Índia deve ocupar o lugar de Pequim nas cadeias de abastecimento globais

- THE EPOCH TIMES - 8 AGO, 2021 - Daniel Y. Teng - Tradução César Tonheiro -

O ex-primeiro-ministro australiano Tony Abbott fala durante uma coletiva de imprensa em um hotel em Pequim, China, em 12 de abril de 2014. (AP Photo / Andy Wong)

O ex-primeiro-ministro australiano Tony Abbott pediu à Índia que ocupe seu “lugar de direito” entre as nações democráticas e substitua a China nas cadeias de abastecimento globais vitais.


“A resposta para quase todas as perguntas sobre a China é a Índia”, escreveu o ex-primeiro-ministro em um artigo de opinião publicado no The Australian.


“Embora atualmente não seja tão rica quanto a China, como uma democracia sob o império da lei e como o segundo maior produtor mundial de aço e produtos farmacêuticos, e com sua própria versão do Vale do Silício, a Índia está perfeitamente posicionada para substituir a China globalmente na cadeia de abastecimento”, acrescentou.


Ele também observou que, com a China se tornando mais beligerante a cada dia, é do interesse de todos que a Índia ocupe seu lugar de direito entre as nações o mais rápido possível.


“E porque os acordos comerciais tratam tanto de política quanto de economia, um acordo rápido entre a Índia e a Austrália seria um sinal importante de que o mundo democrático se distanciaria da China, além de impulsionar a prosperidade de longo prazo de ambos os nossos países.”


Abbott está concluindo uma visita comercial oficial à Índia, onde se encontra com os principais líderes políticos e empresariais para explorar a expansão das oportunidades de comércio e investimento.


Isso ocorre após uma visita ao Reino Unido, onde o ex-primeiro-ministro também assumiu uma postura crítica em relação a Pequim e pediu aos líderes empresariais que mostrassem “caráter” e removessem a China de suas cadeias de abastecimento.


Enquanto isso, os laços bilaterais entre a Austrália e a Índia cresceram nos últimos anos, com ambas as partes trabalhando para finalizar o Acordo de Cooperação Econômica Abrangente, que está em negociação há mais de uma década.


Japão, Austrália e Índia também estão avançando na Iniciativa de Resiliência da Cadeia de Suprimentos para reduzir a dependência das cadeias de suprimentos chinesas.


Essas medidas ocorrem em meio à contínua beligerância de Pequim na região do Indo-Pacífico, que estreitou os laços com as três nações.


“A Índia já é a segunda maior (de longe) fonte de estudantes estrangeiros da Austrália, mas esta deveria ser mais uma via de mão dupla”, escreveu Abbott. “A Austrália poderia substituir prontamente a China como uma fonte importante de terras raras e outros minerais estratégicos de que a Índia precisará, sob o programa 'Make in India' do primeiro-ministro Mahendra Modi, se for para substituir a China como fonte de insumos manufaturados em escala.”


Ele acrescentou que, com um programa espetacular de infraestrutura agora em andamento e uma ampla privatização, a Índia deve ser considerada um lugar onde os fundos de investimento australianos buscam o retorno estável de um investimento seguro de longo prazo.


“Se os negócios e o funcionalismo australianos fizessem com a Índia o mesmo esforço que fazem há muito tempo com a China, há potencial para um relacionamento de 'família' com a Índia que nunca foi provável com a China, especialmente sob o partido-estado”, escreveu Abbot .


PUBLICAÇÃO ORIGINAL:

https://www.theepochtimes.com/india-should-take-beijings-place-in-global-supply-chains-former-prime-minister_3939355.html


Para acessar o Conteúdo acima, acesse a Home Page aqui. https://www.heitordepaola.online/


12 views0 comments