EUA - Índice da Miséria: Índice de Preços ao Consumidor de setembro sobe 8,4% desde o ano passado

THE NATIONAL INTEREST - Ethen Kim Lieser - TRADUÇÃO CÉSAR TONHEIRO - 14 OUT, 2022


Enquanto isso, o núcleo da inflação, que exclui itens voláteis de alimentos e energia, subiu 6,6% em relação ao ano anterior, o maior ganho anual desde agosto de 1982.



42,9% das tarifas aéreas

33,1% de gás de serviço público

30,5% ovos

18,2% gasolina

17,2% frango

15,7% café

15,2% leite

14,7% pão

10,1% móveis

9,2% vegetais

8,2% todos os itens

8,2% frutas

8,1% presunto

7,6% vestuário feminino

7,2% carros usados

6,7% aluguel

3,7% vestuário masculino


O Departamento do Trabalho anunciou na quinta-feira que os preços que os consumidores pagam por uma ampla variedade de bens e serviços aumentaram mais do que o esperado em setembro, informou a Fox Business.



O índice de preços ao consumidor (IPC) subiu 0,4% no mês e 8,2% ao ano, abaixo dos 8,3% em agosto e 9,1% em junho, uma vez que o aumento dos custos de alimentação e aluguel compensou novamente a queda dos preços do gás. O custo dos mantimentos subiu 0,7%, colocando o aumento de doze meses em 13%, enquanto os custos de aluguel aumentaram 0,8% e 6,7% ao ano.


Enquanto isso, o núcleo da inflação, que exclui itens voláteis de alimentos e energia, subiu 6,6% em relação ao ano anterior, o maior ganho anual desde agosto de 1982.


O relatório do IPC inicialmente abalou os mercados financeiros antes de reverter o curso, já que os comerciantes provavelmente precificaram aumentos mais agressivos das taxas de juros do Federal Reserve daqui para frente.


“O Federal Reserve deixou muito claro que está comprometido com a estabilidade de preços, está comprometido em reduzir as pressões inflacionárias”, disse Michelle Meyer, economista-chefe dos EUA no Mastercard Economics Institute, à CNBC.


“Quanto mais a inflação estiver acima das expectativas, mais eles terão que manter esse compromisso, o que significa taxas de juros mais altas e arrefecimento na economia subjacente”, continuou ela.


No mês passado, o Fed aprovou um terceiro aumento consecutivo da taxa de juros de 0,75% e sugeriu que continuará elevando as taxas bem acima do nível atual. Com a medida, o banco central elevou sua taxa de fundos federais para uma faixa de 3% a 3,25%, o nível mais alto desde a crise financeira global em 2008. A estimativa mediana do Fed mostra que as taxas devem chegar a 4,6% no próximo ano.


De acordo com a última ata da reunião do Fed divulgada na quarta-feira, o banco central reiterou que os aumentos das taxas devem continuar até que as pressões inflacionárias mostrem sinais de reversão.


“Os participantes julgaram que o Comitê precisava mudar para, e depois manter, uma postura política mais restritiva para cumprir o mandato legislativo do Comitê para promover o máximo de emprego e estabilidade de preços”, afirmou o resumo da reunião.


“Os participantes observaram que a inflação permaneceu inaceitavelmente alta e bem acima da meta de longo prazo do Comitê de 2%. Os participantes comentaram que os dados recentes da inflação geralmente vieram acima das expectativas e que, correspondentemente, a inflação estava caindo mais lentamente do que eles esperavam anteriormente”, continuou.


Na segunda-feira, o CEO do JPMorgan Chase, Jamie Dimon, deu o alarme de que os Estados Unidos poderiam entrar em “algum tipo de recessão daqui a seis a nove meses”.


Ethen Kim Lieser é uma editora de finanças e tecnologia sediada no estado de Washington que ocupou cargos no Google, The Korea Herald, Lincoln Journal Star, AsianWeek e Arirang TV.


ORIGINAL >

https://nationalinterest.org/blog/politics/inflation-misery-september-consumer-price-index-84-last-year-205337

11 views0 comments