Custos de produção em alta na China aumentam as pressões da inflação global

- THE EPOCH TIMES - Kathleen Li - Tradução e introdução César Tonheiro - 29 DEZ, 2021 -

Navios de carga empilhados com contêineres no porto de Los Angeles no dia em que o secretário do Trabalho dos EUA, Marty Walsh, falou sobre iniciativas para mitigar interrupções na cadeia de suprimentos em San Pedro, Califórnia, em 30 de novembro de 2021. (Frederic J. Brown / AFP via Getty Images)

Caros


O artigo que se segue nos dá um vislumbre do que irá ocorrer nos próximos meses, e é imprescindível se ater para os custos de produção.


Mister considerar também que a China continua sendo o país preferido dos metacapitalistas, de lá emana grande parte dos insumos, partes de peças e milhares de itens manufaturados. Não obstante, o regime, no afã de protagonizar qual potência mundial, sob a liderança do déspota Xi Jinping, resolveu direcionar o uso da energia para a indústria belicista, pois a meta é invadir Taiwan, de sorte que isso leva a concentrar esforços na produção armamentista. Há quase três meses postei um artigo correlato intitulado: "Falta de eletricidade na China é uma mentira, o regime está abastecendo densas indústrias militares".


É imperativo ficar atento às oscilações, e que ninguém se iluda com a queda nos preços de alguns insumos, elas são de curtíssimo prazo, dado que a assertividade do PCCh/PLA está célere e o desarranjo econômico tende a crescer.


Segue o féretro...


Por Kathleen Li

29 de dezembro de 2021


O crescente índice de preços ao produtor (PPI) da China e os preços de exportação estão aumentando as pressões inflacionárias em todo o mundo, de acordo com analistas.


A recente reforma do setor de energia do Partido Comunista Chinês ( PCC ) aumenta a inflação e os custos de exportação, diz um especialista. Os crescentes custos de produção na China continuam a se refletir nos consumidores a jusante no exterior.


Em outubro, o PPI da China atingiu o nível mais alto desde 1995, atingindo um aumento de 13,5% em relação ao mesmo período do ano passado.


Em novembro, seu PPI aumentou 12,9% ano a ano, enquanto seu índice de preços de compra de matérias-primas, combustível e energia (PPIRM) subiu 17,4% ano a ano, outro recorde.

O gráfico representa a variação percentual anual no índice de preços ao produtor da China (PPI) de outubro de 2020 a novembro de 2021. (Kathleen Li / The Epoch Times)

De acordo com a Administração Geral das Alfândegas da China, o índice do valor unitário de exportação também aumentou significativamente em 2021. O índice (Classificação HS2, 2020 = 100) disparou de 97,9 em fevereiro para 107,5 em novembro, quase dez pontos percentuais, com um pico em Setembro atingindo 110,6.

O gráfico mostra o índice de preços unitários de exportação da China de fevereiro de 2021 a novembro de 2021 em referência ao seu índice de 2020 - definido como uma referência de base de 100. Qualquer número acima de 100 representa um aumento percentual, enquanto qualquer número abaixo de 100 representa uma diminuição. (Kathleen Li / The Epoch Times)

A analista financeira de Hong Kong, Katherine Jiang, disse ao Epoch Times que os crescentes custos de produção da China logo se refletirão em seus consumidores e mercados no exterior. Como maior exportador do mundo, o recente PPI da China e o aumento dos custos de exportação se traduzirão em maiores pressões inflacionárias globais.


Aumento de preços nas exportações chinesas aumenta a inflação dos EUA


Apesar do aumento das tarifas dos EUA sobre as exportações chinesas, a China continua sendo o maior exportador para os Estados Unidos.


Em novembro de 2021, a China exportou aproximadamente US $ 528,3 bilhões em mercadorias para os Estados Unidos, respondendo por 17,2% de suas exportações totais. Os produtos mecânicos e elétricos representam 59%, a maior proporção das exportações da China, e aumentaram 21,2% com relação ao ano anterior.

O gráfico representa a variação percentual anual no índice de preços de compra da China (PPIRM) para produtos industriais de outubro de 2020 a novembro de 2021. (Kathleen Li / The Epoch Times)

O gráfico mostra a variação percentual anual no índice de preços de compra da China (PPIRM) para produtos industriais em diferentes categorias de janeiro a novembro de 2021. (Kathleen Li / The Epoch Times)

O PPIRM (índice de preço de compra) de metal ferroso, metal não ferroso incluindo fios e produtos químicos industriais - três tipos de matérias-primas de produtos mecânicos e elétricos - aumentou 20,9%, 21,1% e 14,6%, respectivamente, em comparação com o mesmo período do ano passado.


Jiang acredita que o aumento significativo nas exportações de produtos mecânicos e elétricos é impulsionado principalmente pelo aumento nos custos de produção e pelo aumento repentino dos preços dos metais ferrosos e não ferrosos. Os preços das matérias-primas impactarão os preços dos produtos acabados.


De acordo com o US Census Bureau, em outubro deste ano, as importações acumuladas da China foram de US $ 408,4 bilhões, representando 17,6% das importações totais dos EUA.


As importações da China não diminuíram desde outubro de 2020, mas aumentaram 4,5% nos últimos 12 meses, o maior aumento anual desde setembro de 2008, citando um relatório do Bureau of Labor Statistics dos EUA de novembro de 2021 ( pdf ).


O relatório indica alta pressão inflacionária nos Estados Unidos. Para os 12 meses encerrados em novembro de 2021, o índice de preços das importações dos EUA aumentou 11,7%, enquanto o índice de preços ao consumidor (IPC) aumentou 6,8% antes do ajuste sazonal.


Redução de energia na China aumenta a inflação global


A China é um grande produtor de metais ferrosos e não ferrosos e o maior produtor mundial de aço, alumínio e cobre refinado. Em 2020, a China produziu mais da metade do aço bruto e alumínio do mundo e 39,2% do cobre refinado do mundo.


Fundição de metais ferrosos, fundição de não ferrosos, produtos químicos industriais e materiais de construção são as quatro indústrias chinesas de uso intensivo de energia.

Em 2021, devido às políticas de restrição de poder do PCC, as quatro principais indústrias viram um crescimento em declínio em setembro, outubro e novembro de 2021.

O gráfico mostra o consumo de energia na China pelas indústrias de janeiro a novembro de 2021. (Kathleen Li / The Epoch Times)

O gráfico mostra as mudanças percentuais mensais no consumo de energia por categorias de março a novembro de 2021. (Kathleen Li / The Epoch Times)

“A produção de materiais ferrosos e não ferrosos na China tem um grande impacto na oferta e demanda globais e nos níveis de preços. Suponha que medimos sua produção pelo consumo de energia; podemos ver que a atividade de produção de fundição de metais ferrosos e não ferrosos está diminuindo ”, explicou Jiang.


“Enquanto isso, a recente reforma do setor de energia de Pequim aumentará ainda mais os custos de produção de muitas indústrias, especialmente aquelas que consomem muita energia”, acrescentou Jiang. “Pegue o alumínio eletrolítico como exemplo; a eletricidade é responsável por quase 40% dos custos de produção. Portanto, o aumento dos preços da energia aumentará em grande medida os custos de produção de muitas indústrias. ”


Em 12 de outubro, a Comissão Nacional de Desenvolvimento e Reforma da China (NDRC) aumentou seu teto de preço da eletricidade movida a carvão, o que significa que todos os usuários industriais e comerciais na China provavelmente verão preços de eletricidade mais altos. O novo limite agora é um aumento de 20% em vez dos 10% originais.


Além disso, as indústrias com uso intensivo de energia não estão sujeitas ao novo teto de preço, o que significa que indústrias como as fundições de metais ferrosos e não ferrosos podem ver seus preços de eletricidade subirem mais de 20 por cento sob a nova regulamentação.


“O aumento adicional nos custos de eletricidade e produção para empresas comerciais e industriais na China refletirá nos preços dos produtos. E o aumento do custo irá inevitavelmente repercutir nas exportações e consumidores no exterior, intensificando ainda mais as pressões inflacionárias globais ”, acrescentou Jiang.


- ARTIGO RECEBIDO POR EMAIL -


Acesse a minha HOME PAGE, para assistir meus vídeos e ler meus livros: https://www.heitordepaola.online/



14 views0 comments

Related Posts

See All