A administração Biden até agora tem aliviado a pressão sobre a China comunista: senador Cruz

- THE EPOCH TIMES - 2 Mar, 2021 -

EVA FU - TRADUÇÃO CÉSAR TONHEIRO -


O senador Ted Cruz (R-Texas) fala no Hart Senate Office Building no Capitol Hill em Washington, em 2 de março de 2021. (Graeme Jennings / POOL / AFP via Getty Images)

O senador Ted Cruz (R-Texas) acionou o alarme sobre o que viu como “um padrão de decisão sistêmica” do governo Biden de “abraçar” a China comunista.

“Até agora, cada ação, cada indicação que vimos do nascente governo Biden, no que diz respeito à China, diminuiu o escrutínio, diminuiu as sanções, diminuiu a pressão sobre a China comunista”, disse Cruz em discurso durante uma reunião do Senado na terça-feira.

“Estamos vendo um abraço constante e sistemático da China comunista, e isso é perigoso. Isso é perigoso para nossa nação. É temerário. ”


Cruz se opôs à confirmação da escolha do presidente Joe Biden para a secretária de Comércio, Gina Raimondo, que ele acreditava ter aderido à "corrida para abraçar os piores elementos do Partido Comunista Chinês".

Raimondo, governadora de Rhode Island, se recusou a esclarecer se ela manteria a restrição comercial à gigante chinesa das telecomunicações Huawei, que Cruz descreveu como uma “agência de espionagem do Partido Comunista Chinês”. O Senado votou 84 a 15 na terça-feira para confirmá-la como a próxima secretária de Comércio.


Nos últimos dois anos, sob a administração Trump, o Departamento de Comércio colocou a Huawei e cerca de 150 de suas afiliadas na lista de sanções em uma tentativa de cortar a empresa de tecnologia e software americanos críticos. A Federal Communications Commission oficialmente designou a Huawei como uma ameaça à segurança nacional em junho passado.


Durante sua audiência de confirmação em 26 de janeiro, Raimondo, uma democrata, prometeu uma postura dura em relação à China para proteger as redes de telecomunicações dos EUA de comportamentos chineses anticompetitivos, mas se recusou a dizer se manteria a lista negra da Huawei.


Pressionada por Cruz, ela disse que trabalharia com legisladores, indústria e aliados para “fazer uma avaliação sobre o que é melhor para a segurança nacional e econômica americana”.


“Como meus colegas sabem, os indicados nunca serão mais engajados, mais transparentes ou mais abertos do que durante o processo de confirmação”, disse Cruz. "O fato de o governador Raimondo se recusar a ser qualquer um desses diz muito sobre como ela agiria se confirmada como secretária."


A governadora de Rhode Island, Gina Raimondo, indicada para secretária de comércio, fala no teatro The Queen em Wilmington, Delaware, 8 de janeiro de 2021. (Jim Watson / AFP via Getty Images)

A equipe de Biden projetou uma imagem dura para a China, mas muitas vezes permaneceu indefinida nos detalhes.

A secretária de imprensa da Casa Branca, Jen Psaki, descreveu a relação dos dois países como “de forte competição”, citando a necessidade de implantar uma abordagem estratégica multilateral ao lidar com a China.

Katherine Tai, indicada para Representante de Comércio dos Estados Unidos, descreveu o regime chinês como "simultaneamente um rival, um parceiro comercial e um jogador descomunal, cuja cooperação também precisaremos para enfrentar certos desafios globais". William Burns, nomeado diretor da CIA do presidente Joe Biden, chamou Pequim de “adversário formidável e autoritário”, mas também observou áreas de “interesses mútuos”, como a mudança climática.

Enquanto isso, as autoridades chinesas intensificaram sua retórica, expondo demandas aos Estados Unidos em questões como comércio, Taiwan, Hong Kong e direitos humanos como pré-condições para relações diplomáticas “saudáveis”.

Embora as autoridades de ambos os partidos políticos tenham confundido Pequim com um amigo, a pandemia COVID-19 levou o mundo a ver o “padrão sistêmico de mentiras, engano e morte vindo do governo comunista chinês”, disse Cruz.

Após a pandemia, o Reino Unido, que estava a caminho de permitir que a Huawei construísse sua rede 5G, despertou para as ameaças do regime e “deu um passo para trás”, disse Cruz. Ele expressou esperança de que o padrão percebido da nova administração que apazigua a China "não ilumine nossos aliados e os encoraje a seguir em frente com a Huawei, para permitir que a arquitetura de espionagem seja implementada em suas nações". “Isso tornaria a América mais vulnerável. Isso tornaria nossos aliados mais vulneráveis. Isso tornaria o mundo mais vulnerável ”, disse ele.


ORIGINAL: https://www.theepochtimes.com/biden-admin-so-far-has-eased-pressure-on-communist-china-sen-cruz_3718289.html


7 views0 comments