Biden responde ao colapso do Afeganistão: 'Isso se desdobrou mais rápido do que esperávamos'

- THE EPOCH TIMES - 16 AGO, 2021 - Jack Phillips - Tradução César Tonheiro -

Depois de enfrentar um bando de críticas bipartidárias, o presidente Joe Biden na tarde de segunda-feira reconheceu que o colapso do Afeganistão aconteceu mais rapidamente do que seu governo havia previsto.


“Isso se desenrolou mais rapidamente do que prevíamos”, disse Biden na Casa Branca, culpando os líderes políticos e militares do Afeganistão por desistir e fugir do país.


O presidente também acusou o governo afegão de impedir os Estados Unidos de realizar um plano de evacuação em massa antes da retirada, alegando que isso criaria uma "crise de confiança".


Funcionários da Casa Branca e funcionários da inteligência dos EUA estão “monitorando de perto a situação no Afeganistão”, acrescentou o presidente.


A missão no Afeganistão, que durou quase 20 anos, foi projetada para derrubar a rede terrorista Al-Qaeda que foi acusada por oficiais de inteligência por desencadear os ataques terroristas de 11 de setembro. Os Estados Unidos também mataram o líder terrorista Osama bin Laden "uma década atrás", disse Biden.


Biden acrescentou que a invasão do Afeganistão "nunca foi considerada uma construção nacional" ou "criação de uma democracia centralizada".


O presidente não respondeu a perguntas. A Casa Branca confirmou aos repórteres que ele está voltando para Camp David, onde passou os últimos dias de férias.


Em seu discurso, Biden pareceu abordar o caos que atualmente está se desenrolando no aeroporto de Cabul, onde muitos americanos e estrangeiros permanecem. As tropas americanas foram alvejadas por assaltantes armados, forçando os soldados a responder ao fogo, disse o porta-voz do Pentágono, John Kirby, no início do dia.

Membros do grupo terrorista Talibã sentam-se em um veículo ao longo da rua em Jalalabad em 15 de agosto de 2021. (/ AFP via Getty Images)

Membros das forças do Taleban gesticulam ao verificar um veículo em uma rua de Cabul, Afeganistão, em 16 de agosto de 2021. (Stringer / Reuters)

“Nossa presença diplomática também está consolidada no aeroporto”, disse Biden, acrescentando que voos de evacuação serão realizados nos próximos dias.


O presidente, entretanto, sugeriu que o colapso do Afeganistão era responsabilidade do ex-presidente Donald Trump por negociar um acordo com o Taleban para iniciar a retirada em 1º de maio de 2021, acrescentando que seu governo foi forçado a cumprir os contornos de um acordo que Trump havia intermediado.


Mas em uma série de declarações na semana passada, Trump criticou a estratégia de retirada de Biden, perguntando: "Alguém pode imaginar tirar nossos militares antes de evacuar civis e outras pessoas que têm sido boas para o nosso país e que deveriam ter permissão para buscar refúgio?"


“Essas pessoas [militares] deixaram equipamentos de primeira linha e altamente sofisticados. Quem pode acreditar em tamanha incompetência? Sob minha administração, todos os civis e equipamentos teriam sido removidos ”, disse Trump, referindo-se às armas e veículos militares americanos capturados pelas forças do Taleban nos últimos dias.


No fim de semana, Biden, que estava de férias em Camp David, enfrentou críticas bipartidárias significativas por não abordar a tomada do Taleban e questionar a inteligência militar dos EUA sobre a retirada. Até vários ex-oficiais e generais do Departamento de Defesa concordaram, comparando o colapso do governo afegão e a evacuação da embaixada dos Estados Unidos com a queda de Saigon em 1975, a situação dos reféns iranianos em 1979 ou o incidente na Baía dos Porcos em 1961.

Terroristas talibãs assumem o controle do palácio presidencial afegão depois que o presidente afegão Ashraf Ghani fugiu do país, em Cabul, Afeganistão, em 15 de agosto de 2021. (Zabi Karimi / AP Photo)

E embora Biden não tenha feito nenhum discurso na televisão nos últimos dias, outros líderes mundiais — incluindo o primeiro-ministro britânico Boris Johnson e a chanceler alemã Angela Merkel — expressaram consternação pública sobre como o governo e os Estados Unidos lidaram com a retirada e evacuação de estrangeiros.


Quando o anúncio do Afeganistão foi feito no mês passado, Biden disse que não seria semelhante à queda de Saigon em 1975, quando as forças comunistas vietnamitas invadiram a capital, culminando com o fim da Guerra do Vietnã.


A ofensiva do Taleban chocou as autoridades americanas. Poucos dias antes de o Taleban entrar em Cabul com pouca ou nenhuma resistência, uma avaliação militar dos EUA previu que poderia levar meses para cair.


Falando na segunda-feira em programas matinais de TV, altos membros da equipe de segurança nacional de Biden e funcionários do Departamento de Estado tentaram transferir a culpa do colapso para as forças do exército afegão.


No entanto, eles reconheceram a velocidade com que o Afeganistão foi tomado pelo Taleban, acusado de abrigar grupos terroristas como a Al-Qaeda ou a rede Haqqani, e disseram que suas manobras na semana passada os pegaram desprevenidos.


"É certamente o caso que a velocidade com que as cidades caíram foi muito maior do que qualquer um antecipou", disse o conselheiro de segurança nacional Jake Sullivan no programa "Today", acrescentando também que o exército afegão não tinha "vontade" de lutar contra os grupos.


No fim de semana, o secretário de Estado Antony Blinken disse que os Estados Unidos alcançaram seu objetivo no Afeganistão, que era derrotar a Al-Qaeda após os ataques terroristas de 11 de setembro de 2001. Apesar de sua afirmação, no entanto, muitas questões permaneceram sobre por que os militares dos EUA permaneceram no país do sul da Ásia por quase 20 anos e se os líderes militares, ao longo dos anos, voluntariamente enganaram o público americano sobre por que as tropas permaneceram estacionadas lá.


Os Estados Unidos agora se concentrarão em proteger o aeroporto de Cabul, disse o vice-conselheiro de Segurança Nacional Jon Finer a repórteres na tarde de segunda-feira. Tropas americanas adicionais irão para o aeroporto na segunda e terça-feira, disse ele. Na manhã de segunda-feira, a Casa Branca confirmou que há um “número significativo de americanos” que ainda estão dentro do Afeganistão em meio ao caos no aeroporto de Cabul.


PUBLICAÇÃO ORIGINAL:

https://www.theepochtimes.com/biden-responds-to-afghanistan-collapse-this-did-unfold-more-quickly-than-we-anticipated_3950696.html


Para acessar o Conteúdo acima, acesse a Home Page aqui. https://www.heitordepaola.online/



7 views0 comments