Economista de Taiwan alerta sobre dilúvio de falências na China

11/02/2020


- THE EPOCH TIMES -

Tradução César Tonheiro


Surto de coronavírus desencadeará 'dilúvio' de falências na China


11 de fevereiro de 2020 por Wu Minzhou


À medida que a China expande os bloqueios para muitas outras cidades para conter a disseminação do novo coronavírus, uma crise de interrupção da cadeia de suprimentos surgirá quando todos os fabricantes ficarem sem estoque devido à estagnação do trabalho, transporte e aquisição de suprimentos. Um grande número de empresas pode entrar em colapso na China dentro de um ou dois meses, prevê um economista.


Liu Mengjun, economista e pesquisador taiwanês da Instituição de Pesquisa Econômica Chung-Hua, conversou com o Epoch Times em língua chinesa em uma entrevista exclusiva em 6 de fevereiro. Ele disse que a economia da China não sofreu muito com a crise epidêmica da SARS em 2003, porque na época a China havia ingressado na Organização Mundial do Comércio (OMC); e com uma participação bastante baixa no comércio internacional, conseguiu sobreviver quando a demanda do mercado externo diminuiu durante o surto da SARS.


Consumo doméstico e urbanização


Atualmente, o setor de serviços da China responde por uma parcela maior do PIB do que o setor industrial, incluindo indústrias de manufatura e construção; e, a longo prazo, a China terá que fazer a transição para uma economia doméstica impulsionada pela demanda, disse Liu. Mas agora, o surto de coronavírus terá um impacto no consumo doméstico do país.

A urbanização, com dezenas de milhões de pessoas vivendo nas principais cidades, também tem sido um fator importante para impulsionar a demanda doméstica da China, observou Liu. Mas são precisamente as regiões mais urbanizadas que sentem o maior impacto do surto devido aos bloqueios. O coronavírus de Wuhan também abalou a ambição da China de impulsionar sua economia através de uma maior urbanização.


Imobilidade dos trabalhadores, transporte e interrupção da cadeia de suprimentos


Liu destacou que o bloqueio se expandiu para cidades importantes como Wuhan, Hangzhou e Nanjing, todas com altas concentrações de empresas e negócios de Taiwan e de capital estrangeiro. As empresas que confiam na China como base de processamento e exportação sentirão o impacto a curto prazo, disse ele. Eventualmente, uma crise de ruptura da cadeia de suprimentos será sentida quando todos os fabricantes esgotarem seu estoque devido à imobilidade do trabalho e à estagnação dos fluxos de transporte.


Além disso, como essas regiões são principalmente as bases de fabricação e pesquisa e desenvolvimento “Made in China 2025”, a disseminação do coronavírus pode causar uma fuga de cérebros que ameaça ainda mais as perspectivas econômicas futuras da China.

Segundo Liu, desde o início da guerra comercial EUA-China, algumas empresas de Taiwan, considerando o aumento de tarifas e muitos fatores incertos, optaram por retornar a Taiwan e reiniciar suas linhas de produção lá. Outros transferiram a produção para os países da ASEAN. Com a disseminação do coronavírus e o declínio da demanda doméstica da China, as empresas taiwanesas que ainda operam na China buscarão rapidamente bases de produção alternativas.


Negócios domésticos vulneráveis devido à alta alavancagem financeira


Jia Guolong, presidente do Xibei Catering Group, uma rede líder de restaurantes  na China, disse recentemente que os fundos da empresa podem não durar mais três meses se o coronavírus continuar a se espalhar.


Liu disse que é norma na China que as empresas operem usando alta alavancagem financeira, onde enormes quantias de dinheiro são emprestadas. Portanto, a desaceleração do mercado trará mais dificuldades para as empresas com financiamento de alta alavancagem.


Embora o Banco Popular da China (PBoC) tenha reduzido recentemente suas reservas, é difícil que o capital flua para pequenas e médias empresas que precisam de dinheiro, disse Liu. Estima-se que um dilúvio de negócios falidos apareça na China dentro de um ou dois meses, testifica a vulnerabilidade da economia chinesa —  ainda parece melhor do que outras economias com bom desempenho, mas durante uma desaceleração econômica, a fraqueza das empresas será ampliada.


Liu sugeriu que as empresas de Taiwan diversificassem seus investimentos e operações. Ainda não é prático para quem tem negócios na China continental retirar todo o seu capital porque as autoridades comunistas chinesas frustrarão seus planos de várias maneiras, disse ele. Mas é viável adotar a estratégia de investimento no Japão chamada “China Plus One [outra região]”, ou seja, não colocar todos os ovos em uma cesta.



https://www.theepochtimes.com/coronavirus-outbreak-will-trigger-deluge-of-bankruptcies-in-china-economist_3233893.html

40 views

© Todos os Direitos Reservados - heitordepaola.online

  • Facebook
  • Twitter
  • YouTube