errado, em vez disso, foram os EUA que minaram os esforços antipandêmicos globais liderados pela China. Eles [membros do regime] falsificarão suas contribuições para acabar com a pandemia e apontarão o fracasso dos sistemas de saúde nas democracias para provar que o modelo de governança da China é realmente superior. Eles usarão big data e inteligência artificial  (IA), trabalho de frente unida e outras bocas pagas para censurar críticas e discursos desfavoráveis à China e espalhar informações erradas sobre os EUA e seus valores. Especificamente, a China difamará o presidente Trump e o retratará como um fracasso, e incapaz de liderar o mundo. A recente cúpula do G-20 é um bom exemplo. A mídia chinesa criou a ilusão de que era uma reunião real, não uma videoconferência, realizada em Pequim. Xi sediou a cúpula e fez o único discurso notável em seu esforço para liderar o mundo na luta contra a pandemia. Também não ficaríamos surpresos se as operações secretas ainda não estivessem em andamento para garantir que Trump não seja reeleito.


Terceiro, o mundo entrará em uma recessão econômica e reorganizará a ordem econômica, e a cadeia de suprimentos global [desglobalização] é inevitável. A China enfrentará dificuldades econômicas sem precedentes. A camarilha de Xi terá que estabilizar a economia doméstica e lidar com a onda de falências de fábricas e desemprego em massa, à medida que mais empregos na indústria retornarem aos Estados Unidos e outros estados. Ele recorrerá à economia planejada de Mao, fortalecerá o monopólio das empresas estatais de todos os setores, reduzirá a participação de mercado do setor privado, reforçará o controle estatal sobre a economia de mercado e retirará os ativos dos ricos para ajudar o partido. A China continuará mirando na indústria de alta tecnologia para tentar ultrapassar os Estados Unidos e vencer a guerra econômica. Mesmo que sua presença no mercado dos EUA diminua bastante, o regime usará os países do Belt and Road Initiative (BRI) para sitiar os EUA.


Quarto, aprendemos por observar os meandros na China e como essa pandemia também criou uma oportunidade estratégica para o PCCh. Embora a China tenha sofrido mortes significativas, perdas econômicas e danos à legitimidade e à reputação, a China também quer continuar avançando em seus objetivos. Tradicionalmente, o PCCh depende de exportações de táticas revolucionárias e infiltração para derrotar seus inimigos. Mas desta vez, a pandemia oferece uma nova opção para sua estratégia de guerra ilimitada ou irrestrita contra os Estados Unidos e o Ocidente, levando em conta que a agitação causada pela pandemia pode devastar um inimigo sem sequer disparar um tiro. A essência dessas observações é que, uma vez que o PCCh certamente descobriu o vírus  no início de dezembro de 2019, ele desenvolveu uma estratégia para proteger o regime por atribuir culpa a inimigos externos, e continuar a promover seus interesses na política internacional, mesmo dentro do contexto do vírus.

Quinto, através dessa pandemia, o mundo agora pode traçar o contraste entre uma sociedade democrática e a China do PCC. O governo Trump e outros devem traçar o contraste entre o comportamento dos chineses e dos Estados Unidos, que revela princípios políticos profundamente diferentes, respeito pelos direitos humanos e concepções radicalmente divergentes de ordem internacional. Nenhuma ordem internacional estável pode ser construída pelo PCC; qualquer ordem construída pelo PCC será uma hierarquia inflexível, com a China no topo. Por outro lado, apesar de todas as suas vantagens, o PCCh se preocupa particularmente com a forma como os Estados Unidos irão contra a China pelos danos causados pelas ações do PCCh e pela má conduta dessa pandemia. O desespero da China deixará o PCC ansioso e muito preocupado com a sua sobrevivência. Assim, o mundo deve esperar que a China se torne mais repressiva, agressiva e confrontadora após a pandemia.


Assim, como resultado da diferença, a pandemia oferece uma oportunidade para os Estados Unidos estabelecerem o contraste entre sua sociedade e a China do PCCh. A causa da pandemia é a China, as soluções serão encontradas no resto do mundo, lideradas em grande parte pelos Estados Unidos. Pela primeira vez desde a SARS, a China tem sido a causa de um problema global imediato e agudo. A natureza desse problema é epidemiológica e a próxima crise gerada pela China pode ser militar e envolvida no confronto de armas. O mundo não pode confiar na China como uma força positiva e estável para a ordem internacional. Os Estados Unidos não têm escolha a não ser se preparar para a próxima etapa do confronto sino-americano e vencê-lo.


Bradley A. Thayer é professor de Ciência Política na Universidade do Texas em San Antonio e é co-autor de Como a China vê o mundo: Han-Centrism e o equilíbrio de poder na política internacional . Você pode seguir Thayer no Twitter em @ thayerhan1. Lianchao Han é vice-presidente de Iniciativas de Poder do Cidadão para a China. Após o Massacre da Praça da Paz Celestial em 1989, o Dr. Han foi um dos fundadores da Federação Independente de Estudantes e Acadêmicos Chineses. Ele trabalhou no Senado dos EUA por doze anos, como consultor legislativo e diretor de políticas para três senadores. 


https://nationalinterest.org/feature/consequences-pandemic-china-and-world-140632

© Todos os Direitos Reservados - heitordepaola.online