China lista quatro 'linhas vermelhas' para Biden, exige fim de tarifas e sanções pelos EUA

- THE EPOCH TIMES - 12 Fev 2021 -

NICOLE HAO - TRADUÇÃO CÉSAR TONHEIRO -


O ministro das Relações Exteriores da China, Wang Yi, fala no Fórum Lanting sobre as relações China-EUA em Pequim, China, em 22 de fevereiro de 2021. (Greg Baker / AFP via Getty Images)

O ministro das Relações Exteriores da China, Wang Yi, pediu aos Estados Unidos que atendam a quatro requisitos do regime de Xi Jinping no Lanting Forum, uma videoconferência organizada pelo Ministério das Relações Exteriores da China em 22 de fevereiro.


Os pedidos incluem: fim do apoio a Taiwan, Hong Kong, Xinjiang e Tibete; retomar o diálogo EUA-China; o fim das tarifas sobre produtos chineses e sanções às empresas chinesas; e remover todas as restrições às agências de notícias e entidades culturais da China, como os Institutos de Confúcio.

Depois que o presidente Joe Biden anunciou que venceu a eleição presidencial, o líder chinês Xi Jinping e seus diplomatas seniores instaram os Estados Unidos a mudar sua política para a China e criticaram os Estados Unidos por serem unilaterais e preconceituosos contra a China.


“Dizer que somos unilaterais é completamente falso”, disse Miles Yu, o ex-conselheiro de política para a China do ex-secretário de Estado Mike Pompeo. Em uma entrevista para o programa “American Thought Leaders” do Epoch Times . “O desafio da China era o desafio global, nosso desafio global número um ... Nós [fizemos muito esforço] para formar essa coalizão multilateral ... para forjar uma aliança multilateral para enfrentar o desafio da China.”

Vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=s_zB_D9DBhE&feature=emb_logo


Quatro 'linhas vermelhas' da China


Wang afirmou na conferência que o regime totalitário de partido único comunista é um sistema democrático, e que os Estados Unidos interpretaram mal a China nos últimos anos.

Wang então listou quatro sugestões ao novo governo dos EUA como pré-condições para "relações saudáveis entre a China e os Estados Unidos".


“Pare com o comportamento errado e os discursos que toleram ou até apóiam os separatistas da independência de Taiwan”, anunciou Wang no primeiro pedido. “Pare de se intrometer em questões internas chinesas relacionadas a Hong Kong, Xinjiang e Tibete.”


Taiwan é uma região com um governo eleito, sistema legislativo e sistema judicial, bem como seu próprio exército, moeda e muito mais. Mas Pequim a vê como uma província separatista e interfere regularmente nos esforços de Taiwan para se juntar à comunidade internacional.


O regime chinês foi condenado internacionalmente por quebrar sua promessa de manter a política de "um país, dois sistemas" de Hong Kong até 2047 ao lançar uma lei de segurança nacional em 30 de junho de 2020. Em Xinjiang, o regime chinês continua a deter milhões de muçulmanos uigures em campos de concentração, enquanto no Tibete, o regime torturou as pessoas por sua fé e destruiu seu patrimônio cultural.