20 anos das guerras do terror custaram US $ 8 trilhões e 929.000 mortes

- THE EPOCH TIMES - 1 SET, 2021 - ken silva - Tradução César Tonheiro -

Estudo detalha os custos das guerras do terror: 20 anos, US $ 8 trilhões, 929.000 mortes


Em setembro de 2002, o governo George W. Bush disse que a guerra contra o Iraque custaria mais de US $ 200 bilhões. Acontece que isso nem mesmo cobriria os pagamentos de juros. Segundo um estudo de 1º de setembro do Projeto Custos da Guerra da Brown University, lançado há cerca de 10 anos para abordar as deficiências percebidas em como o governo mede e relata o impacto da guerra nos Estados Unidos.


De acordo com o relatório, os custos orçamentários totais e obrigações futuras das guerras pós-11 de setembro de 2001 são de cerca de US $ 8 trilhões em dólares atuais. Isso inclui mais de US $ 2,1 trilhões gastos pelo Departamento de Defesa, US $ 1 trilhão em pagamentos de juros — divididos igualmente entre os conflitos no Iraque e no Afeganistão — e US $ 2,2 trilhões em futuras obrigações de saúde até 2050.


O Projeto Custos da Guerra também divulgou novos dados sobre custos humanos, calculando que cerca de 929.000 pessoas foram mortas nas guerras do terror — incluindo mais de 387.000 civis e 7.000 soldados americanos.


As estimativas de custos humanos e financeiros são conservadoras, de acordo com o Projeto de Custos da Guerra.


“Várias vezes mais pessoas foram mortas como um efeito reverberante das guerras — por causa, por exemplo, da perda de água, esgoto e outras questões de infraestrutura e doenças relacionadas à guerra”, afirmou o grupo.


O Projeto Custos da Guerra realizou uma webinar em 1º de setembro para os pesquisadores discutirem seus resultados.


Linda Bilmes, professora da Universidade de Harvard, que liderou o trabalho de cálculo dos custos financeiros, disse que o cérebro humano tem dificuldade em compreender o preço de US $ 8 trilhões.


“Uma maneira de visualizar a escala desse número é se você tivesse $ 1.000 em notas de $ 100, $ 1 milhão teria 4,3 polegadas de altura, $ 1 bilhão teria 358 pés de altura — mais ou menos a altura da Estátua da Liberdade — e $ 1 trilhão teria 67 milhas de altura, o que é muito mais longe do que Elon Musk foi em seu foguete”, disse Bilmes.

O motivo pelo qual os americanos não sentiram esse custo é porque as guerras foram financiadas por meio de dívidas em vez de impostos, observou Bilmes, apelidando-as de “guerras do cartão de crédito”.


“Costumávamos aumentar os impostos para financiar guerras”, disse ela, observando que as taxas marginais máximas eram de 92% durante a Guerra da Coréia e 77% no Vietnã.


“A maioria dos americanos paga impostos mais baixos agora do que antes do início das guerras. Se [os eleitores] não pensarem em como você paga por isso, então é fácil continuar as guerras por muito tempo.”


As taxas de juros estão em níveis quase recordes desde a crise financeira de 2008, permitindo ao governo dos EUA continuar a financiar seus conflitos no exterior.


“Esta é uma característica da duração das guerras, não um bug (erro ocasional). Não teria sido possível sem essas taxas”, disse Bilmes.


Se as taxas revertessem até mesmo para as médias históricas de cerca de 5,5%, o valor que o governo dos Estados Unidos teria de pagar com juros e custos futuros com saúde dispararia. Bilmes expressou preocupação com a possibilidade de o governo deixar de cumprir suas obrigações para com os veteranos dos EUA se isso acontecer, razão pela qual ela propôs um Fundo Fiduciário para Veteranos.


O presidente Joe Biden discutiu os dados do Projeto Custos da Guerra ao falar à nação sobre a retirada do Afeganistão no dia anterior.


“Depois de mais de US $ 2 trilhões gastos no Afeganistão — um custo que os pesquisadores da Brown University estimaram em mais de US $ 300 milhões por dia durante 20 anos no Afeganistão, o povo americano deveria ouvir isto: US $ 300 milhões por dia durante duas décadas”, disse Biden.