'Alguém pode pegar o seu DNA e projetar uma arma que pode matá-lo'

- DAILY MAIL - Ronny Reyes - TRADUÇÃO CÉSAR TONHEIRO - 24 JUL, 2022 -

A 23andMe afirmou repetidamente que não vende informações privadas dos clientes, mas a empresa de DNA é uma das muitas que forneceu informações à polícia mediante solicitação

Membro do comitê de inteligência da Câmara adverte as pessoas a não compartilhar dados de saúde com sites como a 23andMe porque pode ser usado para programar novas armas biológicas para alvejá-los


  • O representante dos EUA Jason Crow alertou que estão sendo feitas armas biológicas que usam o DNA como alvo para matar apenas determinada(s) pessoa(s) durante o Fórum de Segurança de Aspen na sexta-feira

  • O congressista disse que o desenvolvimento das armas é preocupante dada a popularidade de serviços de teste de DNA como a 23andMe

  • [A 23andMe é uma empresa privada de genômica pessoal e biotecnologia, com sede em Mountain View, Estados Unidos, que fornece testes genéticos com rapidez]

  • A 23andMe afirmou que não vende informações privadas do cliente, mas a empresa é uma das muitas que forneceu informações à polícia

  • Em 2019, descobriu-se que vários laboratórios russos e chineses estavam processando testes de DNA para americanos por meio do Medicare e Medicaid

  • Autoridades alertaram que as armas biológicas também podem atingir animais e interromper o fornecimento de alimentos em todo o mundo

Um membro do Comitê de Inteligência da Câmara dos EUA alertou que estão sendo feitas armas biológicas que usam o DNA de um alvo para matar apenas essa pessoa.


Falando no Fórum de Segurança de Aspen na sexta-feira, o representante dos EUA Jason Crow, do Colorado, alertou os americanos para não serem tão arrogantes em compartilhar seu DNA com empresas privadas devido à chegada do novo tipo de arma.

“Você pode realmente pegar o DNA de alguém, você sabe, pegar seu perfil médico e pode mirar em uma arma biológica que vai matar essa pessoa ou tirá-la do campo de batalha ou torná-la inoperável”, disse Crow.

O congressista disse que o desenvolvimento das armas é preocupante, dada a popularidade dos serviços de teste de DNA, onde as pessoas compartilham voluntariamente seu mapeamento genético com empresas para obter informações sobre sua genealogia e saúde.

"Você não pode discutir isso sem falar sobre privacidade e proteção de dados comerciais porque as expectativas de privacidade se degradaram nos últimos 20 anos", disse o legislador democrata.

“Os jovens realmente têm muito pouca expectativa de privacidade, é o que mostram as pesquisas e os dados”.

Crow, um ex-guarda-florestal do Exército que serviu três vezes no Iraque e no Afeganistão, continuou: "As pessoas vão cuspir muito rapidamente em um copo e enviá-lo para a 23andMe e obter dados realmente interessantes sobre seus antecedentes".

O representante dos EUA Jason Crow, do Colorado, alertou que estão sendo feitas armas biológicas que usam o DNA de um alvo para matar apenas essa pessoa durante o Fórum de Segurança de Aspen na sexta-feira.

O congressista disse que o desenvolvimento das armas é preocupante dada a popularidade de serviços de teste de DNA como a 23andMe

'Adivinha? Seu DNA agora pertence a uma empresa privada. Ele pode ser vendido com muito pouca proteção de propriedade intelectual ou proteção de privacidade e não temos regimes legais e regulatórios para lidar com isso.'

'Temos que ter uma discussão aberta e pública sobre... como é a proteção das informações de saúde, informações de DNA e seus dados, porque esses dados realmente serão adquiridos e coletados por nossos adversários para o desenvolvimento desses sistemas.'

A 23andMe afirmou repetidamente que não vende informações privadas dos clientes, mas a empresa de DNA é uma das muitas que forneceu informações à polícia mediante solicitação.

A senadora norte-americana Joni Ernst, de Iowa, membro do Comitê de Serviços Armados do Senado, disse que os rivais norte-americanos poderiam usar essas armas biológicas de DNA para atingir suprimentos de alimentos em grande escala.

Ernst alertou que armas biológicas podem ser usadas para atingir animais específicos dos quais cidadãos, tropas ou cidades dependem, causando escassez e insegurança alimentar para enfraquecer as pessoas.

“A insegurança alimentar gera muitas outras inseguranças em todo o mundo”, disse Ernst.

"Existem várias maneiras de olhar para as armas biológicas e a necessidade de garantir que não apenas estamos protegendo os seres humanos, mas também a comida que nos sustentará."

A senadora dos EUA Joni Ernst, membro do Comitê de Serviços Armados do Senado, disse que os rivais dos EUA poderiam usar essas armas biológicas de DNA para atingir suprimentos de alimentos em grande escala.

No início desta semana, o Washington Examiner relatou o quão fácil poderia ser para bancos de dados de propriedade privada serem usados para desenvolver armas biológicas como as apresentadas por Crow.

A publicação explicou como o DNA pertencente a um alvo - ou o parente próximo de um alvo - poderia ser roubado e usado para produzir uma arma biológica eficaz apenas contra essa pessoa.

Essa tecnologia pode levar a programas de assassinato altamente direcionados e também tornar muito mais difícil o rastreamento dos assassinos.

Tecnologia semelhante poderia ser implantada contra a agricultura e a pecuária dos EUA, projetando armas que alvejam apenas uma determinada raça de animais de fazenda ou colheita.

Isso poderia mergulhar o país na fome e deixar os EUA de joelhos diante das hostilidades de um rival como a Rússia ou a China.

O general do Exército Richard Clark, comandante do Comando de Operações Especiais dos EUA, destacou como a Rússia já havia atingido a infâmia com uma versão menos sofisticada do mesmo esquema.

Discutindo o envenenamento por agente nervoso do ex-agente duplo Sergei Skripal na Inglaterra em 2018, ele disse: “A Rússia está disposta a usá-los contra oponentes políticos. Eles estão dispostos a usá-los em seu próprio solo, mas depois entrar no solo de um aliado da OTAN no Reino Unido e usá-los... e à medida que avançamos no futuro, temos que estar preparados para essas eventualidades.

'E acho que não falamos sobre isso tanto quanto deveríamos e os métodos para continuar a combater.'

Skripal e sua filha Yulia foram envenenados com o agente nervoso Novichok na cidade inglesa de Salisbury e quase morreram devido aos ferimentos. A então primeira-ministra britânica Theresa May culpou a Rússia dias depois pela indignação.

No ano passado, o senador norte-americano Marco Rubio deu o alarme de que laboratórios russos e chineses estavam processando os testes de DNA de americanos através do Medicare e Medicaid.

"É ridículo que nossas políticas atuais permitam que o Partido Comunista Chinês acesse os dados genômicos dos americanos", disse Rubio em comunicado.

“Não há absolutamente nenhuma razão para que Pequim, que rotineiramente procura minar a segurança nacional dos EUA, receba os dados genômicos de cidadãos americanos.

Em 2018, Ancestry, 23andMe, Habit, Helix e MyHeritage assinaram a política elaborada com a ajuda do The Future of Privacy Forum, uma organização sem fins lucrativos, em apoio ao 'avanço de práticas de dados responsáveis em apoio a tecnologias emergentes' de acordo com o Gizmodo.

As diretrizes intituladas Privacy Best Practices for Consumer Genetic Testing Services e divulgadas na terça-feira, lidam com cenários em que informações genéticas anônimas e de identificação pessoal dos usuários podem ser compartilhadas com as autoridades (sem mandado) e outros terceiros.

As novas políticas voluntárias prescrevem a exigência de consentimento separado dos usuários antes de compartilhar 'informações em nível individual' com outras empresas e mais transparência sobre o número de solicitações de dados recebidas e atendidas pela aplicação da lei.

Embora todas as empresas tenham dito que concordam com esses padrões de prática, não há lei que aplique as regras.

PUBLICAÇÃO ORIGINAL > https://www.dailymail.co.uk/news/article-11042835/House-intelligence-committee-speaks-new-DNA-bio-weapons-target-single-person.html




46 views0 comments