A China 'vai te usar e depois te descartar', alerta especialista Tesla

- THE EPOCH TIMES - Frank Fang e David Zhang - Tradução César Tonheiro -14 JAN, 2022 -

A estratégia nacional de Pequim de transferência forçada de tecnologia significa que a Tesla acabará sendo expulsa do mercado chinês, assim como o destino sofrido por outras empresas ocidentais no passado, disse Robert Atkinson, presidente da Fundação de Tecnologia da Informação e Inovação (ITIF), com sede em Washington).


“No final das contas, a estratégia para a China é bastante clara. É que eles vão te usar e depois te descartar”, disse Atkinson durante uma entrevista recente com a NTD, mídia irmã do Epoch Times.


“A estratégia chinesa para a Tesla, acredito, é, ei, vamos obter alguns benefícios da Tesla. Mas, em última análise, queremos que empresas como a Geely e os outros fabricantes chineses de EV [veículos elétricos] dominem, não apenas o mercado chinês, mas muito do mercado mundial”, acrescentou.


O regime chinês é conhecido por exigir que empresas estrangeiras entrem em joint ventures com empresas chinesas, muitas delas apoiadas pelo regime comunista, a fim de obter seu know-how, tecnologia valiosa e propriedade intelectual (PI).


A Tesla parecia ter evitado esse risco quando, em 2018, se tornou a primeira montadora estrangeira a montar uma fábrica de propriedade integral na China sem uma empresa chinesa como parceira. A fábrica, localizada em Xangai, começou a produzir Tesla Model 3 no final de 2019.


No entanto, Atkinson disse que Pequim recebe “transferência de tecnologia direta ou indireta” da Tesla. Além disso, os fabricantes chineses de veículos elétricos também devem se beneficiar, já que alguns dos atuais funcionários da Tesla acabarão trocando de emprego e trabalharão para fabricantes de veículos elétricos chineses, acrescentou.


Por exemplo, ele apontou para duas empresas europeias de telecomunicações Nokia e Ericsson, dizendo como as duas empresas costumavam ter uma grande fatia do mercado chinês antes de ceder aos seus concorrentes chineses ZTE e Huawei.


“Acho que é isso que vamos acabar vendo [com a Tesla] em algum momento. A verdadeira questão é quanto tempo?” Disse Atkinson.


Mas talvez o mais importante para todas as empresas estrangeiras saberem, disse Atkinson, é que a China não está desistindo de seus métodos atuais de obtenção de tecnologias ocidentais.


“Transferência forçada de tecnologia, roubo de propriedade intelectual, aquisição de conhecimento, como você quiser chamar, ainda será uma parte essencial da economia chinesa por pelo menos mais uma década ou duas”, alertou.


A economia da China está se tornando mais sofisticada, ganhando rapidamente sobre os Estados Unidos nos últimos 20 anos, de acordo com os rankings globais de complexidade econômica do Growth Lab da Universidade de Harvard. Uma classificação mais alta em seu Índice de Complexidade Econômica (ICE) indica que um país exporta bens mais diversos e complexos.


Em 2000, a China ficou em 39º lugar no índice ECI, enquanto os Estados Unidos eram o sexto país mais complexo do mundo. Em 2019, a China saltou para a 16ª posição, enquanto os Estados Unidos caíram para a 11ª posição. O Japão ficou em primeiro lugar em 2000 e 2019.


Para reverter a tendência, Atkinson disse que a Lei de Inovação e Concorrência dos EUA (USICA), um projeto de lei aprovado no Senado em junho do ano passado, é uma importante legislação para aumentar as capacidades dos EUA em setores de tecnologia avançada.


Se promulgado, o projeto autorizaria cerca de US$ 190 bilhões em gastos com pesquisa e desenvolvimento científico e US$ 52 bilhões em financiamento para impulsionar a produção e pesquisa dos EUA em semicondutores – minúsculos chips que alimentam tudo, desde smartphones, veículos elétricos até mísseis.


A Câmara dos Deputados ainda precisa aprovar sua versão do projeto de lei do Senado. Em novembro do ano passado, a presidente da Câmara Nancy Pelosi (D-Calif.) e o líder da maioria no Senado Chuck Schumer (DN.Y.) emitiram uma declaração conjunta anunciando um acordo bicameral para a conferência da USICA.


De acordo com Atkinson, pode haver uma votação na Câmara no próximo mês.


Há mais que o governo dos EUA pode fazer, como negar que empresas chinesas se beneficiem de roubo de propriedade intelectual ou subsídios governamentais maciços para acessar o mercado dos EUA, acrescentou Atkinson.


Subsídios governamentais excessivos e roubo de propriedade intelectual estavam entre as práticas comerciais ilegais da China que o Representante Comercial dos EUA encontrou em sua investigação da “Seção 301” em 2018. Isso promoveu a guerra comercial sino-americana e a assinatura de um acordo comercial de fase um em janeiro de 2020. Acordo que a China concordou em comprar pelo menos US$ 200 bilhões em bens e serviços adicionais dos EUA durante 2020 e 2021 e encerrar a transferência forçada de tecnologia.


“Acho que no final das contas, o que temos que fazer na América é começar a pedalar mais rápido”, disse Atkinson. “Se não fizermos isso, acho que é essencialmente o fim do jogo.”


Frank Fang é um jornalista baseado em Taiwan. Ele cobre notícias na China e em Taiwan. Ele possui mestrado em ciência dos materiais pela Universidade de Tsinghua, em Taiwan.


PUBLICAÇÃO ORIGINAL >

https://www.theepochtimes.com/china-will-use-you-and-then-shove-you-aside-expert-warns-tesla-as-it-tries-to-capture-chinese-market_4212803.html


Acesse a minha HOME PAGE, para assistir meus vídeos e ler meus livros: https://www.heitordepaola.online/


7 views0 comments