Escassez de alimentos e medidas drásticas

- ECONOMIC TIMES - 26 Set, 2020 -

Dipanjan Roy Chaudhury - Tradução César Tonheiro



A escassez de alimentos na China pode levar Xi Jinping a tomar medidas drásticas contra Taiwan e outros lugares

26 de setembro de 2020 por Dipanjan Roy Chaudhury


NOVA DELI: Acredita-se que a China esteja à beira de uma grande escassez de alimentos, o que pode desencadear uma disputa estratégica pela segurança alimentar e empurrar o presidente chinês Xi Jinping, já sob intensa pressão, a tomar medidas drásticas, potencialmente significando problemas para Taiwan e outras partes o mundo. 


A China enfrentou uma tempestade perfeita de desastres este ano. Além da interrupção devido à pandemia COVID-19, as chuvas torrenciais causaram inundações catastróficas na bacia do rio Yangtze , a maior região agrícola da China. Estima-se que as enchentes já destruíram as plantações em 6 milhões de hectares de terras agrícolas, de acordo com um editorial do The Taipei Times . 


A situação foi agravada por pragas de gafanhotos e infestações de lagartas em outras regiões, onde os campos foram destruídos, e três enormes tufões no mês passado atingiram o nordeste da China. Os preços dos alimentos aumentaram 13% em julho, com os preços da carne suína subindo 85%, mostraram dados do governo chinês. Há relatos de fazendeiros acumulando safras esperando preços ainda mais altos. Depois de alardear inicialmente “colheitas abundantes”, a mídia estatal chinesa mudou do acobertamento para o controle de comportamento, promovendo uma campanha nacional “Limpe seu prato” sobre desperdício de alimentos, de acordo com o editorial. 


No mês passado, Xi exortou o público chinês a “cultivar hábitos econômicos e promover um ambiente social onde o desperdício é vergonhoso e a economia é elogiável”. “A propaganda tem tons do apelo de Mao Zedong para que os cidadãos chineses fizessem apenas duas refeições por dia no início da Grande Fome de 1959 a 1961”, apontou o editorial.


“Todos os sinais apontam para uma queda significativa na produção agrícola doméstica, e é incerto se a China será capaz de preencher a lacuna com as importações, ao mesmo tempo em que mantém um controle sobre a alta dos preços.” 


“A escassez de alimentos parece ser mais do que apenas um sinal de curto prazo. À medida que a China se tornou mais rica, as dietas e o padrão de cinturas se expandiram, pressionando a oferta e a demanda. A Academia Chinesa de Ciências Sociais estima que o suprimento doméstico de arroz, trigo e milho da China ficará aquém da demanda em 25 milhões de toneladas até o final de 2025. Isso levanta a questão: como a China pode alimentar 1,4 bilhão de pessoas no longo prazo?" Ironizou o editorial. 


A segurança alimentar pode se tornar uma nova frente de batalha estratégica. Nos últimos anos, o governo chinês investiu pesadamente no setor agrícola da África como parte de uma estratégia mais ampla que incentiva os conglomerados de alimentos chineses a produzir safras para o mercado interno em terras alugadas no exterior. 


“Se houver uma séria escassez de alimentos, que exija racionamento, ou mesmo fome, Xi precisaria da mãe de todas as distrações e uma pequena guerra de fronteira com a Índia provavelmente não seria suficiente”, alegou o Taipei Times. 


“As aeronaves militares chinesas sondam quase diariamente a zona de identificação de defesa aérea de Taiwan. Xi pode estar tentando incitar Taiwan para um primeiro ataque. Um ponto de perigo significativo para Taiwan são as eleições presidenciais dos EUA em novembro. Devido à extrema polarização da política dos EUA, o resultado provavelmente será fortemente contestado.” 


Se os EUA forem lançados no caos com uma batalha judicial prolongada para resolver o resultado da eleição, Xi pode ver isso como uma oportunidade única em uma geração para resolver o "problema de Taiwan". Com os protestos em massa após a eleição, os EUA podem, aos olhos de Pequim, parecer historicamente fracos, mesmo à beira de uma guerra civil, argumentou o editorial. 


É claro que os EUA já passou por algo similar em meados dos anos 1960 e se recuperaram mas há uma possibilidade real de um erro de cálculo da parte de Xi. 


Para piorar, há uma grande data chegando: 31 de julho do próximo ano marca o centenário da fundação do Partido Comunista Chinês. Com Xi sob escrutínio em casa por uma miríade de falhas políticas, ele precisará de algo para mostrar e o tempo está passando, de acordo com o Taipei Times.


ARTIGO ORIGINAL:

https://economictimes.indiatimes.com/news/international/world-news/food-shortages-in-china-might-push-xi-jinping-to-take-drastic-actions-against-taiwan-elsewhere/articleshow/78329138.cms?from=mdr

112 views

© Todos os Direitos Reservados - heitordepaola.online

  • Facebook
  • Twitter
  • YouTube