Apple fica do lado do Partido Comunista Chinês

EL AMERICAN - 24 Dec, 2020 -

RAFAEL VALERA -



A Apple tem um histórico de manter a aprovação de Pequim, o que facilitou a perseguição e a brutalidade policial contra os manifestantes em Hong Kong


Aempresa Apple se recusa a fazer conteúdo que possa prejudicar o regime chinês, um país do qual sua produção depende quase inteiramente.

De acordo com reportagem do Buzzfeed News , a Apple tem uma história de manter a aprovação de Pequim, o que facilitou a perseguição e a brutalidade policial contra os manifestantes em Hong Kong. Em uma de suas ações para agradar ao Partido Comunista da China, a Apple removeu o aplicativo HKmap.live da iOS App Store que ajudava os manifestantes a rastrear e fugir da polícia sob o regime de Xi Jinping.


O Global Times , um órgão de propaganda do Partido Comunista da China (PCC), parabenizou a Apple pela mudança que facilitou a transferência da dissidência em Hong Kong para o aparato repressivo comunista. A Apple disse em um comunicado que o aplicativo foi usado "de uma forma que põe em perigo as autoridades policiais e os residentes de Hong Kong". Eles também alegam que "verificaram com o Escritório de Crime Tecnológico e Cibersegurança de Hong Kong (CSTCB) que o aplicativo foi usado para atacar e emboscar a polícia". De acordo com o The Verge , o HKmap.live respondeu afirmando que "não há evidências para apoiar a acusação do CSTCB."


O Global Times garante que "o aplicativo, que coleta informações sobre onde a força policial de Hong Kong está posicionada durante os protestos, se tornou um mapa em tempo real popular usado por manifestantes de rua", pois através de seu uso eles podem rastrear pessoas forças repressivas e saber, de fato, onde gás lacrimogêneo foi usado e onde canhões de água foram lançados.


LEIA MAIS:

https://elamerican.com/apple-se-rehusa-hacer-contenido-anti-china/


36 views0 comments