Escassez de fertilizantes levando os preços dos alimentos a novos patamares

- NATIONAL INTEREST - Ethen Kim Lieser - TRADUÇÃO CÉSAR TONHEIRO - 11 ABR, 2022 -

Imagem: Reuters.

Os preços de commodities alimentares, como grãos e óleos vegetais, atingiram seus níveis mais altos no mês passado, em grande parte devido ao conflito russo-ucraniano.


Hoje, uma rápida ida ao supermercado local oferece aos consumidores uma boa noção do atual ambiente inflacionário.



De acordo com um relatório divulgado recentemente pelo Departamento de Agricultura dos EUA, “agora se prevê que todos os preços dos alimentos aumentem” – mesmo depois de subir quase 9% no ano passado. A agência prevê um aumento de 4,5% a 5% nos preços dos alimentos nos próximos doze meses.


“Se você acha que pagar US $ 10 por um quilo de bacon ou US $ 6 por um quilo de manteiga está ruim, saiba que está prestes a ficar mais caro”, escreveu o USA Today.


Como se isso já não fosse ruim o suficiente, parece haver mais problemas se formando. Devido à invasão da Ucrânia pela Rússia, uma enorme escassez de fertilizantes parece provável.


Citando dados do Morgan Stanley, a CNBC informou que “combinadas, Rússia e Bielorrússia forneceram cerca de 40% das exportações mundiais de potássio. … A Rússia também exportou 11% da área mundial e 48% do nitrato de amônia. A Rússia e a Ucrânia exportam juntas 28% dos fertilizantes feitos de nitrogênio e fósforo, além de potássio.”


Um “Triplo Golpe”


Agora, com grandes interrupções nas remessas de fertilizantes devido a sanções e interrupções na produção, os preços dos fertilizantes só podem ir em uma direção – muito, muito mais altos, com alguns produtos já dobrando de preço.


“Tudo isso é um golpe duplo, se não um golpe triplo. Temos risco geopolítico, custos de insumos mais altos e basicamente escassez”, disse Bart Melek, chefe global de estratégia de commodities da TD Securities, à CNBC.


“A agricultura certamente vai ser atingida. No caso do Canadá, é bom para Saskatchewan, que é o maior produtor de potássio do mundo, mas os agricultores vão se machucar porque por hectare vão pagar muito mais. Eles terão rendimentos mais baixos simplesmente porque estão economizando, principalmente nos mercados emergentes”, acrescentou.


Essa escassez provavelmente continuará a aumentar o custo de alimentos básicos e outros produtos básicos.


“Isso levará a custos de insumos mais altos para produzir tudo, desde grãos, trigo e milho. Os custos de insumos estão mais altos agora porque haverá escassez que também aumentará o preço”, continuou Melek, acrescentando que os preços de vacas, novilhos e barrigas de porco também aumentaram consideravelmente.


Preços nunca vistos antes


De acordo com a Associated Press, a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) afirmou que os preços de commodities alimentares, como grãos e óleos vegetais, atingiram seus níveis mais altos no mês passado, em grande parte devido ao conflito Rússia-Ucrânia. Disse que seu Índice de Preços de Alimentos, que acompanha as mudanças mensais nos preços internacionais de uma cesta de commodities, teve uma média de 159,3 pontos no mês passado, um aumento de 12,6% em relação a fevereiro.


"Isso é realmente notável", disse Josef Schmidhuber à agência de notícias, vice-diretor da divisão de mercados e comércio da FAO. “Claramente, esses preços muito altos dos alimentos exigem ações urgentes.”


Ethen Kim Lieser é uma editora de finanças e tecnologia sediada no estado de Washington que ocupou cargos no Google, The Korea Herald, Lincoln Journal Star, AsianWeek e Arirang TV. Siga ou contate-o no LinkedIn.


PUBLICAÇÃO ORIGINAL >



8 views0 comments