AUSÊNCIA DE REVISÃO NACIONAL DE SEGURANÇA DESTACA OS PERIGOS DE AMERICANOS ESTAREM FINANCIANDO INVOL

07/10/2019


- Present Danger China -

Tradução César Tonheiro




Eis o teor da PETIÇÃO:


WASHINGTON, DC - O fato de muitos americanos estarem involuntariamente financiando empresas chinesas que se envolvem em uma série de atividades contrárias à nossa segurança e valores nacionais é assustador. Pior ainda é a perspectiva de que seus números aumentem em breve, pois os funcionários do governo - passado e presente, militares e civis - são obrigados a investir seus fundos de pensão em empresas vinculadas ao Partido Comunista Chinês (PCC) e sua agenda de repressão em casa e agressão no exterior. Felizmente, seis veteranos influentes uniram forças para se opor a esse sério erro estratégico e instar outros a fazer o mesmo .


Esse esforço é ainda mais necessário pelo fato de as empresas da RPC em questão não precisarem enfrentar os testes de transparência [proibidas de serem auditadas pelo PCCh] e responsabilidade exigidos por outras empresas. Como resultado, não há requisitos para divulgar os riscos materiais que geralmente estão associados a esses investimentos. 


Depois, há o problema de que nenhuma revisão sistemática de segurança se aplica a essas empresas. Como resultado, é possível que os americanos invistam em empresas chinesas que não estão autorizadas a fazer negócios neste país porque foram sancionadas pelo governo dos EUA . Da mesma forma, está disponível financiamento em nossos mercados de capitais para empresas que: estão construindo e fortalecendo ilhas no Mar da China Meridional; construir o estado de vigilância do PCCh que permita perseguir pessoas de fé e inúmeras outras na China; e fabricando porta-aviões, submarinos e as inúmeras armas chinesas projetadas para matar nossos homens e mulheres de farda e, em alguns casos, seus compatriotas e mulheres do lar.


A necessidade de aumentar o escrutínio da comunidade nacional de segurança das empresas da República Popular da China (RPC) em nossos mercados de capitais foi recentemente questionada pelo novo comandante de fuzileiros navais, Gen. David Berger. Em resposta a uma pergunta colocada após as observações do General à Fundação do Heritage na quinta-feira passada por um dos veteranos envolvidos neste assunto, a sargento da artilharia Jessie Jane Duff , USMC (Ret.), o comandante reconheceu que não tinha sido informado de ter o sistema de aposentadoria Federal Thrift Savings Plan (TSP) investido em corporações chinesas. Com o eufemismo característico e a determinação de um fuzileiro naval, o General Berger observou laconicamente que agora ele está ciente disso.


Nesse o caso, é imperativo que o restante dos Chefes de Estado-Maior igualmente tome ciência da situação. Os seus subordinados, o Secretário de Defesa e os outros civis do Pentágono que precisam conhecer pessoalmente — é também um dever profissional avaliar — as implicações de segurança de seus fundos de pensão que estão sendo disponibilizados às empresas chinesas ne'er-do-wells (trambiqueiras). Eles devem fazê-lo em nome dos milhões de outros funcionários do governo cujas pensões enfrentam essa exposição — para não falar dos veteranos e aposentados civis cujas economias de aposentadoria correm o mesmo risco. Esta situação não deve persistir.


Para esse fim, Gunny Duff e cinco oficiais aposentados — tenentes-generais William "Jerry" Boykin e Thomas McInerney , brigadeiro-general Robert Spalding , tenente-coronel (e ex-congressista) Allen West e Darrell Smith — pediram ao presidente Trump para tomar as medidas necessárias para "impedir que o Plano de Poupança Econômico seja utilizado por empresas vinculadas ao Partido Comunista Chinês e, assim, garantir que os aposentados federais não acabem financiando os nossos inimigos".


The Committee on the Present Danger: China (CPDC) vem alertando há meses sobre a penetração da China comunista no mercado de capitais dos EUA e a conseqüente subscrição de muitas das atividades malévolas do Partido Comunista Chinês. Isso foi feito principalmente por meio de uma série de Briefings de Ameaças do CPDC — incluindo um em 12 de setembro, focado especificamente no acesso iminente de Pequim aos meio trilhões de dólares do Plano de Poupança Thrift sob gestão. No site do Comitê (www.PresentDangerChina.org), há vídeos relevantes de comentários de legisladores do passado e do presente, como o ex- presidente da Câmara Newt Gingrich, o senador Marco Rubio, o deputado Jim Banks ; O ex-diretor sênior de Assuntos Econômicos Internacionais do Presidente Reagan, Roger Robinson; líderes do setor financeiro como Kyle Bass, da Hayman Capital , Kevin Freeman , apresentador do "Economic War Room with Kevin Freeman" e Chris Iacovella da American Securities Association; e profissionais de políticas públicas como Steve Bannon e o presidente do CPDC, Brian Kennedy.


O Comitê insta os americanos — seja no governo, especialmente membros anteriores e atuais das forças armadas, ou fora dele — a se unirem a ele e aos distintos signatários da declaração anexa em oposição à decisão de por em risco o Plano de Poupança pelo Morgan Stanley Capital International (MSCI) e que aponte os países no Índice Mundial. Eles podem expressar essa oposição assinando a petição “Não Financie o Inimigo” do CPDC em www.PresentDangerChina.org .


A missão do Comitê sobre o Perigo Atual: a China é ajudar a defender os Estados Unidos por meio de educação e defesa pública contra toda a gama de perigos convencionais e não convencionais colocados pela República Popular da China. Como a União Soviética no passado, a China comunista representa uma ameaça existencial e ideológica para os Estados Unidos e para a idéia de liberdade — uma que requer um novo consenso americano em relação às políticas e prioridades necessárias para derrotar essa ameaça. E, para esse fim, é necessário levar em consideração as habilidades, conhecimentos e energias coletivas de um grupo diversificado de especialistas em China, profissionais de segurança nacional, ativistas de direitos humanos e liberdade religiosa e outros que uniram forças sob a égide do Comitê sobre o Perigo Atual: China.


Artigo Original:

https://presentdangerchina.org/2019/10/absence-of-national-security-review-underscores-dangers-of-military-others-compulsory-investment-in-chinese-companies/

© Todos os Direitos Reservados - heitordepaola.online