Coronavírus — autoridades trocam acusações por omissão

28/01/2020


- THE EPOCH TIMES -

Tradução César Tonheiro



Eis algumas manchetes que destacam a barafunda instalada na China


China subnotifica a verdadeira escala de surtos de vírus mortais, afirma especialista


Autoridades chinesas manipulam registro de casos confirmados de coronavírus controlando o fornecimento de kits de diagnóstico


China restringe doações de suprimentos médicos, apesar de extrema necessidade durante surto de vírus


China desesperada por conter coronavírus com mais restrições e regulamentos de viagem


Opinião: Pequim está escondendo a gravidade da ameaça ao coronavírus? por James Gorrie


Prefeito de Wuhan admite irregularidades, mas atribui culpa a Pequim por tratar mal a crise de surtos de vírus

27 de janeiro de 2020 por Nicole Hao


O prefeito de Wuhan City, epicentro do novo surto de coronavírus , sentou-se para uma rara entrevista na televisão na qual indiretamente atribuía seus superiores por administrarem mal a crise.


Durante um programa de notícias que foi ao ar pela emissora estatal CCTV na noite de 27 de janeiro, Zhou Xianwang disse que o governo central tomou a decisão de ocultar informações sobre o surto. 


Prefeito de Wuhan


Ele admitiu que o governo da cidade não publicou informações a tempo e não conseguiu conter adequadamente o vírus.


"As divulgações sobre o surto não foram oportunas ... Como líder de um governo local, só pude publicar informações depois de receber permissão das autoridades [governo central]", disse Zhou durante a entrevista.


As autoridades de saúde de Wuhan só confirmaram o surto em 31 de dezembro de 2019, embora o primeiro paciente tenha sido infectado em 12 de dezembro. 


Depois que um especialista líder que trabalha para o governo central, Zhong Nanshan, discursou sobre a gravidade da doença, as autoridades de Wuhan começaram a relatar mais casos oficiais de infecções.


Desde então, todas as regiões da China, exceto o Tibete, relataram infecções.


Desde então, o vírus mortal se espalhou para vários países asiáticos, Estados Unidos, Canadá, França e Austrália. A maioria dos pacientes viajou recentemente para Wuhan.


Em 22 de janeiro, a cidade de Wuhan anunciou que iniciaria um bloqueio de transporte e colocaria em quarentena a cidade para impedir que a doença se espalhasse.


Zhou disse durante o programa de 27 de janeiro que acreditava ser a melhor solução. Mas ele acrescentou que, se os cidadãos de Wuhan estiverem descontentes com a decisão, ele estaria disposto a renunciar.


O prefeito foi recentemente criticado por dizer que a cidade tinha suprimentos médicos suficientes durante uma entrevista coletiva em 26 de janeiro, contradizendo o que seu chefe, o governador de Hubei, Wang Xiaodong, disse no mesmo dia : “Precisamos de roupas e máscaras protetoras ... questão mais urgente e difícil.”


Zhou também revelou que mais de cinco milhões de pessoas deixaram Wuhan em janeiro, deixando muitos chineses preocupados com o potencial de disseminação do vírus. 


Crítica


Wang Yanhu, editor do jornal estatal chinês Beijing News, publicou um artigo em 27 de janeiro, no qual criticou o governo de Wuhan por permitir que tantos moradores saíssem da cidade e colocasse em perigo o resto da população.


"O governo local continuou fornecendo informações positivas até o acadêmico Zhong Nanshan fazer um discurso em 20 de janeiro", escreveu Wang.


Wang disse que a maioria dos cinco milhões de pessoas deixou Wuhan entre 1 e 20 de janeiro.


A partir de dados oficiais, menos de 1% deles viajou para fora do país. A maioria dos residentes de Wuhan voou para Hong Kong, onde há oito casos confirmados de coronavírus, e Bangkok, na Tailândia. O país do sudeste asiático também confirmou oito casos.


Xi Jinping


Em uma reunião de emergência no sábado com as principais autoridades do Partido, o líder chinês Xi Jinping disse estar preocupado com a "grave situação" e a "aceleração da disseminação" do vírus.


Ma Guoqiang, secretário do Partido Comunista e grande chefe de Wuhan, disse em uma entrevista coletiva em 27 de janeiro que estava feliz por Xi ter prestado tanta atenção à situação.


Os comentaristas da China acreditam que a entrevista na TV de Zhou e as palavras de Ma significavam indiretamente que eles queriam jogar no colo de Xi Jinping a responsabilidade de [omissão] na contenção do vírus.


"É uma mensagem clara de Zhou e Ma de que eles não vão querer assumir a responsabilidade, porque temem que tenham que pagar com suas vidas por tomarem decisões erradas", disse Tang Jingyuan, comentarista de assuntos da China com sede nos EUA, em uma entrevista em 27 de janeiro ao Epoch Times.


Tang também acredita que o artigo do Beijing News que critica as autoridades de Wuhan "é um sinal de que o governo central pode punir algumas autoridades em Wuhan", disse ele.



https://www.theepochtimes.com/wuhan-mayor-admits-wrongdoing-but-pushes-blame-on-beijing-for-mishandling-viral-outbreak-crisis_3218297.html

0 views

© Todos os Direitos Reservados - heitordepaola.online