A China é incapaz de salvar o jato F-35C dos EUA que caiu no Mar do Sul da China

- THE EPOCH TIMES - Jenny Li - TRADUÇÃO CÉSAR TONHEIRO - 10 FEV, 2022 -

Um F-35C Lightning II do 'Rough Raiders' do Strike Fighter Squadron (VFA) 125 se preparando para fazer um pouso de cabo preso no convés de voo do porta-aviões da classe Nimitz USS Carl Vinson (CVN 70), na costa Sul da Califórnia, em 18 de outubro de 2017. (Sean M. Castellano/ Navy Office of Information/AFP via Getty Images)

A Marinha dos EUA está realizando uma operação de salvamento do caça F-35C que caiu no Mar do Sul da China no mês passado, em uma tentativa de evitar que a tecnologia avançada caia nas mãos do regime chinês.


No entanto, um ex-oficial do Comando do Pacífico dos EUA disse ao Epoch Times que “a China não é capaz de resgatar a aeronave”.


A Sétima Frota disse ao US Naval Institute News em 31 de janeiro que a Marinha dos EUA está fazendo um “acordo de operações para recuperação” a fim de salvar o caça de ataque conjunto F-35C Lighting II que caiu no Mar da China Meridional em 24 de janeiro.


De acordo com a Guarda Costeira Japonesa, as operações de salvamento estão ocorrendo na área norte do Mar do Sul da China, onde a profundidade da água é de 11.800 pés (3,6 mil metros) e cerca de 350 milhas (560 Km) a leste de Woody Island nas Paracels. O regime chinês mantém um controle militar e exerce soberania na região.


Os Estados Unidos condenam o comportamento agressivo de Pequim na região e defendem uma decisão internacional de 2016, que rejeitou a alegação da “linha de nove traços” do Partido Comunista Chinês (PCC) para cerca de 85% dos 2,2 milhões de milhas quadradas (5,7 milhões de km2) do Mar da China Meridional, e afirmou que as reivindicações territoriais de Pequim eram inconsistentes com a Convenção das Nações Unidas sobre o Direito do Mar (UNCLOS).

“As reivindicações de Pequim de recursos offshore na maior parte do Mar do Sul da China estão completamente ilegais, assim como sua campanha de intimidação para controlá-los”, disse o secretário de Estado Antony Blinken em comunicado em 11 de julho de 2021.


Carl Schuster, ex-diretor de operações do Centro de Inteligência Conjunta do Comando do Pacífico dos EUA no Havaí, disse ao Epoch Times em 1º de fevereiro que a operação de resgate levaria cerca de 10 a 20 dias e, se tudo corresse bem, seria concluída até o final de fevereiro.


Salvar uma aeronave tão pesada do fundo do mar é uma operação cara. Schuster estima que custaria cerca de US$ 10 milhões a US$ 20 milhões para tirar o jato da água, e restaurá-lo à condição operacional custaria outros US$ 20 milhões ou US$ 30 milhões.


Ele disse que tal operação não vale a pena ser realizada na maioria dos casos, “mas se você está salvando-a para que ninguém mais possa retirá-la e fazer engenharia reversa ou copiar parte da tecnologia envolvida ou encontrar maneiras de derrotar essa tecnologia, então a resposta é... sim... uma vez que é uma aeronave totalmente nova e suas tecnologias [são] de interesse de potências hostis... negar-lhes o acesso a esse avião é puramente de alta prioridade”, disse ele.

O destróier de mísseis guiados da classe Arleigh-Burke, USS Barry (DDG 52), realizando operações em andamento no Mar do Sul da China em 28 de abril de 2020. (Samuel Hardgrove/Marinha dos EUA/AFP via Getty Images)

A China está interessada no F-35C caído, e a Marinha dos EUA quer impedir que a China chegue primeiro, informou a CNN em 26 de janeiro.


O jornalista militar vietnamita Duan Dang compartilhou no Twitter uma imagem de satélite em 25 de janeiro, que mostra duas fragatas chinesas Type 054A no canto superior esquerdo (noroeste) da foto, perto de Scarborough Shoal, no Mar do Sul da China.


Schuster disse ao Epoch Times que “tudo no F-35C acidentado era tecnologia de ponta”, que abrange direção, motores, fuselagem, aviônicos, links de dados e radar.


Quando perguntado se a China salvaria o F-35C antes dos Estados Unidos, Schuster disse que Pequim gostaria muito de fazê-lo, mas preocupações com riscos políticos e técnicos podem impedi-los.


De acordo com Schuster, primeiro, se a China apreende descaradamente a propriedade dos EUA, os Estados Unidos devem defendê-la com determinação, e espera-se um conflito entre os dois lados – então Pequim precisa reconsiderar os riscos políticos.


Segundo, a China não tem capacidade de operar em águas tão profundas, pois a mais profunda já registrada pelo país foi de 1.500 a 2.000 pés; enquanto isso, o F-35C está agora a 11.800 pés, disse ele.


Além disso, a topografia do fundo do oceano é complexa. Schuster disse: “A pressão do oceano lá embaixo é muito implacável. Além disso, você não conhece as correntes… o problema com o Mar do Sul da China é que o fundo não é consistente, por causa da atividade vulcânica, o contorno do fundo muda a cada ano.”


Mas os Estados Unidos não terão problemas para recuperar o F-35C, acrescentou. “Recuperamos [uma] aeronave de 15.000 pés, então uma aeronave de 11.000 pés [é] igualmente factível.”


Embora Schuster tenha dito que os chineses não são capazes de recuperar o F-35C acidentado, eles tentarão explorar o jato.


“Eu acho que eles vão monitorá-lo com aeronaves no início, e eles podem colocar um navio da guarda costeira ou uma de suas… forças armadas do povo (PLA), embarcações da milícia marítima… dentro do alcance visual para monitorá-lo. … Eu não ficaria surpreso se eles estivessem tentando posicionar um de seus submersíveis de mergulho profundo na área para pesquisar o acidente”, disse ele.


Schuster acredita que a China pode ter coletado amostras de água ao redor do avião acidentado e usado uma ampla gama de sistemas fotográficos e espectroscópicos para sondar.


Se “você pegar todos os tipos de imagens possíveis, para poder construir um modelo de computador… as amostras de água ao redor do acidente lhe dizem algo sobre os minerais que estão na aeronave”.


Além disso, para entrar no interior da aeronave, “seria necessário uma embarcação de mergulho profundo que é muito pequena… também tem que ser capaz de lidar com enormes quantidades de pressão”, disse Schuster.

Um caça tático furtivo para todos os climas Lockheed Martin F-22 Raptor em exibição durante o Dubai Airshow 2019 em 18 de novembro de 2019. (Karim Sahib/AFP via Getty Images)

Roubo de tecnologia


Uma variedade de armas militares dos EUA foi alvo de roubo pelo PCC nos últimos anos.

Hackers chineses supostamente roubaram informações sobre o F-22 Raptor e o B-2 Stealth Bomber da Força Aérea dos EUA, sistemas de orientação e rastreamento de mísseis e projetos relacionados a submarinos nucleares e mísseis antiaéreos, de acordo com um relatório do The EurAsian Times.


O F-35 Lightning II é o caça furtivo de quinta geração mais avançado do mundo. Especialistas acreditam que a China roubou informações sobre o F-35 para desenvolver seu próprio caça furtivo de quinta geração.


Em janeiro de 2015, o ex-contratado da Agência de Segurança Nacional dos EUA, Edward Snowden, disse ao site de notícias alemão Der Spiegel que o regime chinês roubou o “projeto de radar do F-35C (o número e tipos de módulos), esquemas detalhados do motor (métodos para resfriamento de gases, tratamentos de borda de fuga e mapas de contorno de aquecimento do convés de popa), entre outras coisas”, de acordo com The Diplomat.


Schuster acredita que o PCC já obteve 60% dos desenhos do F-35C por meio de espionagem no passado. Se a China salvasse a aeronave caída, teria obtido outros 30% a 40% dos desenhos, disse ele.


Os Estados Unidos não querem que “um país hostil” tenha acesso a essas tecnologias avançadas “porque eles [o PCC] podem aprender não apenas como derrotá-lo, mas eles [o PCC] podem usá-lo contra você”, disse Schuster.


Jenny Li contribui para o Epoch Times desde 2010. Ela fez reportagens sobre política chinesa, economia, questões de direitos humanos e relações EUA-China. Ela entrevistou extensivamente acadêmicos, economistas, advogados e ativistas de direitos chineses na China e no exterior.


PUBLICAÇÃO ORIGINAL >

https://www.theepochtimes.com/china-is-incapable-of-salvaging-crashed-us-f-35c-jet-in-the-south-china-sea-former-us-navy-captain_4266778.html


Acesse a minha HOME PAGE, para assistir meus vídeos e ler meus livros: https://www.heitordepaola.online/


26 views0 comments