China Global Television Network promove a Teoria Crítica da Raça (TCR)

- THE EPOCH TIMES - 25 AGO, 2021 - Hannah Cai - Tradução César Tonheiro -

Emissora do regime chinês de língua inglesa faz cartum visando crianças americanas e promove a Teoria Crítica da Raça


Recentemente, a organização sem fins lucrativos Myth Informed, sediada em Wisconsin, que trabalha para limitar os efeitos da ideologia autoritária, postou um tweet alertando que o Partido Comunista Chinês (PCC) em Pequim está “promovendo a ideologia do despertar” visando crianças americanas, referindo-se a um vídeo de desenho animado criado pela emissora de língua inglesa do regime, China Global Television Network ( CGTN ), em setembro de 2020.


A CGTN promoveu a Teoria Crítica da Raça ( sigla em inglês CRT ) em seu vídeo de quatro minutos e incentivou os pais a transformar seus filhos em ativistas raciais.


A linha de abertura do vídeo diz: “O racismo é transmitido de geração em geração”. Uma cena do desenho animado mostra uma criança branca dizendo a uma criança negra: “Você não pode ser o Homem-Aranha, você é negro”. O vídeo também instrui os pais a usarem “exemplos da vida diária e das notícias” para educar seus filhos sobre serem “antirracistas”. O vídeo termina com o narrador dizendo ao espectador que “ser 'não racista' apenas mantém as coisas como estão agora. Por ser 'anti-racista', você pode ajudar a levar nossos filhos a um futuro melhor.”


O vídeo inteiro ecoa os sentimentos do esquerdista radical e ativista TCR Ibram X. Kendi, que teorizou que o racismo está profundamente enraizado e institucionalizado em todos os aspectos da sociedade americana, e que a "supremacia branca" e o racismo são a principal causa das disparidades socioeconômicas entre negros e hispânicos que vivem na América em comparação com os brancos.


A CGTN foi classificada como uma das seis “missões estrangeiras” nos Estados Unidos, na tentativa de alertar os americanos de que o conteúdo da emissora é controlado pelo PCC.

Depois que este vídeo foi carregado no YouTube cerca de um ano atrás, ele recebeu críticas amargas dos telespectadores, com mais espectadores não gostando do que gostando do vídeo. Depois que a Myth Infomed postou o clipe de propaganda em sua conta do Twitter em 16 de agosto, recebeu grande atenção.


Na seção de comentários do Twitter, um internauta chamado Jim Henson DC escreveu: “Ajudar os americanos a se odiarem com mentiras, acho que é um pouco melhor do que desencadear uma pandemia viral”. Outro internauta apontou que o PCC nem mesmo fez sua pesquisa, já que a pessoa que interpretou o Homem-Aranha no último filme do Homem-Aranha, Miles Morales, é na verdade negra.


Asiáticos entre cordeiros para o massacre da TCR


Em 10 de julho, o fundador e presidente da Coalizão Asiático-Americana pela Educação, Zhao Yukong, escreveu um artigo intitulado “Por que os asiáticos deveriam se opor à 'Teoria Crítica da Raça'?”


“Se você substituir 'pessoas brancas' por 'capitalistas latifundiários', 'pessoas de cor' por 'proletariado', 'racismo' por 'opressão de classes', então você verá que a TCR é uma versão reticulada da teoria da luta de classes que agora está sendo promovida como uma teoria da luta racial. A TCR nos diz que a opressão racial na América está em toda parte e que o 'racismo' precisa ser combatido 'ano após ano, mês após mês e dia após dia' para alcançar a 'igualdade racial'”, escreveu Zhao.


Zhao citou e zombou do líder comunista chinês Mao Zedong no artigo. Mao fez uma declaração famosa em 1962 durante a plenária do Comitê Central do PCC: “As lutas de classes devem ser travadas ano após ano, mês após mês e dia após dia”.


Zhao destacou que as “lutas anti-racistas” que estão em pleno andamento nos Estados Unidos hoje, que estão alimentando conflitos sociais internos sob a orientação da TCR, como o Black Lives Matter Movement, também viram os asiáticos se tornarem “ovelhas gordas” sob a faca de açougueiro.


Ele deu o exemplo do cancelamento das pontuações do Scholastic Assessment Test (SAT) em escolas de ensino médio com a intenção de alcançar "igualdade racial" nos resultados da educação, e o fato de que Harvard, Yale e outras universidades de prestígio em todo o país agora consideram raça e etnia um fator importante no seu processo de admissão em faculdades, que defende fortemente a TCR.

Deja Lindsey, 20, aluna do terceiro ano da Universidade de Georgetown, fala em seu telefone celular na frente da Healy Hall no campus em Washington em 1 de setembro de 2016. A Universidade de Georgetown dará preferência na admissão de descendentes de escravos pertencentes aos jesuítas de Maryland como parte de seu esforço para lucrar com a venda de pessoas escravizadas. (AP Photo / Jacquelyn Martin)

Pai afro-americano se levanta contra a TCR


Durante os últimos seis meses, muitos pais - incluindo asiático-americanos e afro-americanos - se uniram para enfrentar o currículo da TCR que está sendo apresentado às escolas em pelo menos 26 estados diferentes.


Christopher Rufo, um pesquisador sênior do Manhattan Institute, compartilhou um vídeo em 19 de agosto em que um pai negro fez um discurso em uma reunião do conselho escolar dizendo que “colocar a Teoria Crítica da Raça em nossas salas de aula não é combater o racismo, é alimentar as chamas das pequenas brasas que sobraram.”


Nesse clipe, o pai diz: “Sou descendente direto do tráfico de escravos na América do Norte. Meus pais são pretos, todos os quatro dos meus avós são pretos, todos os oito dos meus bisavós são pretos [e] todos os dezesseis dos meus trisavós [-avós são negros]. Do lado da minha mãe, meus ancestrais foram escravizados no Alabama; do lado do meu pai, éramos escravos no Texas. Eu não sou oprimido. Não sou oprimido e não sou uma vítima ”.


Depois de ouvir suas falas de abertura, o público aplaudiu o pai de pé. Ele continuou dizendo: “Eu viajo por todo este nosso país… [e] sou tratado com bondade, dignidade e respeito literalmente de costa a costa. Eu tenho três filhos; eles também não são oprimidos, embora sejam vítimas. Eu ensinei meus filhos que eles são vítimas de três coisas: sua própria ignorância, sua própria preguiça e suas próprias decisões ruins.”


De acordo com a mídia local, após o discurso feito por este pai e outros, o conselho escolar votou por 3 a 2 para banir a TCR do 49º Distrito de Colorado Springs.


PUBLICAÇÃO ORIGINAL:

https://www.theepochtimes.com/chinese-regimes-english-language-broadcaster-makes-cartoon-targeting-american-kids-promotes-critical-race-theory_3965308.html


Para acessar o Conteúdo acima, acesse a Home Page aqui. https://www.heitordepaola.online/


16 views0 comments