China produz 95% dos contêineres do mundo e ameaça a cadeia de suprimentos global

- THE EPOCH TIMES - Shawn Lin - TRADUÇÃO CÉSAR TONHEIRO - ABR 17, 2022 -

Esta foto tirada em 2 de março de 2022 mostra contêineres em um porto de Hong Kong. (Foto de Dale De La Rey/AFP via Getty Images)

Especialistas alertam para o quase monopólio da China na produção de contêineres de carga, ameaçando a cadeia de suprimentos global


Especialista diz que é 'profundamente preocupante' China produz 95% dos contêineres do mundo



Um relatório recente da Comissão Marítima Federal dos EUA (sigla em inglês FMC) mostrou que o controle da China sobre a fabricação global de contêineres representa uma ameaça às cadeias de suprimentos e economias em todo o mundo.


Em 30 de março, o comissário da FMC, Carl Bentzel, divulgou sua avaliação (pdf) do controle da China sobre a fabricação de contêineres e chassis intermodais após um ano de pesquisa, observação de mercado e síntese de entrevistas.


O relatório aponta que os três maiores fabricantes chineses controlam mais de 86% da oferta mundial de chassis intermodais. Essas mesmas empresas fabricam mais de 95% dos 44,2 milhões de contêineres usados no transporte global, incluindo contêineres intermodais de trens e caminhões domésticos dos EUA.


De acordo com a avaliação de Bentzel, o regime comunista chinês controla efetivamente a produção mundial de contêineres e chassis, argumentando que Pequim pode manipular os preços de mercado e aumentar as interrupções na cadeia de suprimentos global.


“Quando a demanda por contêineres oceânicos aumentou, os fabricantes de equipamentos intermodais baseados na China foram notavelmente lentos em aumentar a produção, levantando a questão se isso fazia parte de uma estratégia deliberada para manipular preços”, disse o relatório.


Os preços dos contêineres fabricados na China aumentaram para US$ 6.500 em 2021, de US$ 1.600 em 2019, um aumento de quase 400% em relação aos preços pré-pandemia. Enquanto isso, as taxas de arrendamento de contêineres também aumentaram cerca de 50% no período de seis meses antes de novembro de 2020.


O relatório chamou o quase monopólio mundial de fato da China na produção de contêineres de “profundamente preocupante”.

Linhas de caminhões são vistas em um terminal de contêineres do porto de Ningbo Zhoushan, na província de Zhejiang, China, em 15 de agosto de 2021. (Foto CNS via Reuters)

A ascensão da China ao monopólio de produção de contêineres


Os contêineres são um dos elementos-chave da globalização. Os custos de frete marítimo eram altos antes do amplo uso de contêineres intermodais. A eficiência de carregamento e descarregamento de carga nos terminais portuários às vezes era ainda maior do que o tempo de navegação do navio.


Hoje, 95% dos produtos industriais em todo o mundo são enviados por meio de fretes intermodais em contêineres.


Os Estados Unidos foram o maior produtor de contêineres de carga na década de 1960. No entanto, devido à mudança de fatores econômicos e logísticos, os centros de produção logo se mudaram para a Europa e depois para o Japão e a Coréia do Sul. Em 1991, a Coreia do Sul tornou-se o maior produtor de contêineres do mundo, com uma produção anual de 349.000 TEU, de acordo com o Jiemian News, um site de notícias financeiras chinês.


Os contêineres de 20 pés e 40 pés são os contêineres mais usados para transporte. Um contêiner padrão de 20 pés é chamado de TEU (Twenty-foot Equivalent Unit), enquanto um contêiner de 40 pés equivale a dois TEUs.


Na década de 1990, a capacidade de fabricação e a demanda de exportação da China cresceram rapidamente à medida que se integrava à economia global. E com vantagens de custo, a indústria de fabricação de contêineres mudou gradualmente da Coréia do Sul para a China. A participação no mercado de contêineres na China aumentou de 7,2% em 1990 para 69% em 1999, crescendo quase 10 vezes em menos de uma década.


Um artigo publicado em 2021 pela Neptune Logistics, com sede em Shenzhen, detalha as três principais razões para o monopólio da China na indústria de produção de contêineres.


O baixo custo das matérias-primas na China foi apontado como o principal motivo. O país é o maior produtor de aço do mundo, respondendo por 55% da produção global. Suas vantagens de custo e forte capacidade de produção em siderurgia e outras indústrias relacionadas contribuíram em grande parte para o monopólio da indústria. No entanto, o artigo observou que as vantagens de custo da China foram superadas pelo Vietnã e pela Malásia nos últimos anos, pois vem eliminando usinas siderúrgicas obsoletas, resultando em uma capacidade de produção reduzida.


Em segundo lugar, a demanda por exportações chinesas continua forte. A China é o maior exportador de mercadorias desde 2009 e usa uma enorme quantidade de contêineres que produz.


Em terceiro lugar, a pandemia do vírus do PCC (Partido Comunista Chinês) beneficiou a indústria de contêineres da China.


Desde 2020, a pandemia desacelerou a produção de mercadorias em todo o mundo e muitas fábricas fecharam ou suspenderam as operações. No entanto, as exportações da China cresceram contra a tendência. Continuou a fornecer bens e materiais em todo o mundo, aproveitando suas grandes reservas de contêineres e capacidades de produção. Enquanto isso, não havia muitas mercadorias estrangeiras vendidas para a China, então a maioria dos contêineres da China ficava em seus destinos sem precisar retornar.


As empresas de navegação e despachantes só podem continuar comprando novos contêineres na China para evitar atrasos na entrega em seus destinos. Por outro lado, os principais portos do mundo estão cheios de contêineres vazios provenientes da China que excedem em três vezes sua reserva habitual, fazendo com que os países de destino não precisem produzir contêineres.

Contêineres empilhados são mostrados enquanto navios descarregam sua carga no Porto de Los Angeles, em Los Angeles, Califórnia, EUA, em 22 de novembro de 2021. Reuters/Mike Blake

No entanto, o artigo não mencionou outro motivo importante – os fabricantes de contêineres da China se beneficiaram do apoio financeiro do regime chinês.


Os subsídios do governo permitem que as empresas reduzam significativamente os concorrentes. A China International Marine Containers (CIMC), maior fabricante de contêineres do mundo, responsável por 42% de participação no mercado global, teve até 28% de suas despesas subsidiadas pelo regime chinês, disse o comissário da FMC Bentzel, dos EUA, em seu relatório.


O Departamento de Comércio dos EUA também descobriu que a CIMC é de propriedade indireta do regime chinês por meio de sua Supervisão e Administração de Ativos Estatais (SASAC).


Especialista: A reestruturação global da cadeia de suprimentos está em andamento


Wu Jia-Long, macroeconomista de Taiwan, disse ao Epoch Times que acredita que uma reestruturação global da cadeia de suprimentos para desacoplar da China está em andamento.


“A reestruturação da cadeia de suprimentos realmente começou desde a guerra comercial EUA-China em 2018. Os Estados Unidos começaram a ver o sério problema de deixar um país autocrático – a China – ingressar na economia global. Não só não conseguiu se transformar em democracia, como também iniciou a concorrência desleal e o comércio desleal por meio da intervenção política, quebrando as regras estabelecidas pela comunidade internacional. Em meio ao conflito Rússia-Ucrânia, o PCC escolheu o lado da Rússia, o que significa que a dissociação EUA-China é inevitável.”


Wu acrescentou que a recente introdução pela Casa Branca do “Quadro Econômico Indo-Pacífico (IPEF)” descreve as principais prioridades dos Estados Unidos para se alinhar com aliados e parceiros para competir de forma mais eficaz com a China e reestruturar a cadeia de suprimentos.


O IPEF aborda o comportamento muito mais assertivo e agressivo da China na região do Indo-Pacífico e a importância de estabelecer uma cadeia de suprimentos de alta tecnologia independente da China.


Shawn Lin é um expatriado chinês que vive na Nova Zelândia. Ele contribui para o Epoch Times desde 2009, com foco em tópicos relacionados à China.



PUBLICAÇÃO ORIGINAL >

58 views0 comments

Related Posts

See All