EUA iludidos sobre ameaça apresentada pela China: Centro de Políticas de Segurança

- THE EPOCH TIMES - Hannah Ng e Jan Jekielek Sr. - TRADUÇÃO CÉSAR TONHEIRO - 29 AGO, 2022 -

Frank Gaffney, presidente executivo do Center for Security Policy e coautor do novo relatório, “O PCC está em guerra com a América”, no CPAC em 6 de agosto de 2022. (Otabius Williams/The Epoch Times)

ASSISTA O VÍDEO DA ENTREVISTA AQUI >

https://www.theepochtimes.com/how-americans-bankrolled-the-chinese-regimes-war-against-us-frank-gaffney_4687389.html


A ameaça imposta aos Estados Unidos pelo regime chinês excede em muito a ameaça nuclear soviética, de acordo com o presidente executivo do Centro de Políticas de Segurança, Frank Gaffney.


“A ameaça nuclear soviética…. não era nada, nada, comparado ao que agora enfrentamos em termos de ameaça abrangente …. do Partido Comunista Chinês”, disse Gaffney em uma entrevista recente ao programa “American Thought Leaders” da EpochTV.


“[Ainda], persistimos nessa ilusão de que eles não estão em guerra conosco ou aquilo”, disse Gaffney. “Podemos continuar a fazer negócios com eles, podemos nos envolver com eles, podemos apoiá-los, podemos enriquecê-los, podemos torná-los mais poderosos, podemos torná-los mais perigosos, sem qualquer perigo para nós mesmos. É uma loucura.”


Financiando o exército inimigo


Gaffney apontou para os estimados três a seis trilhões de dólares em pensões, aposentadorias e fundos de investimento dos Estados Unidos que inundam a economia chinesa, o que, segundo ele, “permitiu que eles [China] nos fizessem financiar sua guerra irrestrita contra nós”.


O dinheiro, proveniente de funcionários do governo federal, sejam militares ou civis, está sendo “transferido para empresas [chinesas] que estão construindo sistemas de armas para matar homens e mulheres uniformizados”, observou o especialista.


“[Ainda] Wall Street não vê problema nisso. Eles dizem: 'Bem, desde que não seja ilegal, vamos continuar a fazê-lo'”, acrescentou.


Gaffney descreveu tal comportamento como “trair [nosso] país”.


“Se eles persistirem nisso, é traição… e deve ser tratado como tal”, disse ele.


Negócios com a China


O especialista destacou a estratégia “esconder e esperar”, que significa “esconda sua força, espere seu tempo”, cunhada pelo ex-líder chinês Deng Xiaoping.


Segundo Gaffney, essa abordagem tem sido aplicada nos negócios da China com os Estados Unidos.


“Os chineses… escondem sua determinação de destruir os Estados Unidos sob o falso pretexto de que querem apenas ser nossos parceiros, querem apenas ser membros da comunidade internacional”, disse Gaffney. O pretexto é que a China quer simplesmente enriquecer seu povo e se integrar mais à comunidade mundial.


Essa estratégia conseguiu atrair o setor empresarial dos EUA para abrir tecnologia, operações e até mesmo suas informações mais proprietárias, acrescentou Gaffney, de tal forma que “ao longo do tempo, ganhando tempo, os chineses seriam capazes de destruir nossa base industrial, a maior parte de nossas cadeias de suprimentos, certamente a independência que tínhamos em praticamente todas as áreas inicialmente, e transferimos todas essas cadeias de suprimentos e insumos afins para a China”, acrescentou Gaffney.


“Deng… entendeu que, ao tornar os Estados Unidos completamente dependentes da China, eles teriam um grau de resiliência contra o tipo de punição que Reagan infligiu aos soviéticos que acabou resultando em sua destruição”, disse ele.


Para provar esse ponto, Gaffney citou o especialista chinês Gordon Chang: “Alimentos, energia, medicamentos, equipamentos de proteção individual, minerais de terras raras, aço, tudo o que você precisa para a guerra, em suma, eles agora estão acumulando e economizando e disponibilizando cada vez menos .”


“É difícil entender as [coisas] horríveis que podem surgir do tipo de dependência que continuamos a ter e as vulnerabilidades que surgem disso”, disse Gaffney.


Sem mais delongas


Para enfrentar os desafios colocados pelo regime chinês, os americanos precisam entender que o inimigo é uma organização transnacional e deve ser tratado como tal.


“Precisamos nos desvencilhar desse inimigo mortal. A cadeia de suprimentos e outras dependências são uma fórmula para nossa destruição, absolutamente inquestionável”, disse Gaffney.


A reconstrução das forças armadas é uma prioridade urgente, enfatizou Gaffney. Os militares dos EUA “não estão situados nem são capazes de lidar com o tipo de ameaça que ajudamos os militares chineses a se tornarem”, acrescentou.


O especialista pediu ainda que os americanos cortem “a mais séria de nossas vulnerabilidades auto-infligidas, o financiamento que estamos fornecendo ao Partido Comunista Chinês que está permitindo tudo isso”.


“Todo americano, que hoje tem dinheiro no mercado de capitais dos EUA, deve dizer a seus gerentes financeiros, gestores de fundos de pensão, pessoas que estão administrando seus investimentos: 'Não quero meu dinheiro investido em empresas do Partido Comunista Chinês. Basta. Tire-o de lá'”, disse Gaffney.


Hannah Ng é uma repórter que cobre notícias dos EUA e da China. Ela possui mestrado em economia internacional e desenvolvimento pela Universidade de Ciências Aplicadas de Berlim.

Jan Jekielek Sr.


PUBLICAÇÃO ORIGINAL >

https://www.theepochtimes.com/us-deluded-about-the-threat-imposed-by-china-center-for-security-policy_4696342.html



15 views0 comments