Especialistas políticos desenvolvem a primeira estratégia global contra as ameaças do PCCh

- THE EPOCH TIMES - 25 Nov, 2020 -

ANDREW CHEN - Tradução César Tonheiro -


Chinese flags on a road leading to a facility believed to be a re-education camp where mostly Muslim ethnic minorities are detained, on the outskirts of Hotan in China's northwestern Xinjiang region on May 31, 2019. (Greg Baker/AFP via Getty Images)

Centenas de líderes políticos e especialistas produziram recentemente a primeira estratégia global abrangente para que as democracias de todo o mundo enfrentem as crescentes agressões do Partido Comunista Chinês.


O 2020 Halifax International Security Forum(HFX), intitulado “China vs. Democracy: The Greatest Game,” realizado de 20 a 22 de novembro. O fórum, realizado praticamente este ano devido aos impactos do vírus do PCC (Partido Comunista Chinês) , veio quando o mundo acordou para a realidade de que Pequim nunca foi amiga das democracias.


“A mudança de paradigma de 2020 nas atitudes das pessoas em relação à China foi uma mudança concreta da velha sabedoria convencional de que uma China economicamente vibrante progrediria em direção a mais liberdade para seu povo, para a nova sabedoria convencional de que o Partido Comunista Chinês é, na verdade, o vírus que coloca o mundo em perigo ”, escreveu Peter Van Praagh, presidente da HFX.


Van Praagh disse que o verdadeiro desafio não é mais encontrar maneiras de trabalhar com uma China governada por autocratas, mas sim que os governos democráticos do mundo cooperem efetivamente uns com os outros para enfrentar a ameaça chinesa.


Uma pesquisa exclusiva conduzida pela Ipsos Public Affairs para a HFX, na qual cidadãos de 28 países avaliaram o impacto esperado da China nos assuntos mundiais na próxima década, mostrou uma forte deterioração na reputação global da China. Em setembro de 2020, 42% dos participantes avaliaram a China positivamente, uma queda de 11% em relação ao mesmo mês de 2019 e uma queda de 16% em relação a 2017.


A HFX consultou 250 especialistas para produzir um manual ( pdf ) para estabelecer um entendimento comum para democracias contra o PCC. Especialistas de cerca de 30 países em geral concordam que a China comunista é e continuará sendo autoritária no futuro previsível e que representa ameaças multifacetadas para o mundo.


“Todas as principais organizações de direitos humanos testemunham que a opressão está se intensificando na China, mas está claro que as ambições do PCC não param nas fronteiras da China”, diz o manual da HFX.


As ambições globais do PCCh, impulsionadas por sua economia em rápida expansão, visam tornar o mundo um porto seguro para o autoritarismo.


E o PCCh possui um grande estoque de ferramentas para ajudá-lo a atingir seus objetivos.

Internamente, a China usa censura, propaganda e vigilância na Internet para controlar o público em geral e erradicar os dissidentes do Partido. Ela administra campos de reeducação para monitorar grupos minoritários como os muçulmanos uigures.


Internacionalmente, os projetos de infraestrutura global de vários trilhões de dólares da China, conhecidos como Belt and Road Initiative, são usados ​​para se firmar em territórios estrangeiros. Grandes empresas como a Huawei foram contratadas para aumentar suas deficiências tecnológicas e patrocinar operações de ciberespionagem e influência.


O manual da HFX foi concluído com um conjunto de "princípios da China", práticas que minam os valores democráticos e a vida:

  • Ignorar as tentativas da China de interferir nas sociedades democráticas;

  • Submeter, colaborar ou participar de qualquer censura ou autocensura de idéias, escritos, esforços artísticos ou declarações relacionadas à República Popular da China;

  • Participar de quaisquer negócios ou práticas ou intercâmbios relacionados à tecnologia que ajudem e estimulem a opressão do Partido Comunista Chinês contra seu próprio povo;

  • Negligenciar a oposição às tentativas da República Popular da China de alinhar a governança global da Internet e os padrões tecnológicos com seus próprios valores e ambições autoritários;

  • Apoiar ou se envolver em qualquer tipo de punição ou sanção de qualquer pessoa por se envolver em críticas à China;

  • Deixar de apoiar pessoas e governos com mentalidade democrática em todo o mundo que enfrentam pressão ou intimidação por parte da República Popular da China;

  • Comprar ou comercializar conscientemente produtos ou serviços chineses feitos com trabalho forçado ou que sejam resultado de atividades criminosas como falsificação ou roubo de propriedade intelectual.

  • O único stakeholder que Pequim está interessado em acomodar é o Partido Comunista Chinês (PCC)

ARTIGO ORIGINAL:

https://www.theepochtimes.com/political-experts-develop-first-global-strategy-against-ccp-threats-to-democracies-international-security-forum_3592343.html


CONFIRA O MEU LIVRO:


"RUMO AO GOVERNO MUNDIAL TOTALITÁRIO

As Grandes Fundações, Comunistas, Fabianos e Nazistas":

A História da Formação do Governo Mundial



30 views0 comments

© Todos os Direitos Reservados - heitordepaola.online

  • Facebook
  • Twitter
  • YouTube