AMEAÇAS DE PEQUIM SOBRE PROJETO DE LEI DE APOIO A HONG KONG É 'RISÍVEL', DIZ ESPECIALISTA EM CHINA

29/11/2019


- FOX NEWS -

Tradução César Tonheiro




Gordon Chang, autor de "The Coming Collapse of China", disse quinta-feira que as ameaças de Pequim em tomar  "contramedidas" sobre a lei dos EUA que apoiam os protestos em Hong Kong são "risíveis" e que o país não está em posição de "irritar seu melhor cliente" à medida que sua economia está em queda.


Pequim rapidamente admoestou o presidente Trump e o Congresso por aprovar dois projetos de lei que visam apoiar os direitos humanos em Hong Kong. O Ministério das Relações Exteriores da China disse em comunicado que os projetos de lei "apenas fortalecerão a resolução do povo chinês, incluindo o povo de Hong Kong, e elevarão as intenções sinistras e a natureza hegemônica dos EUA", e prometeram vagas "contramedidas".


Chang disse em um e-mail que qualquer coisa que Pequim possa fazer "se machucará mais do que nós, e dado o quão perto sua economia está da beira do penhasco, o regime pode acabar se retaliando".


Ele continuou: "Durante quatro décadas, as elites e os formuladores de políticas nos disseram que não podíamos dar ao luxo de perturbar a China. Quarta-feira, o presidente Trump fez o que seus antecessores não fariam — defender a América de uma China que está atrás de nós. O mesmo poder que está invadindo a autonomia de Hong Kong está atacando nossa sociedade de maneira geral".


Hong Kong, uma ex-colônia britânica que recebeu semi-autonomia quando a China assumiu o controle em 1997, foi atingida por seis meses de manifestações pró-democracia às vezes violentas depois que um projeto de extradição surgiu no verão passado que — se aprovado — teria enviado supostos criminosos em Hong Kong à China para julgamento.


A Lei de Direitos Humanos e Democracia de Hong Kong, patrocinada pelo senador Marco Rubio, na Flórida, exige que os EUA realizem análises anuais sobre a autonomia de Hong Kong em relação a Pequim. Se alguma vez for considerado insatisfatório, o status especial da cidade para o comércio nos EUA poderá ser alterado.


Até o anúncio de quarta-feira, Trump não indicava se ele assinaria ou não projeto de lei. O secretário de Estado Mike Pompeo se recusou a responder à pergunta de um repórter sobre as tendências do presidente na terça-feira.


"Eu assinei esses projetos por respeito ao presidente Xi, China e ao povo de Hong Kong", disse Trump em comunicado. "Eles estão sendo promulgados na esperança de que os líderes e representantes da China e Hong Kong sejam capazes de resolver amigavelmente suas diferenças, levando a paz e prosperidade a longo prazo para todos".


A Lei de Direitos Humanos e Democracia de Hong Kong, patrocinada pelo senador Marco Rubio, na Flórida, exige que os EUA realizem análises anuais sobre a autonomia de Hong Kong em relação a Pequim. Se alguma vez for considerado insatisfatório, o status especial da cidade para o comércio nos EUA poderá ser alterado.


Os projetos foram aplaudidos por manifestantes que os vêem como um aviso a Pequim e Hong Kong.


"De qualquer forma, os chineses [entenda-se PCC] ficaram ofendidos e bufando de raiva com o projeto de lei assinado pelo presidente Trump", escreveu Chang. "Quarta-feira foi um ótimo dia para a América e um grande dia para as sociedades livres em todo o mundo".



https://www.foxnews.com/politics/beijing-threats-over-bill-supporting-hong-kong-laughable-china-expert-says

© Todos os Direitos Reservados - heitordepaola.online

  • Facebook
  • Twitter
  • YouTube