Cerca de 10.000 chineses ricos querem emigrar da China, mas Xi os deixará?

- BLOOMBERG - Lisa Du, Amanda Wang, Zheng Li - TRADUÇÃO CÉSAR TONHEIRO - 18 JUL, 2022 -

Policiais com EPIs guardam uma estrada durante um bloqueio em Xangai em abril.Fonte: Bloomberg

Chineses ricos com patrimônio de US $ 48 bilhões querem sair – mas Xi os deixará?

Cerca de 10.000 chineses ricos estão querendo sair após os bloqueios punitivos e uma desaceleração econômica. A questão é se eles vão conseguir.

Como milhares de pessoas ricas em toda a China, o dono de restaurantes em Xangai, Harry Hu, está planejando fazer algo que antes considerava impensável: mudar a si mesmo e seu dinheiro para fora do país.


Assustado pelo bloqueio caótico de Xangai sob a política Covid-Zero que tornou a China uma exceção global, Hu está se juntando ao que a consultoria de migração de investimentos Henley & Partners estima ser um contingente de 10.000 residentes de alto patrimônio líquido que buscam retirar US $ 48 bilhões da China este ano – depois da Rússia é a segunda maior saída de pessoas e de riqueza prevista para um país.

A grande questão que agora paira sobre os ricos da China é se o governo do presidente Xi Jinping os deixará sair.

Um morador olha por trás de uma barreira em um bairro anteriormente confinado em Xangai em maio.Fonte: Qilai Shen/Bloomberg

Embora os formuladores de políticas não tenham endurecido explicitamente as restrições à realocação, os advogados de imigração dizem que a mudança se tornou mais difícil nos últimos meses, à medida que o tempo de processamento de passaportes aumenta e os requisitos de documentação se tornaram mais onerosos. A transferência de grandes somas de dinheiro para fora da China também se tornou mais difícil após uma retração de contrapartes estrangeiras que há muito ajudavam os residentes a contornar os controles de capital do país por meio de acordos privados de troca.


Isso está preparando o terreno para um novo surto de tensão entre os chineses ricos e o Partido Comunista, que já estava tenso em meio à campanha populista do presidente Xi Jinping pela "prosperidade comum". O governo premiou a estabilidade antes de uma confabulação de liderança no final deste ano, na qual Xi deve garantir um terceiro mandato sem precedentes, mas o custo econômico de longo prazo no país do Covid Zero será determinado pelo escopo final do êxodo de talento e riqueza da China.


Movendo dinheiro


Os ricos estão migrando mais ativamente em 2022

Fonte: Relatório Henley Global Citizens, New World Wealth Nota: Os números são estimativas com base nos movimentos acumulados no ano

As saídas potenciais de pessoas e capital são “um custo definitivo para a economia chinesa”, disse Nick Thomas, professor associado da Universidade da Cidade de Hong Kong que editou vários livros sobre pandemias e política. Em quase todos os países do mundo, ele apontou, “o risco da Covid está sendo incorporado aos planos econômicos e à modelagem corporativa”.


Apesar dos obstáculos para sair, Hu disse que pretende se mudar para o Canadá.

“Você pode imaginar que eu quase morri de fome no início do bloqueio na cidade mais desenvolvida da China?” disse o homem de 46 anos, que recentemente vendeu grande parte de sua participação majoritária em dois restaurantes sofisticados de Xangai por 20 milhões de yuans (US$ 3 milhões) e contratou um advogado de imigração e um gerente de patrimônio para ajudá-lo a se mudar. “Estou muito triste, mas é hora de partir.”


Consultores e advogados de migração na China disseram que as consultas cresceram de três a cinco vezes na primavera – quando Xangai estava em confinamento – em comparação com um ano antes. As consultas sobre a transferência de dinheiro para fora do país cresceram exponencialmente, de acordo com entrevistas com sete banqueiros que não quiseram ser identificados porque não estão autorizados a falar publicamente.


“Muitos realmente sentiram que não tinham outras opções devido ao bloqueio do Covid”, disse Sumi, uma consultora de migração em Xangai que não quis dar seu nome completo discutindo negócios de clientes. “Eu vi aqueles que costumavam hesitar sobre a emigração finalmente se decidirem desta vez.”

Trabalhadores entregam alimentos para moradores de um bairro fechado em Xangai em maio.Fonte: Bloomberg

Em outro sinal do clima nacional, uma nota recente do bilionário Huang Yimeng, de Xangai, anunciando aos funcionários que planeja mudar sua família para fora da China se tornou viral nas mídias sociais. O executivo-chefe e presidente da empresa de jogos XD Inc. não citou diretamente o bloqueio e XD disse à mídia chinesa que a mudança de Huang foi por motivos familiares. Ainda assim, o anúncio alimentou o debate sobre o desejo crescente entre as pessoas de emigrar.


Destinos populares incluem os EUA, Cingapura, Austrália, Canadá e lugares na Europa. Alguns desses países tornaram os processos de migração mais rigorosos ou reduziram os esquemas de visto de investidor. Lugares onde os requisitos de investimento são relativamente baixos – como Espanha, Portugal ou Irlanda – também podem se tornar mais populares, disse um banqueiro privado.


Em Cingapura, o número de family offices quase dobrou no final de 2021 em comparação ao ano anterior, segundo a Autoridade Monetária de Cingapura. A demanda cresceu especialmente rapidamente entre as famílias de empresários chineses, sugerindo que os ultra-ricos já fizeram mudanças no exterior.


Por que a China está mantendo sua estratégia Covid Zero: Breve Opinião


Ainda assim, “há muitas barreiras institucionais” para deixar a China, disse Jennifer Hsu, pesquisadora do instituto Lowy Institute em Sydney, Austrália, que estuda comunidades chinesas no exterior. “Você pode ter esse desejo, mas existem vários obstáculos – principalmente do lado da China, muito menos de onde você espera emigrar.”


Apenas garantir a papelada necessária para deixar a China está se mostrando muito mais difícil nos dias de hoje.


O governo chinês desencoraja viagens não essenciais desde o final de 2020, citando as medidas de prevenção da Covid como motivo. Em maio, a Administração Nacional de Imigração da China disse que limitará estritamente as viagens de saída desnecessárias para os cidadãos e reforçará a aprovação de documentos de entrada e saída.

Destinos populares entre as pessoas que procuram emigrar incluem Cingapura.Fotógrafo: Lauryn Ishak/Bloomberg

A administração de imigração não respondeu aos pedidos de comentários enviados por fax.


Um banqueiro privado, que falou sob condição de anonimato, disse que um cliente de Xangai tentou recentemente conseguir um visto para estudar em Cingapura para seu filho, mas foi negado pela agência do governo local.


Os aspirantes a emigrantes também precisam se tornar mais experientes na movimentação de dinheiro para fora da China. Os cidadãos só podem converter $ 50.000 em yuan em moeda estrangeira a cada ano. No passado, as pessoas mais ricas encontraram maneiras de contornar a regra, mas algumas dessas opções estão diminuindo.


Há apenas um ano, as opções viáveis para transferir dinheiro da China incluíam o uso de criptomoedas ou um acordo privado com uma contraparte estrangeira que desejava enviar yuan para o continente. No entanto, a ampla repressão da China às criptomoedas nos últimos anos significou proibições em quase todas as atividades, incluindo trocas, ofertas iniciais de moedas, mineração e transações.


Enquanto isso, os acordos de troca estão se tornando mais difíceis de conseguir, já que menos pessoas querem transferir dinheiro para a China, de acordo com um banqueiro privado de Hong Kong que se recusou a ser identificado porque não estava autorizado a falar publicamente.


O morador de Pequim David, que se recusou a dar seu sobrenome devido a sensibilidades, espera que um caminho rápido para um green card dos EUA possa ajudá-lo a retirar dinheiro da China. O governo normalmente permite que aqueles que obtiveram residência permanente em outro lugar façam uma transferência única de uma grande soma de dinheiro.


“Acho que a economia da China enfrentará muitos desafios no futuro”, disse o consultor de 42 anos, que citou a desaceleração da economia, as políticas de Covid e as tensões geopolíticas como suas motivações para sair. "Os EUA provavelmente ainda oferecerão mais oportunidades em termos de crescimento dos negócios."


David disse que planeja solicitar um visto EB-1 – que concede residência permanente a imigrantes com capacidade extraordinária – e depois montar um negócio no Texas que usa dados e IA para aconselhar a indústria do petróleo.

Uma área de check-in vazia no Aeroporto Internacional de Hongqiao, em Xangai.Fotógrafo: Qilai Shen/Bloomberg

Embora a recente decisão da China de reduzir a quarentena de hotéis para chegadas internacionais para apenas sete dias tenha aumentado as esperanças de que o país possa aliviar ainda mais suas políticas de Covid, os inconvenientes e as incertezas da abordagem do país continuam perturbando a vida cotidiana. No mês passado, Xi reiterou seu apoio ao Covid Zero em um discurso em Wuhan, dizendo que era a estratégia mais “econômica e eficaz” para a China.


Muitos moradores ainda temem que Xangai possa entrar em confinamento novamente, pois os casos de Covid persistem e as unidades de testes em massa foram ordenadas, enquanto os bloqueios continuam sendo impostos em outras cidades.


Para Hu, o dono do restaurante, o leve relaxamento não está lhe dando nenhuma pausa nos planos de emigração.


“Já pensei em deixar a China várias vezes no passado e desisti, mas agora estou determinado a sair”, disse Hu. Apesar de enviar materiais para seu pedido de visto e renovação de passaporte há mais de um mês, ele ainda não recebeu resposta.


Com reportagem de Lisa Du, Amanda Wang, Zheng Li

Com assistência de Denise Wee, Lulu Yilun Chen, Dong Lyu e Daniela Wei


PUBLICAÇÃO ORIGINAL >

https://www.bloomberg.com/news/articles/2022-07-19/xi-s-strict-covid-zero-policy-in-china-pushes-wealthy-to-leave-country





17 views0 comments